Conteúdo

Série Análise de Torcedor: Confira a avaliação do Draft 2020 dos Ravens

29 de abril de 2020

(por Henrique Rodrigues)

 

GM dos Ravens desde 2019, Eric DeCosta parece estar deixando Ozzie Newsome, seu predecessor e um dos melhores GMs dos últimos anos, orgulhoso. DeCosta já havia feito um bom Draft ano passado e mandou muito bem mais uma vez. Sem se desesperar nas escolhas, ele conseguiu adicionar boas peças para a defesa e melhorar o entorno de Lamar Jackson.

Logo na primeira rodada, o GM mostrou paciência ao não gastar capital de Draft para selecionar Patrick Queen, que caiu no colo deles na 28. Queen é um excelente linebacker e, mesmo com a sua produção limitada (um ano como titular), foi um dos pilares defensivos do time de LSU. Queen combinou um grande ano com uma excelente atuação na final contra Clemson na final, sendo nomeado MVP defensivo do jogo. 

No segundo dia, os Ravens fizeram um belo estrago, tendo 5 escolhas na sexta-feira. Começando com o RB JK Dobbins, que deve dividir o backfield com Mark Ingram, melhorando o que já era o melhor backfield da NFL. Dobbins é o primeiro jogador de Ohio State a alcançar 1000 jardas terrestres em cada um dos primeiros 3 anos e consegue produzir no jogo aéreo. 

Com 4 escolhas na terceira rodada, DeCosta e John Harbaugh escolheram dois jogadores de cada lado da bola. Uma linha defensiva que já era muito boa ganhou mais um nome em Justin Madubuike. O produto de Texas A&M consegue gerar boa pressão pelo meio da linha e teve um bom combine, correndo as 40 jardas em 4,83 segundos e tendo 31 repetições no supino. A outra peça defensiva é Malik Harrison, linebacker de Ohio State, que deve fazer uma sólida dupla com Patrick Queen no meio do campo. 

Para o ataque, os Ravens trouxeram o WR Devin Duvernay, de Texas, e o guard Tyre Phillips, de Mississippi State. Duvernay mostrou excelentes mãos na carreira (1 drop) e teve uma grande produção em 2019, com 106 recepções, 1386 jardas e 9 TDs. Com essa adição, Lamar ganha mais um jogador rápido (4,39 no tiro de 40 jardas) e deve ajudar a abrir espaço para Marquise Brown.

Tyre Phillips se mostrou muito bem na proteção ao passe, cedendo apenas 2 sacks e 1 hit em quase 400 snaps. Por mais que tenha jogado de offensive tackle na faculdade, ele foi listado pelos Ravens como guard, então fica a ver onde na OL ele vai jogar, mas foi uma bela escolha. 

Com mais 4 escolhas no último dia do Draft, os Ravens escolheram jogadores que de início devem fazer parte da rotação do elenco e entrar em situações mais específicas, mas que, se lapidados, podem contribuir bastante no futuro. Harbaugh escolheu um líder e um jogador que seu irmão, Jim, fala muito bem, no guard Ben Bredeson, de Michigan. Bredeson foi o 12° jogador na história da faculdade a ser nomeado capitão mais de uma vez. 

Broderick Washington, de Texas Tech, é um que precisa ser lapidado, mas é muito instintivo e adiciona valor ao conseguir se alinhar ao longo da linha defensiva. James Proche, WR de SMU, mostrou ter boas mãos e habilidade para fazer recepções contestadas. Mesmo levando em conta os adversários, Proche teve uma produção gigante, com 111 recepções, 1225 jardas e 15 TDs. A última escolha do time, Geno Stone, safety de Iowa, se mostrou um jogador muito instintivo e inteligente, e deve ajudar bastante o time quando estiver em campo.

 

Escolhas dos Ravens

 

1ª Rodada
  • #28 - Patrick Queen, LB, LSU

 

2ª Rodada
  • #55 - JK Dobbins, RB, Ohio State

 

3ª Rodada
  • #71 - Justin Madubuike, DT, Texas A&M

  • #92 - Devin Duvernay, WR, Texas

  • #98 - Malik Harrison, LB, Ohio State

  • #106 - Tyre Phillips, OL, Mississippi State

 

4ª Rodada
  • #143 - Ben Bredeson, G, Michigan

 

5ª  Rodada
  • #170 - Broderick Washington, DL, Texas Tech

 

6ª Rodada
  • #201 - James Proche, WR, SMU

 

7ª Rodada
  • #219 - Geno Stone, S, Iowa