Conteúdo

UFC 274 - Mesmo sem o cinturão, Charles do Bronx dá show e finaliza Gathje; Esparza conquista o título em duelo constrangedor e Chandler aplica nocaute histórico

8 de maio de 2022

(por Rafael Lima)

Um mix de emoções tomou conta dos brasileiros no UFC 274, pois com diversos lutadores do nosso país perdendo, o clima não era dos melhores, mas Charles Oliveira lavou a alma da nossa torcida com uma vitória fantástica por finalização, que emocionou a todos com uma performance incrível.

Além da luta principal, tivemos muitos combates mornos, sendo o co-evento principal o pior deles, que consagrou a nova campeã Carla Esparza num embate constrangedor.  Mas, um duelo incrível roubou a cena com o nocaute espetacular de Michael Chandler em Tony Ferguson, que será lembrado para sempre. Confira o que de melhor aconteceu no card principal do evento.
 

Emocionante! Charles Oliveira vence Justin Gaethje por finalização no primeiro round

Um anticlímax. Assim podemos definir a perda do cinturão de Charles Oliveira por não ter batido o limite de peso da categoria peso-leve. Todos queriam saber como o brasileiro entraria no octógono após o problema, mas com o title shot garantido em caso de vitória, a motivação do brasileiro era ir atrás do cinturão novamente. Já do outro lado, Justin Gathje, com a mão mais pesada da categoria, ia com fome para o ‘cage’ em busca do tão sonhado cinturão, querendo colocar seu nome na galeria dos campeões.

Os dois lutadores foram logo de cara para a trocação franca. Charles acertou um direto que balançou Gaethje, porém, o americano acertou um uppercut de direita implacável que causou um knockdown. O brasileiro se levantou, mas novamente levou a pior em pé, indo ao chão novamente com a mão pesada de Gathje num belo cruzado.

Apesar do pequeno atraso, Charles seguiu andando para frente e acertando bons golpes, além de demonstrar um ótimo poder de absorção. Foi aí que veio um direto que levou o desafiante à lona. Como um tubarão que sentiu cheiro de sangue, o brasileiro foi em busca da finalização, primeiro parecendo que ia para o braço, depois acertando cotoveladas até abrir espaço para as costas, quando ele conseguiu o estrangulamento justo, na técnica, demonstrando o melhor jiu-jítsu para o MMA do mundo, levando o pescoço para casa numa vitória emocionante e espetacular.


Pior disputa de cinturão da história! Carla Esparza vence Rose Namajunas por decisão dividida

Após perder para Carla Esparza nos primórdios do peso-palha feminino, na primeira disputa de título da categoria, Rose Namajunas finalmente teve sua chance de revanche, oito anos depois. Atual dona do cinturão contra a primeira campeã valendo o reinado das palhas.

O primeiro round se desenvolveu de forma muito morna, nenhuma lutadora soltava o jogo e elas quase não se tocavam, numa parcial que teve apenas estudos, sendo bem difícil de julgar.

Ambas voltaram para o segundo assalto do mesmo jeito do primeiro, parecendo mais fazer “sombra de boxe” do que lutar de fato. 10 minutos de luta em que nada aconteceu. Eu não queria estar na pele dos árbitros laterais.

No terceiro round, Carla Esparza tentou se aproximar mais, novamente tentou uma queda, mas não conseguiu manter a campeã lá. De qualquer forma, a desafiante arriscava um pouco mais, tentando impressionar os juízes, apesar de não ter nenhuma contundência nos golpes.

Rose Namajunas entrou no quarto assalto caminhando para a frente, tentando conectar golpes, mas sem muito sucesso. De novo Esparza tentou a queda, mas a campeã é muito difícil de ser colocada para baixo. Esparza novamente tentou uma queda, mas logo Namajunas se levantou e conectou um bom golpe, no round mais movimentado da luta.

Namajunas voltou mais ativa, buscando sequências para pontuar e garantir a manutenção de cinturão, mas logo o assalto entrou no ritmo do que foi o combate, ficando bem morno. No final, depois de ensaios de golpes, Rose colocou para baixo para tentar definir o round, mas não fez o suficiente para manter o reinado. Luta constrangedora!


Que chute foi esse?! Michael Chandler vence Tony Ferguson por nocaute no segundo round

Dois pesos-leves muito empolgantes em sequências negativas foram ao octógono na busca pela redenção. O vencedor ‘voltaria para o jogo’, enquanto o derrotado ficaria na corda bamba do Ultimate. Essa era a importância deste tão esperado embate.

Tony Ferguson começou melhor, se movimentando bem para rapidamente encontrar a distância e, com um direto, conseguir um knockdown. Chandler levantou, mas Ferguson não deixava o oponente respirar, cercando e batendo, desorientando Chandler. O ‘iron’, sentindo o prejuízo em pé, conseguiu quedar de forma espetacular, passando a marretar no ground and pound, pesando bem e dominando por cima, com golpes contundentes.

O segundo round começou e algo absurdo aconteceu. Michael Chandler desferiu um chute muito potente, uma ponteira no queixo que fez Ferguson desabar desmaiado, num dos nocautes mais impressionantes na história do UFC.




Morno! Ovince St-Preux vence Maurício Shogun por decisão dividida

O veterano Maurício Shogun foi ao octógono disposto a vingar o nocaute sofrido para Ovince St-Preux, que é maior, mais jovem e forte. Apesar disso, diferentemente do primeiro combate entre eles, dessa vez ambos começaram se estudando bastante. Shogun andou mais para a frente, porém, St-Preux era perigoso nos contragolpes, num round bem parelho.

O segundo assalto seguiu morno, mas Shogun era quem mais buscava a luta com chutes baixos, tentando abrir caminho para os golpes com as mãos. O brasileiro chutava forte e abalava St-Preux, que no final desferiu chutes na linha de cintura para tentar impressionar os árbitros laterais.

St-Preux voltou para o terceiro round mais agressivo, andando para frente como não fez nos assaltos anteriores, se aproveitando do claro desgaste do brasileiro, que aceitava passivamente o domínio do adversário. Enquanto Shogun recuava, St-Preux aproveitava para pontuar, garantindo o round incontestavelmente e, por consequência, a luta.


Vi outra luta! Randy Brown vence Khaos Williams por decisão dividida

Combate entre dois meio-médios em ascensão que sempre proporcionam grandes shows e estavam em busca do terceiro triunfo consecutivo. Apesar da menor envergadura, Khaos Williams achou a distância primeiro e buscou a luta desde o início, demonstrando muita agressividade. Williams na reta final do primeiro assalto passou a tentar se impor no combate agarrado, mas apenas manteve a vantagem no round.

Na segunda parcial Randy Brown finalmente encontrou a distância e passou a dominar, acertando os melhores golpes. Com muita confiança na velocidade e nas esquivas, Brown frustrava bastante Williams, que tentava atacar com contundência, mas sem muito sucesso. E assim o segundo assalto se desenvolveu com muito equilíbrio e pouca efetividade.

No terceiro round, Randy Brown utilizou sua envergadura para tentar tomar conta das ações, conseguindo pontos importantes. Porém, do outro, Khaos Williams seguiu buscando a luta e, na metade da etapa, o americano acertou uma direita que levou o oponente à knockdown. Brown voltou, mas novamente sofreu com a potência de golpes do Khaos, que dominou o último assalto, porém, não levou a vitória para casa.
 

Confira os resultados do card preliminar:

Francisco Massaranduba vence Danny Roberts por decisão unânime
Macy Chiasson vence Norma Dumont por decisão dividida
Brandon Royval vence Matt Schnell por finalização no primeiro round
Blagoy Ivanov vence Marcos Pezão por decisão unânime
André Fialho vence Cameron VanCamp por nocaute no primeiro round
Tracy Cortez vence Melissa Gatto por decisão unânime
CJ Vergara vence Kleydson Rodrigues por decisão dividida
Lupita Godinez vence Ariane Sorriso por decisão unânime
Journey Newson vence Fernie Garcia por decisão unânime