Conteúdo

'Wall Street Journal' revela fala racista de Jon Gruden a presidente da Associação de Jogadores da NFL, em 2011

9 de outubro de 2021

(por Layo Lucena)

Jon Gruden, treinador principal do Las Vegas Raiders, fez comentários racistas contra o atual presidente da Associação de Jogadores da NFL (NFLPA), DeMaurice Smith, em um email 10 anos atrás, segundo o ‘The Wall Street Journal’.

De acordo com o jornal, o email, enviado ao presidente do Washington Football Team em julho de 2011, no momento em que a NFL e os jogadores estavam tentando resolver um bloqueio, afirmava que Smith tinha "lábios do tamanho de um pneu da Michelin".

Gruden, que na época trabalhava como analista do Monday Night Football, disse à 'ESPN' que não se lembra de ter escrito o e-mail, mas se desculpou pela precipitação.

O treinador disse que costumava usar o termo "lábios de borracha" para "referir-se a um cara que eu pego como mentindo".

"Estou envergonhado por ter insultado De Smith", disse Gruden à ESPN, acrescentando: "Nunca tive um pensamento racial quando o usei. Estou envergonhado com o que está lá fora. Certamente nunca quis que soasse tão mal".

Gruden falou com o dono do Raiders, Mark Davis, e espera falar novamente. O treinador não tinha certeza se enfrentaria qualquer suspensão disciplinar de Davis ou da NFL, que condenou o comentário de Gruden em um comunicado na tarde de sexta-feira (8).

"O e-mail de Jon Gruden difamando DeMaurice Smith é terrível, abominável e totalmente contrário aos valores da NFL", disse o porta-voz da NFL Brian McCarthy. "Condenamos a declaração e lamentamos qualquer dano que sua publicação possa infligir ao Sr. Smith ou qualquer outra pessoa”.

A liga está investigando o assunto, com possibilidade de ações disciplinares para Gruden, de acordo com alguns veículos de comunicação norte-americanos.

Em um comunicado na tarde de sexta-feira, Davis chamou o conteúdo do e-mail de "perturbador" e "não é o que os Raiders representam".

"Fomos avisados ​​pela primeira vez sobre o e-mail na noite de ontem por um repórter e o estamos analisando junto com outros materiais fornecidos a nós hoje pela NFL", disse Davis. "Estamos tratando do assunto com o técnico Gruden e não faremos mais comentários neste momento”.

Gruden afirmou que conversou com os jogadores dos Raiders na sexta-feira de manhã para avisá-los de que o relatório do ‘The Wall Street Journal’ sairia.

"Sou transparente com meus jogadores", disse Gruden à ESPN. "Esse pode não ter sido o melhor momento da minha vida. Nunca senti que estávamos obtendo a verdade e a honestidade [nas negociações]. Apenas senti que [o ex-diretor executivo da NFLPA] Gene Upshaw nunca teria deixado chegar tão longe”.

O e-mail veio à tona durante a investigação da NFL sobre má conduta no local de trabalho com o Washington Football Team, pois "a liga foi informada da existência de e-mails que levantaram questões além do escopo dessa investigação", de acordo com McCarthy. Os executivos seniores da liga revisaram o conteúdo de mais de 650.000 e-mails, incluindo o que o Journal relatou ter sido escrito por Gruden para Bruce Allen, então presidente do Washington Football Team. A NFL, então, enviou os e-mails pertinentes aos Raiders para revisão.

"Este não é o primeiro comentário racista que ouço e provavelmente não será o último", disse Smith ao Journal. "Este é um trabalho difícil para alguém com pele escura, assim como sempre foi para muitas pessoas que se parecem comigo e trabalham na América corporativa. Você sabe que as pessoas às vezes dizem coisas racistas como você vê. As pessoas falam e escrevem sobre você usando uma linguagem pouco codificada e racista.

“Racismo como este vem do fato de que estou na mesma mesa que eles e eles não acham que alguém que se parece comigo pertence”, disse Smith. "Lamento que minha família tenha que ver algo assim, mas prefiro que eles saibam. Não vou deixar isso me definir”.