Conteúdo

Vettel decide boicotar GP da Rússia após ataques feitos à Ucrânia

24 de fevereiro de 2022

(por Mattheus Prudente)

As tensões políticas entre a Rússia e a UCrânia estão começando a afetar o mundo do esporte. Muito conhecido por ser uma voz ativa na Fórmula 1, Sebastian Vettel tomou a decisão de não correr o GP da Rússia em 2022, mesmo que não haja o cancelamento do evento. 

“Eu acordei chocado com as notícias nesta manhã. Eu acho que é horrível ver o que está acontecendo. Se você olhar o calendário, vai ver que temos uma corrida marcada na Rússia. Minha opinião é que eu não devo ir, e eu não vou. Eu acho que é errado correr no país. Eu sinto muito pelas pessoas inocentes que estão perdendo suas vidas por razões estúpidas e um governo estranho e louco.” Disse Vettel. 

O piloto alemão disse que ainda não discutiu a problemática com a associação de pilotos, mas deixou claro que “sua decisão já foi tomada.” A Fórmula 1 disse, em nota oficial, que está monitorando o desenvolvimento da situação com a Rússia, mas não deu informação se o GP do país seria ou não cancelado. 

Vettel tem sido voz ativa em questões envolvendo política. Na temporada passada, nas corridas realizadas em países do Oriente Médio e na Hungria, o alemão apoiou as causas LGBTQIA+, além de realizar uma corrida na Arábia Saudita para mulheres, já que as mesmas eram proibidas de dirigir no país até alguns anos atrás. 

As consequências do confronto entre Rússia e Ucrânia vão ter consequências ainda maiores no mundo da Fórmula 1, com a principal patrocinadora da Haas, Uralkali, tendo problemas financeiros com as sanções impostas à Rússia. Até o momento, mais de 100 pessoas já foram mortas na invasão russa, entre ucranianos e russos.