Conteúdo

Shows de Adesanya e Blachowicz marcam o UFC 253. Confira tudo o que ocorreu no evento

27 de setembro de 2020
3h 06

(por Rafael Lima e Matheus Morais)

A luta mais aguardada do ano não demorou muito, mas consagrou Israel Adesanya com um dos maiores lutadores da história. Com seu estilo completamente diferente, o nigeriano vem enfileirando adversários sem sofrer muito e, contra Paulo Borrachinha, a motivação do campeão estava enorme ajudando-o a vencer e ridicularizar o brasileiro dentro do octógono.

Na outra disputa de cinturão, Jan Blachowicz impôs um verdadeiro massacre pra cima de Dominick Reyes, levando o título para a Polônia.

Além das duas lutas principais, vale destacar o combate mais frenético dos últimos tempos, entre os moscas Kai Kara-France e Brandon Royval, que esbanjaram talento puro.

Saiba mais sobre essas e todas as lutas do UFC 253.
 

Card Principal

Uma aula do campeão! Israel Adesanya vence Paulo Costa por nocaute técnico no segundo round

O combate mais esperado do ano até aqui! Dois lutadores invictos disputando o cinturão peso-médio do UFC. Muita troca de provocações antes da disputa. Estilos de luta bem diferentes. Brasil no octógono disputando um título. Todos os ingredientes para um confronto épico. Paulo Borrachinha indo para o cage para buscar o nocaute da forma mais rápida possível, enquanto Adesanya queria pontuar e achar o melhor momento para intensificar o ataque. Essas eram as premissas desse duelo que ao final entraria para história.

Borrachinha começou dominando o centro do cage, provocando bastante o nigeriano. Adesanya usava bem as pernas, desferindo bons chutes baixos, muito focado na luta, enquanto o brasileiro falava mais do que lutava, numa tática para tirar a concentração do campeão. Adesanya bateu mais e saiu em vantagem no primeiro assalto.

Israel Adesanya usava sua movimentação de elite e continuava chutando bem o brasileiro, que magoava demais a perna de Borrachinha. Uma canelada na cabeça abriu o supercílio do brasileiro, um direto fez Borrachinha bambear e Adesanya completou o serviço, demonstrando uma enorme dominância inesperada. No final ainda tirou sarro de Paulo Costa, de Erik Albarracin e de todo o córner do brasileiro. Em resposta às provocações que sofreu.

Um massacre deste fenômeno da luta em pé e do MMA, que segue soberano entre os pesos-médios do UFC.
 

Levou o cinturão para a Polônia em grande estilo! Jan Blachowicz vence Dominick Reyes por nocaute técnico no segundo round

A primeira disputa de cinturão da noite colocou frente a frente o veloz e habilidoso Dominick Reyes contra o forte polonês Jan Blachowicz. Depois de mais de uma década, um nome que não é Jon Jones ou Daniel Cormier seria campeão meio-pesado do UFC. A luta determinaria o início de um reinado, uma nova era para a categoria.

Dominick Reyes começou com uma postura de luta melhor, soltando chutes baixos e trabalhando numa distância confortável. Porém, Blachowicz foi crescendo, acertou bons socos retos e chutes nas costelas que marcaram Reyes. Pela agressividade o polonês venceu o primeiro assalto.

Os dois seguiram se estudando, mas os melhores golpes eram de Blachowicz, que lançou um direto fazendo Reyes balançar. Dominick tentava emplacar sequências, mas o polonês era muito mais contundente. Numa trocação franca Blachowicz acertou socos muito potentes e um cruzado de esquerda fez Reyes balançar e cair. Jan ainda deu uma saraivada de golpes no chão até o juiz interromper a luta.

Jan Blachowicz é o novo campeão meio-pesado do UFC, numa performance brutal e irretocável.
 

Impossível piscar! Brandon Royval vence Kai Kara-France por finalização no segundo round

A luta começou frenética. Brandon Royval tentou um chute e se desequilibrou. Kai Kara-France acertou um soco que fez Royval bambear, porém, uma cotovelada no reflexo fez Kara-France se desestabilizar. Royval tentou uma chave de braço, se embolou na posição, e a luta voltou em pé. Kara-France fez  Royval bambear, mas uma joelhada do americano causou um knockdown em Kara-France. Royval tentou uma guilhotina, mas o combate voltou de pé com uma trocação franca numa luta que parecia videogame.

No segundo round, ambos foram com tudo pra cima, Kara-France tentou uma queda e deixou o pescoço exposto, Royval pegou numa bela guilhotina que forçou o adversário bater. Que finalização! Que luta! Que vitória de Brandon Royval!
 

Vitória brasileira! Ketlen Vieira vence Sijara Ewbanks por decisão unânime

A brasileira, com maior envergadura, tentou buscar a luta agarrada, mas não teve muito sucesso. Enquanto isso, Ewbanks tocava mais em Ketlen, mas sem tanta efetividade. Ketlen Vieira, colocou para o chão no fim, mas não teve muito tempo para trabalhar.

No segundo assalto Ketlen conseguiu colocar pra baixo, mas não aproveitou a posição e o confronto voltou de pé. As duas não conseguiram bons golpes e, no fim, ambas foram para trocação franca, com a brasileira acertando um bom golpe.

Sijara Ewbanks veio pelo round final melhor, com boas sequências, levando dificuldades para a brasileira. Porém, Ketlen Vieira achou boas combinações de golpes curtos, equilibrando o assalto. No final Ketlen tentou pegar a perna de Ewbanks para buscar uma finalização, mas o tempo acabou. Vitória apertada da brasileira.
 

Gritou! Hakeem Dawodu vence Zubaira Tukhugov por decisão dividida

Luta muito estudada no início. Dawodu se movimentava mais, mas sem soltar o jogo, enquanto Tukhugov ficava mais estático. Ambos tentavam se acertar, mas ninguém foi efetivo durante todo o round inicial.

O segundo assalto começou mais agressivo, com Tukhugov melhor, tocando mais em Dawodu, que acertava bons chutes baixos por sua vez. Quando o canadense era melhor em pé, Zubaira conseguiu levar para o chão, mas não foi muito efetivo na luta agarrada.

Dawodu, mais ágil acertava mais golpes limpos, porém, sem muita potência. Tukhugov tentava aproximar e colocar pra baixo, mas o canadense defendia muito bem as quedas. Na reta final do round Hakeem baixou a guarda e começou a xingar e gritar com Tukhugov, pedindo para o russo lutar, que imóvel aceitava isso. Dawodu não convenceu o adversário a entrar no “in fight”, mas acabou vencendo o combate.

 

Card Preliminar

O americano foi superior! Brad Riddell vence Alex da Silva por decisão unânime

Companheiro de treinos de Adesanya, Brad Riddell, enfrentou o brasileiro Alex da Silva.

No primeiro round, o brasileiro foi melhor com uma queda e bons golpes no chão.

No segundo, Riddell tentou várias quedas, mas o brasileiro conseguiu defender todas. Riddell, por outro lado, teve mais volume de golpes e levou o round.

No terceiro e decisivo assalto, Riddell manteve o ritmo forte com mais golpes, sendo que o brasileiro pareceu ter cansado. Riddell acertou um golpe fortíssimo no brasileiro, que reclamou de dedo no olho e o juiz interrompeu (erro de arbitragem absurdo). O brasileiro voltou com o olho muito machucado e Riddell aproveitou bem com ótimos golpes para vencer o combate.


Está chegando a hora do Diego parar! Jake Matthews vence Diego Sanchez por decisão unânime

A lenda Diego Sanchez enfrentou a jovem promessa australiana, Jake Matthews.

Os dois primeiros rounds se resumiram a Diego Sanchez tentando encaixar sequências de golpes e Matthews contra-golpeando seu adversário com socos.

No terceiro round, Matthews encaixou uma ótima sequência que resultou num knockdown em Sanchez. No chão, conseguiu ótimos golpes, mas quase foi finalizado com uma chave de braço. Vitória por decisão unânime de Jake Matthews.


Não deu nem para suar! Ludovit Klein vence Shane Young por nocaute no primeiro round

O companheiro de treinos de Adesanya, Shane Young, enfrentou o estreante (pegou a luta com poucos dias de antecedência) eslovaco Ludovit Klein.

A luta começa parelha, mas Klein rapidamente encontra uma ótima sequência e encaixa um chute de esquerda feroz. Após o chute, acerta uma boa sequência de socos e nocauteia seu adversário com 1:16 do primeiro round.


Domínio total! William Knight vence Aleksa Camur por decisão unânime

Confronto entre dois americanos. William Knight, vindo de vitória no Contender Series no início do mês e Aleksa Camur, que também venceu no evento.

A maior parte do primeiro round se passa no clinche. Knight quase nocauteia seu adversário faltando poucos segundos com ótima combinação de socos.

O segundo assalto se inicia no clinche, mas Knight consegue uma bela queda. Logo depois ele acha boas posições no chão e desfere golpes fortes.

O último round praticamente foi uma repetição do segundo, com Knight quedando seu adversário e encontrando bons golpes no ground and pound.


Olé! Juan Espino vence Jeff Hughes por finalização no primeiro round

Dois pesos pesados. O espanhol, Juan Espino, é mais leve e com footwork da estirpe de "THE DRAGON MACHIDA". Enquanto o americano, Jeff Hughes estava nitidamente fora de forma.

Rapidamente o espanhol aplica uma queda e consegue montar, finalizando Hughes com um Bulldog choke que fez lembrar Alexey Oleinik.


Começou morno, mas com vitória brasileira! Danilo Marques vence Khadis Ibragimov por decisão unânime

A primeira luta foi na categoria meio-pesado. O russo Khadis Ibragimov, com três lutas no UFC e três derrotas até então, enfrentou o brasileiro estreante, Danilo Marques.

O russo, apesar de não muito habilidoso, era melhor em pé, enquanto o brasileiro claramente levava vantagem  nas quedas. Danilo quedou Ibragimov por três rounds, pegou as costas em todos, mas não conseguiu a finalização.