Conteúdo

UFC Vegas 38: Thiago Marreta vence Johnny Walker em combate morno, final frustrante entre Holland e Daukaus e mais

3 de outubro de 2021

(por Rafael Lima)
 

O UFC Vegas 38 trazia boa expectativa para os fãs brasileiros, pois dois dos nossos representantes fizeram o duelo principal, porém, o combate foi muito estudado e morno, que acabou decepcionando o público. Além disso, na penúltima luta, um replay transformou uma finalização de Daukaus em um “No Contest”. Confira como foi o estranho evento deste sábado:

Não foi o que esperávamos! Thiago Marreta venceu Johnny Walker por decisão unânime

Com dois nocauteadores no octógono, a expectativa da luta entre Thiago Marreta e Johnny Walker era de que ela terminaria pela via rápida. Porém, ambos se respeitaram demais, desde o início. O primeiro round foi quase sem ação. No segundo, Marreta soltou um pouco mais o jogo com uma tentativa de queda e alguns chutes baixos, o mínimo para garantir a parcial. 

Thiago Marreta crescia no combate tendo mais contundência nos golpes, enquanto Johnny Walker fintava muito, tocava mais, mas sem efetividade. Walker até venceu o quarto assalto pelo maior volume, porém, não esteve perto de balançar Marreta. 

Com mais golpes no primeiro assalto e a vitória no quarto, Johnny Walker levou a luta empatada para o round decisivo. Porém, Marreta acertou dois golpes limpos e mais fortes, sendo o suficiente para sair com a vitória.
 

Salvo pelo replay! Kevin Holland e Kyle Daukaus terminam a luta sem resultado

Kyle Daukaus era o azarão, mas começou melhor na trocação, área de Kevin Holland, conseguindo um knockdown que o possibilitou buscar as costas do adversário e aplicar um mata-leão. Porém, após o replay, ficou claro que o knockdown não foi causado por um soco, pois na verdade ocorreu um choque de cabeças. Com esta evidência, o Ultimate decidiu terminar o combate como uma luta sem resultado.
 

Permanência em risco! Niko Price venceu Alex Cowboy por decisão unânime

Alex Cowboy queria enfrentar Niko Price para sair da maré de derrotas no Ultimate, porém, mesmo tendo bons momentos e atuando de forma agressiva desde o início, o brasileiro sofreu com a luta agarrada de Price e também com o melhor preparo físico do americano. Nos dois primeiros rounds cada um levou vantagem no seu estilo, porém, no último, Price esteve mais inteiro e conseguiu ser melhor tanto na trocação, quanto no chão, já que aplicou uma queda e terminou dominando no ground and pound.
 

Estreia frustrada! Krzysztof Jotko venceu Misha Cirkunov por decisão dividida

Misha Cirkunov fazia sua estreia na categoria peso-médio enfrentando uma pedreira chamada Krzysztof Jotko. O combate foi bastante equilibrado e repleto de reviravoltas. Jotko se mostrou mais rápido e um pouco melhor em pé, já que conseguia antecipar os golpes de Cirkunov, acertando mais. Apesar disso, o letão foi perigoso, acertou bons golpes, mas teve tentativas de quedas, que definiriam o combate em seu favor, frustradas. O duelo poderia ir para qualquer lado, mas realmente Jotko foi um pouco melhor.
 

Não deu nem pra saída! Alexander Hernandez venceu Michael Breeden por nocaute no primeiro round

Alexander Hernandez, a eterna promessa, iniciou com tudo o combate contra Michael Breeden. Com duras sequências e, depois de encurralar o adversário na grade, Hernandez acertou uma direita por cima da grade num nocaute clássico, do jeito que todo mundo gosta ver.


 

Card preliminar repleto de brasileiros e performances brutais

As lutas preliminares contaram com quatro atletas do nosso país, logo de cara Johnny Eduardo teve muitas dificuldades diante de Alejandro Perez, que foi melhor em pé e, depois de abalar o brasileiro, conseguiu uma bela chave de braço. 

Depois de um massacre de Stephanie Egger diante de Shanna Young, que terminou em nocaute técnico no segundo assalto, foi a vez de Douglas D’Silva empatar o placar da noite para o Brasil, e o nosso galo fez isso com estilo, soltando uma bomba de esquerda para nocautear de forma brutal o belga Gaetano Pirrello. 

Na sequência, Jamie Mullarkey atropelou Devonte Smith por nocaute técnico no segundo round. E então, as brasileiras Karol Rosa e Bethe Correia, que fazia sua última luta de MMA na carreira, já que decidiu se aposentar, foram para o “cage”. Num duelo entre juventude e experiência, Karol Rosa impôs um ritmo de luta muito complicado para Bethe, foi uma saraivada de golpes durante todos os rounds que permitiam à Pitbull apenas absorver e tentar contra-atacar, cada vez com menos potência. Desta forma, a despedida de Bethe Correia foi com uma derrota incontestável, o que não diminui a trajetória da paraibana no octógono mais famoso do mundo.

Após isso ainda aconteceram mais dois combates. Casey O’Neill foi muito superior à irmã de Valentina, a Antonina Shevchenko, liquidando a fatura em um nocaute técnico incontestável diante da atleta do Quirguistão. 

E, na última luta do card preliminar, Jared Gordon e Joe Solecki fizeram o duelo mais equilibrado da noite, que encerrou em decisão dividida em favor de Gordon por ter sido um pouco mais incisivo no combate.