Conteúdo

Série Brasil na Indy 500 – Tony Kanaan e a sua redenção de 2013

22 de agosto de 2020

(por Jefferson Castanheira)

Antoine Rizkallah Kanaan Filho, mas pode chamar de Tony Kanaan, ou TK pelos fãs norte-americanos. O último brasileiro vencedor das 500 Milhas de Indianapolis fecha a nossa série que homenageia pilotos brasileiros que venceram a Indy 500 e marcaram seus nomes na história na categoria. E, claro, no automobilismo nacional e internacional. Tony Kanaan, baiano descendente de libaneses, começou no kart com apenas 8 anos de idade, sendo campeão nacional e ainda por cima vencendo uma corrida especial, organizada pelo saudoso Ayrton Senna. Tony Kanaan tinha apenas 16 anos quando venceu Ayrton Senna no kart, deixando o lendário tricampeão da Fórmula 1 em segundo lugar.

Tony foi para a Europa, sendo campeão da Alfa Boxer, uma categoria italiana, e em seguida indo para a Fórmula 3, onde conquistou nove pódios. Em 1996, Kanaan resolveu tentar a sorte na Indy Lights – categoria de acesso a Fórmula Indy – sendo vice-campeão daquele ano, eleito o rookie do ano. Em 1997, o baiano continuou na Indy Lights e foi campeão da categoria, somando experiência para ir para a IndyCar Series no ano seguinte, quando foi contratado pela antiga Tasman, na CART.

Em 1999, depois de conquistar o Rookie of the Year em sua primeira temporada, venceu a sua primeira corrida. E foi logo na antiga US 500 – prova que a CART realizava no mesmo dia que as 500 Milhas de Indianapolis para rivalizar com a IRL pós-cisão da categoria – que Kanaan venceu. TK estava em segundo quando, na reta final, o carro do então líder Max Papis ficou sem combustível, e Tony Kanaan o ultrapassou nos últimos metros da corrida.

Tony Kanaan foi campeão da IndyCar Series em 2004, após bater o também saudoso e companheiro de equipe, Dan Wheldon, pelo campeonato. O baiano estava na Andretti-Green desde 2003, ficando lá até 2008 e sendo vice em 2005.

Durante toda a carreira de Kanaan, o brasileiro colecionava frustrações em Indianapolis. Chegou a ser o piloto que mais liderou a prova sem nunca ter vencido ela, com 256 voltas lideradas antes de seu triunfo, em 2013. Tony namorou com a vitória que nunca namorava ele de volta, conquistando terceiros lugares, segundo lugar, largando em 1º em 2005, mas a vitória nunca vinha. Até a chuva já atrapalhou Kanaan, mas em 2013 isso mudou. Largando da 13ª posição, TK dominou a estratégia e se viu na frente, porém, em um duelo eletrizante com Ryan Hunter-Reay, Marco Andretti e Carlos Munoz pela vitória no fim. Com grandes relargadas e uma ultrapassagem fantástica em Hunter-Reay faltando 3 voltas pro fim, TK tomou a ponta e, segundos depois, Dario Franchitti batia a sua Chip Ganassi na saída da curva 2, causando a bandeira amarela. Não dava mais tempo de retirar o carro de Franchitti para outra relargada, e Tony Kanaan cruzou, com o braço erguido, a linha de chegada na volta 200, finalmente liderando a volta certa.

Com a vitória, o público de mais de 400 mil pessoas em Indianapolis explodiu em vibração, com todos torcendo para a conclusão de uma narrativa recheada de muita luta, coragem, determinação e empenho. Finalmente, Indianapolis escolheu Kanaan para vencer.