Conteúdo

Spotify sofre boicote de artistas por polêmicas envolvendo o podcast de Joe Rogan, conhecido comentarista do UFC

6 de fevereiro de 2022

(por João Zarif)
 

O Spotify retirou, neste sábado (05/02), mais de 100 episódios do programa de Joe Rogan, humorista e apresentador conhecido por comentar lutas do UFC e também fazer entrevistas ainda no octógono após as lutas. A plataforma enfrenta um uma série de boicotes de diversos artitas que não concordam com o posicionamento do podcast do americano, por espalhar fake news sobre a Covid-19.

Segundo o site "JRE Missing", que monitorou a remoção dos programas do apresentador, até a noite de sábado, um total de 113 episódios do "The Joe Rogan Experience" não estavam mais a disposição do público. A revista americana Forbes também confirmou a informação.

Mais cedo, no sábado, Rogan havia postado um vídeo em suas redes sociais, sobre outra polêmica, no qual pediu desculpas por ter usado palavras e insultos racistas no programa.

O Spotify não explicou por que apenas uma parte dos podcasts foram retirados, enquanto outros foram mantidos. Segundo a Bloomberg, foi uma decisão do próprio Joe Rogan. De acordo com a Forbes, com exceção de um deles, todos os episódios retirados, foram gravados antes da pandemia começar, o que torna improvável que a atitude tenha relação com as falas de Rogan sobre a Covid-19.

Dias atrás, o diretor executivo e fundador do Spotify, Daniel Ek, disse que o podcast de Joe Rogan era vital para sua companhia. Ek ainda explicou a seus funcionários que, mesmo considerando "muito ofensivas" e estar "fortemente em desacordo" com "muitas coisas" que o apresentador fala, "para alcançar suas metas, a plataforma deve manter conteúdos com os quais muitos de seus funcionários não querem ser associados", de acordo com um discurso vazado na quinta-feira (03/02) pelo site The Verge.

O "The Joe Rogan Experience" que tem os direitos vinculados ao Spotify, é o podcast mais ouvido da plataforma. Segundo o "Wall Street Journal", a empresa pagou mais de US$ 100 milhões pela exclusividade do podcast.


O músico Neil Young foi o primeiro a exigir que suas músicas fossem retiradas. A declaração de Rogan que fez o artista deixar a plataforma possui desinformação sobre vacinas. A cantora Joni Mitchel e o trio David Crosby, Stephen Stills e Graham Nash seguiram pelo mesmo caminho e tiraram suas obras do catálogo por não concordarem com a presença do podcast.