Conteúdo

Saiba tudo o que aconteceu na semana de treinos das 500 Milhas de Indianapolis

21 de maio de 2021

(por Jefferson Castanheira)|
 

A semana foi imensamente agitada no Indianapolis Motor Speedway. As equipes e os pilotos foram se preparando para o final de semana de classificação para a 105ª Edição das 500 Milhas de Indianapolis, e o que foi visto no final das contas foi um belo domínio do motor Honda contra o Chevrolet – o mesmo caso do ano passado quando os motores japoneses foram mais rápidos no geral. 

A semana de testes começou na terça feira (18) com os carros e pilotos sentindo a pista, testando configurações de aerodinâmica e situações de corrida. Neste primeiro dia, ainda em reconhecimento geral da pista, Graham Rahal foi o mais rápido com média de 223.449mph. Mas, quando a terça terminou, Will Power colocou a Penske no lugar mais alto com uma média já mais rápida de 226.47mph. Na quarta-feira, o dia ficou marcado por um acidente de Santino Ferrucci, que saiu com dores na perna – mas, no dia seguinte, já estava na pista voando baixo. Além do acidente de Santino Ferrucci, um momento que gerou controvérsia foi um quase acidente – que seria imensamente grave – quando Colton Herta por muito pouco não atingiu o carro de Scott McLaughlin, quando os carros da Rahal Letterman Racing estavam posando para a foto fazendo uma formação em linha na saída da curva 4. “Eles estavam em uma formação de três lado a lado para uma foto durante um treino da Indy! Eles estão a 160 km/h na reta enquanto o resto está andando a 354 km/h. O responsável por isso é um completo idiota, tive sorte de escapar ileso”, esbravejou Herta. Ainda antes do Fast Friday, foi confirmado que Danica Patrick, vencedora do GP de Motegi na Fórmula Indy em 2008, guiará o Pace Car nesta edição da Indy 500. Antes mesmo do Fast Friday, os carros da Indy já conseguiram passar da barreira de 230mph nas retas, mas a média continuou abaixo com o brasileiro Tony Kanaan sendo o mais rápido na pista, com média de 225.341mph, com Helio Castroneves em 7º. 

Chegado o dia mais rápido dos treinos, a “Sexta-Feira Rápida” foi bastante agitada e sem acidentes, e com isto, dois cenários foram montados para o início das qualificações deste final de semana: Nas voltas lançadas que simulam a classificação (conjunto de quatro voltas que resulta a média que dá a qualificação pro piloto), Marcus Ericsson foi o mais rápido 231.950mph, seguido de Colton Herta, Pato O’Ward, Alexander Rossi e Stefan Wilson. Mas em velocidade geral, os quatro carros da Chip Ganassi foram os mais rápidos na pista, com Scott Dixon liderando com 233.302mph e Tony Kanaan em 3º. Helio Castroneves foi o 21º, com Pietro Fittipaldi em 18º. 


Afinal, quem está em alta e quem se preocupa?

Os favoritos de fato são os carros da Chip Ganassi – Scott Dixon, Tony Kanaan, Marcus Ericsson e Alex Palou estão muito rápidos, além dos carros da Carpenter e da McLaren. Colton Herta, Pato O’Ward e Alexander Rossi podem se classificar bem para o “Fast Nine” do “Pole Day” no domingo. Helio Castroneves parece estar se adaptando na Meyers-Shark depois de 20 anos na Penske, e está no meio do pelotão, assim como os carros da Penske com seus motores Chevrolet. A luz de alerta ficou acesa para Juan Pablo Montoya, pois o colombiano não teve resultados muito promissores até então, assim como os carros da AJ Foyt, mais lentos que o resto do pelotão – com Bourdais, Kellett, Kimball e Hildebrand sofrendo. Pietro Fittipaldi vem se adaptando também e deve compor o meio do grid.