Conteúdo

Roger Goodell diz que alegações de Brian Flores ‘serão investigadas’

5 de fevereiro de 2022

(por Rafael Lima)
 

Horas depois do ex-técnico do Miami Dolphins, Brian Flores, entrar com uma ação de discriminação racial que incluía uma alegação de que ele foi pago para perder pelo proprietário dos Dolphins, Stephen Ross, a NFL divulgou um comunicado dizendo que as alegações de Flores eram "sem mérito”. 

Quatro dias depois, o comissário da NFL Roger Goodell enviou um memorando para as equipes dizendo que a liga não seria tão rápida em descartar as acusações.

 "Também levamos a sério qualquer questão relacionada à integridade dos jogos da NFL", escreveu Goodell perto do final de seu memorando. "Esses assuntos serão revisados ​​de forma completa e independente. Esperamos que esses especialistas independentes recebam total cooperação de todos os associados à liga ou a qualquer clube membro à medida que este trabalho avança.” Completou o comissário.

De acordo com Flores, ele recebeu US$ 100.000 por derrota em sua primeira temporada com os Dolphins. Depois de perder os primeiros sete jogos da temporada, Miami terminou com cinco vitórias nas últimas nove semanas para encerrar o ano com a escolha número 5 no Draft de 2020 da NFL. Flores afirma que sua recusa em perder mais jogos causou um racha entre ele e Ross.

O memorando de Goodell disse que a NFL deve reconhecer que seus esforços para promover a diversidade nas fileiras de treinadores produziram resultados "inaceitáveis”. 

Atualmente, o treinador do Pittsburgh Steelers, Mike Tomlin, é o único técnico principal negro da NFL. Cinco vagas de ‘Head Coach' da NFL foram preenchidas no mês passado e todas foram de treinadores brancos.