Conteúdo

Série Análise de torcedor – O draft do Denver Broncos

2 de maio de 2020

(por Gabriel Mott)

 

Embora a temporada de 2019 tenha começado decepcionante, com um medíocre Joe Flacco comandando o ataque laranja dos Broncos, ela terminou de certa forma empolgante, com o novato Drew Lock dando cara nova à equipe de Vic Fangio na reta final,  com uma sequência de 4-1 em seus últimos 5 jogos.

Mesmo com um final de temporada promissor, ainda há espaço para que os torcedores dos Broncos tenham muitas dúvidas de como será a temporada de 2020, passando inicialmente pelo comportamento do segundo-anista Drew Lock como QB titular, assim como o entrosamento de seu ataque, que praticamente foi reconstruído nesses últimos 2 anos. Vale ainda lembrar que uma sombra paira sobre Denver, e atende pelo nome de Kansas City Chiefs, seu rival de divisão e atual campeão do Super Bowl, e que caso Denver almeje vôos mais altos, terá que pelo menos tentar equilibrar o abismo que aconteceu nos confrontos dos últimos 4 anos (0-8).

John Elway não mediu esforços para reforçar sua equipe na free agency e mesmo perdendo jogadores de peso, como o CB Chris Harris Jr que se mudou para o LA Chargers e o DE Derek Wolfe, que foi para o Baltimore Ravens, Elway trouxe o ótimo G Graham Glasgow (ex-Detroit Lions), o RB Melvin Gordon III (ex-Chargers), o CB AJ Bouye (ex-Jaguars) e o DL, 5 vezes Pro-Bowler, Jurrell casey (ex-Titans).

Como de praxe, Elway mirou em suas necessidades imediatas na free agency, para correr atrás do que faltava para equilibrar seu time no draft, que contava com uma ótima classe de recebedores, e foi exatamente o que se viu, com Elway dando armas para Lock distribuir o seu jogo, além de preencher lacunas, como a de cornerback, linha ofensiva e linebacker, o que acabou gerando elogios da critica especializada por suas escolhas, dando aos Broncos uma das melhores notas nesse draft.

 

1ª Rodada, 15ª geral: Jerry Jeudy, WR, Alabama

Os Broncos foram pacientes e tiveram muito sangue frio, pois haviam muitas equipes na sua frente com necessidades semelhantes, mas com os Jets escolhendo um OT e os 49ers trocando sua escolha com os Bucs para pegar também um OT, acabou sobrando um dos melhores WR da classe, Jerry Jeudy, no colo de John Elway.
 

2ª Rodada, 46ª geral: KJ Hamler, WR, Penn State

Embora não tenha participado do combine, Hamler era considerado um dos jogadores mais rápidos do draft, tanto que embalou uma sequência de 14 jogos com pelo menos uma big play (jogadas com mais de 20 jardas de ganho) com Penn State. Além de excelente WR, também pode atuar com retornador, porém, precisa reduzir o número do drops.
 

3ª Rodada, 77ª geral: Michael Ojemudia, CB, Iowa

Uma tradição nos drafts é que sempre bons cornerbacks acabam caindo nas escolhas, e essa é uma aposta que os Broncos fazem com Ojemudia, que foi uma escolha muito mais baseada em seu potencial do que em sua produção.
 

3ª Rodada, 83ª geral: Lloyd Cushenberry III, C, LSU

Novamente a paciência dos Broncos no draft pode ter sido recompensada, já que Cushenberry era tido como uma escolha de segunda rodada. Com uma ótima amplitude dos braços e rapidez na leitura da defesa adversária antes do snap, Cushenberry tem tudo para começar a temporada como titular.
 

3ª Rodada, 95ª geral: McTelvin Agim, DT, Arkansas

Solidificando ainda mais sua linha defensiva, os Broncos selecionaram o versátil Agim ainda na 3ª rodada, que embora jogue preferencialmente como DT, fez bons snaps com DE jogando por Arkansas, se enquadrando principalmente no esquema 3-4 de Vic Fangio.
 

4ª Rodada, 118ª geral: Albert Okwuegbunam, TE Missouri

Outra aposta que Elway fez nesse draft, mostrando que o provável esquema ofensivo de Pat Shurmur deva utilizar mais TEs do que de costume, já que draftou Noah Fant como escolha de 1ª rodada em 2019 e contratou Nick Vannett (ex-Steelers) na free agency. Okwuegbunam realmente tem muito potencial, já que é muito veloz, qualidade rara em TEs, porém, precisa de mais polimento na qualidade das rotas, mas mesmo assim não deixa de ser um problema para os defensores.
 

5ª Rodada, 178ª geral: Justin Strnard, LB, Wake Forest

Considerado um dos melhores prospectos de special Teams, Strnard vem de uma temporada onde liderou sua equipe em interceptações e tackles no special team.
 

6ª Rodada, 181ª geral: Netane Muti, OG, Fresno State

Embora vindo de uma lesão no tendão de Aquiles, Muti mostrou bom desempenho com o jogo corrido, abrindo caminho para seus running backs, assim como uma boa proteção ao passe.
 

7ª Rodada: 252ª geral: Tyrie Cleveland, WR, Florida

Cleveland seria mais uma alternativa para o seu corpo de recebedores, já que precisa de mais polimento, e em sua última temporada com os Gators terminou somente com 25 recepções e 1 TD.
 

7ª Rodada: 254ª geral: Derrek Tuszka, OLB, North Dakota State

Embora jogando em uma liga menor, Tuszka foi dominante, sendo 3 vezes campeão consecutivo, com 31 tackles para perda de jardas e 21 sacks combinados nas suas últimas 2 temporadas.