Conteúdo

Toto Wolff dispara sobre o desempenho recente da Mercedes: “Inaceitável"

8 de junho de 2021

(por Bruno Braz)
 

Olá, caros leitores! Passada a corrida mais imprevisível da temporada, começaram a pipocar as declarações. Tentaremos trazer o resumo do que consideramos relevante. Hoje, vamos falar das declarações de Toto Wolff, pós-corrida.

Relembrando o contexto: havia 55 corridas seguidas que a Mercedes sempre pontuava. Sempre. O último GP zerado para o time, foi no abandono de Hamilton e Bottas, no GP da Áustria de 2018, devido a falhas mecânicas. A partir de então, um alto nível de excelência.

Porém, desde Mônaco, algo não vai bem na garagem alemã. Poucos pontos conquistados em dois GPs. Mesmo não se tratando de circuitos favoráveis, não é normal, dado o potencial do time, conquistar apenas 6 pontos em 88 possíveis (primeiro + segundo + volta mais rápida). Apenas Haas, Williams e Alfa Romeo, pontuaram menos enquanto equipe. Diante de tal cenário, Wolff externou sua frustração.

“Vejo que temos de jogar nosso melhor jogo para lutar por este título. Nosso carro não esteve lá durante todo o fim de semana. Precisamos ter um desempenho operacional perfeito e, nós, não fizemos isso nos dois últimos finais de semana. Precisamos estar no nosso melhor, extrair o nosso máximo. É fato que não demos aos pilotos um carro competitivo neste fim de semana, longe disso. Não é somente o erro no fim que frustra. É o todo. Não atender às nossas expectativas: Lewis, dos engenheiros, minhas, todos da equipe. Tem tanto que precisamos melhorar, que quero começar agora para garantir que possamos lutar por este título. Não podemos mais perder pontos como aqui e em Mônaco. É inaceitável”. Afirmou Toto.

Sabemos da qualidade da equipe alemã. Sabemos que dispõe de recursos intelectuais e financeiros para reverter a situação, mas a luz laranja já está ligada na sede da equipe. A pressão que estava na Red Bull, migrou para a Mercedes. De caçada, foi relegada à posição de caçadora.

Tudo pode mudar em circuitos favoráveis ao time alemão? Pode. Mas, se a Red Bull rivalizar em performance nos circuitos que, em teoria, são favoráveis à Mercedes, a luz vermelha será ligada.