Conteúdo

Salut au LOSC! Lille vence o Angers e conquista seu quarto título francês após uma espera de 10 anos

23 de maio de 2021

(por Matheus Correia)
 

A vitória era necessária para a equipe do Lille soltar os gritos de campeão depois de dez anos. Na última conquista, Rudi Garcia era quem comandava, e a equipe contava com nomes como Idrissa Gueye (hoje no PSG), Debuchy e Moussa Sow. Desta vez, vimos um excelente trabalho feito por Christophe Galtier, com um time que joga de forma intensa, veloz e com muita movimentação fora da bola. Nomes como Renato Sanches, Burak Yilmaz, Mike Maignan, Benjamin André e José Fonte podem ser considerados destaques. Fonte, capitão da equipe, ficou de fora desta partida, por excesso de cartões amarelos acumulados.  

Sem surpresas, os “Les Dogues” conseguiram vencer a mediana equipe do Angers, conquistando um título com um significado especial, destronando o bilionário PSG com uma equipe de nomes muito menos badalados e com cifras muito menores investidas. Mesmo longe da torcida, e com Galtier provavelmente saindo em destino ao Nice, a taça veio, superando uma crise na diretoria no final do ano passado, envolvendo dívidas e mudanças de cargos.  

Mesmo jogando no 4-4-2, o Lille buscou jogadas no início da partida explorando velocidade pelos lados, ou tentando enfiadas para os dois jogadores de frente através de bolas longas. O Angers, sem muita surpresa, jogava mais recuado, e tinha uma considerável lentidão na transição ofensiva, dependendo de jogadas individuais ou lançamentos para chegar no ataque. Para uma partida com esta importância, era necessário para os visitantes não demonstrar nervosismo, sem deixar a ocasião atrapalhar a parte mental da equipe.  

E nervosismo, definitivamente, não foi o que Jonathan David demonstrou quando ficou frente a frente com Paul Bernadoni. Renato Sanches arrancou pelo meio e calculou o passe no momento perfeito, encontrando David livre entrando na área. O canadense teve frieza, e chutou rasteiro por baixo do goleiro, abrindo o placar e deixando o Lille com uma mão na taça.  

Os mandantes até conseguiam aparecer no último terço do campo, mas faltava repertório para quebrar a barreira defensiva do Lille. O meia Fulgini era quem mais tentava, com chutes de fora da área. O restante do primeiro tempo foi morno, com a equipe de Christophe Galtier com dificuldades em encaixar jogadas no ataque, também com lentidão na transição, mas sofrendo pouco defensivamente. O Angers subiu a marcação nos minutos finais, mas a boa movimentação fora da bola dos jogadores de defesa do Lille impediu que uma jogada bem trabalhada ocorresse.  

Aos 45 minutos, Yazici tentou uma enfiada de bola para Jonathan David, que acabou sendo interceptado pela defesa. Entretanto, o canadense insistiu na jogada e recuperou a bola, ficando cara a cara com Bernardoni, tirando dele e sofrendo o toque com os braços do goleiro, sendo marcada a penalidade máxima. O artilheiro Burak Yilmaz foi para cobrança e finalizou no canto esquerdo: bola de um lado, goleiro do outro. Décimo quinto gol do turco no campeonato, 2 a 0. Um placar espetacular para a equipe do Lille ir de cabeça fria para o vestiário, mais próxima do que nunca da taça.  

Logo no início da segunda etapa, Renato Sanches perdeu uma grande oportunidade. O português fez tabela com Burak, partiu em velocidade no lado direito, mas finalizou mal, preferindo o chute forte ao cruzado. O Lille passou a controlar a partida, com seus dois atacantes jogando no limite da linha de impedimento, esperando enfiadas de bola no espaço. Sanches foi um dos grandes da equipe, praticamente onipresente no campo, participando tanto na defesa quanto no ataque. Foi o motorzinho no meio-campo ditando o ritmo de jogo.  

Já Fulgini, continuou carregando o ataque do Angers nas costas. Foi protagonista da primeira grande chance da equipe, com um chute cruzado defendido por Mike Maignan. O zagueiro Romain Thomas também levou perigo ao gol de Maignan, após uma cobrança de falta. Thomas subiu alto, mas acabou cabeceando por cima do gol. Fulgini novamente fez Maignan trabalhar, desta vez com um chute de fora da área. O camisa 10 do Angers sobrava tecnicamente em relação aos seus companheiros, que tinham dificuldades até mesmo para vencer seus marcadores no um contra um. A equipe da casa passou a ficar mais com a bola, atacando muito mais em relação ao primeiro tempo e ficando muito perto de descontar no placar. E o tento veio nos últimos minutos; e ninguém melhor para marcar do que Fulgini. Em cruzamento, o meia se viu livre na área e cabeceou para o fundo da rede de Maignan. 

Resultado: Angers SCO 1 – 2 Lille 

“Ce soir, on va chanter: Allez Lille!”. Depois de dez anos, se mantendo entre as equipes do topo da tabela na Ligue One, “Les Dogues” conseguiram o título mesmo perante as adversidades internas do clube. Um trabalho espetacular de Galtier, uma equipe que joga de forma intensa e com garra, superando as cifras que geralmente dominam o campeonato. Uma vitória tranquila, com ótima performance de Renato Sanches e um gol de um dos principais destaques na reta final, Burak Yilmaz. Parabéns, Lille!