Conteúdo

Uma semana para o início da temporada 2021 da Fórmula Indy, o que esperar?

9 de abril de 2021

(por Jefferson Castanheira)
 

A segunda maior categoria de monopostos do automobilismo está prestes a começar. A Fórmula Indy terá sua temporada 2021 iniciando no próximo dia 18 de Abril, num Grand Prix direto do Alabama. O calendário deste ano trará 17 provas que valerão pontos para o campeonato atualmente vencido por Scott Dixon, e terá a 105ª edição das 500 Milhas de Indianapolis programada para o dia 30 de Maio. Será a 110ª edição da IndyCar Series (sendo a 26ª como IndyCar de fato), e a última temporada com o chassis Dallara DW12 UAK18, assim como também a derradeira dos motores V6 Turbo, em vista que a diretoria da categoria já visa em 2022 que a Indy tenha motores híbridos, que já estão em testes, mas podem ainda atrasar para 2023. 

Conforme dito acima, a Indy 2021 terá 17 etapas na temporada, sendo elas:

1.Alabama (Misto) – 09/04

2. St.Petersburg (Circuito de Rua) – 25/04

3.Texas (Oval – 1.5 milhas) Etapa 1 – 01/05

4.Texas (Oval – 1.5 milhas) Etapa 2 – 02/05

5. GP de Indianapolis (Misto) Etapa 1 – 15/05

6.500 Milhas de Indianapolis – 30/05

7.Detroit (circuito de rua) Etapa 1 – 12/06

8.Detroit (circuito de rua) Etapa 2 – 13/06

9.Road America (misto) – 20/06

10.Mid-Ohio (misto) – 04/07

11.Toronto (circuito de rua) – 11/07

12.Nashville Music City GP (circuito de rua) – 08/08

14. GP de Indianapolis (misto) Etapa 2 – 14/08

14.Gateway (oval – 1.25 milhas) – 21/08

15.Portland (misto) - 12/09

16.Laguna Seca (misto) – 19/09

17.Long Beach (circuito de rua) – 26/09

 

A temporada 2021 também trará algumas mudanças na chegada de pilotos estreantes: Romain Grossjean vem da Fórmula 1 para tentar se aventurar nos circuitos mistos e de rua, ainda não correndo nos ovais pela categoria. O piloto francês pode ter uma temporada integral em 2022 se realmente se adaptar e gostar de correr na Indy.

O heptacampeão da NASCAR, Jimmie Johnson, também estreará na categoria correndo nas pistas mistas. Juan Pablo Montoya é outro que voltará a correr nas 500 Milhas de Indianapolis e fará isso guiando um carro da Arrow McLaren SP, que vem sendo rápido nos testes de ovais com Pato O’Ward, como no Texas, onde o piloto liderou voando baixo. 

Falando das equipes, a Chip Ganassi vem de uma temporada muito positiva, mas começa a olhar no retrovisor para melhores desenvolvimentos da Penske e da McLaren. A equipe totalmente feminina, Paretta Motorsport, chega na Indy e contará com a piloto Simona de Silvestro para tentar marcar território na categoria este ano. Mas, a disputa na frente para tentar destronar a Ganassi será bem pesada, já que não só apenas Penske e McLaren vem fortes, mas também a Ed Carpenter Racing e a Andretti Autosport, após sessões de testes positivas em Indianapolis e no Texas. 

Assim como na Fórmula 1, os brasileiros não terão lugar fixo na temporada 2021 da Indy, mas correrão em etapas específicas e demarcadas.

Helio Castroneves foi campeão da IMSA em 2020 e vem em grande fase para tentar a quarta vitória nas 500 Milhas de Indianapolis. Helinho disputará 6 provas no ano (contando com a Indy500, migrando para a equipe Meyer Shank Honda depois de mais de 20 anos na Penske).

Tony Kanaan retorna para a Chip Ganassi para disputar 4 etapas – incluindo, claro, as 500 Milhas de Indianapolis – sendo todas elas em ovais (rodada dupla no Texas, Gateway e Indy500). TK aparentemente não se aposentará enquanto tiver gasolina no tanque para conquistar um segundo anel de Indianapolis.

Pietro Fittipaldi também correrá apenas em ovais pela Dale Coyne, inclusive nas mesmas pistas que Tony Kanaan disputará, ocupando o espaço de Romain Grosjean, que é o piloto titular da Dale Coyne, mas que não correrá em ovais perigosos como Texas e Indianapolis. Pietro terá uma temporada na Indy que servirá de vitrine para 2022, buscando um espaço de titular na Fórmula 1 ou na IndyCar Series. Para isso, o neto de Emerson Fittipaldi terá de mostrar serviço e apresentar bons desempenhos nas provas que disputará, principalmente, na Indy 500.

A disputa pelo título com toda certeza ficará focada em destronar Scott Dixon e, para isso, Simon Pagenaud deve ser o principal adversário do neozelandês voador, além de James Hinchcliff, que vem voando pela Andretti atrás do título. Correndo por fora, Josef Newgarden pode também despontar, assim como o mexicano Pato O’Ward, que vem se mostrando cada vez mais rápido e maduro na categoria. Alexander Rossi tenta chacoalhar os ânimos, retomar também o bom ritmo que vinha tendo, e pode lutar pelo título.