Conteúdo

Rodada de Wild Card: Análise de Pittsburgh Steelers x Cleveland Browns

9 de janeiro de 2021

(por João Zarif)


A primeira semana da pós-temporada de 2020 da NFL vai ser encerrada com um grande clássico da AFC Norte no “Sunday Night Football”: Pittsburgh Steelers x Cleveland Browns. De um lado o poderoso time da casa (6 títulos da NFL), que jogará no Heinz Field, em Pittsburgh, e que não ia ao playoffs desde 2017. Do outro, o patinho feio Cleveland Browns, que não jogava o “mata-mata” da liga desde 2002, e que nunca venceu o título da liga na “era moderna”, tendo títulos apenas pré-Super Bowl.

O restrospecto entre os dois times em pós-temporada é favorável aos Steelers, com duas vitórias nos dois jogos entre as duas equipes, um em 1995, outro em 2003. Além disso, os dois confrontos recentes entre as equipes mostram certo favoritismo para Pittsburgh, que venceu em casa por 38-7 na sexta rodada, e perdeu por apenas 2 pontos (24-22), na semana passada (17), sendo que o quarterback titular, “Big” Ben Roethlisberger, foi poupado do confronto.

Apesar do favoritismo, a temporada de Pittsburgh deu sinais de inconsistência da equipe, que após iniciar a temporada com 11 vitórias seguidas, perdeu 3 jogos em sequência (Washington, Buffalo e Cincinnati), e tomou um passeio de Indianapolis na rodada 16, em casa, por 24-7, já no terceiro quarto, quando as coisas começaram a “voltar ao normal”. O time mudou da água para o vinho durante o jogo, foi bem no ataque e na defesa, virou o duelo para 28-24, venceu, e garantiu o título da divisão, com uma campanha de 12 vitórias e 4 derrotas.

O Cleveland Browns teve uma campanha que alternou grandes vitórias e derrotas pesadas, como as duas surras recebidas dos rivais de divisão, Baltimore Ravens e o próprio Pittsburgh Steelers: 38x6 e 38x7, respectivamente. Mesmo com essas derrotas a equipe passou por cima de lesões importantes para chegar aos playoffs, como a do recebedor Odell Beckham Jr (fora da temporada), e do corredor Nick Chubb, que ficou boa parte da temporada machucado. Apesar dos percalços, o time fechou com uma ótima campanha de 11 vitórias e 5 derrotas.

A equipe da casa precisará atuar como no segundo tempo do jogo contra o Indianapolis Colts: chamadas criativas no ataque, que envolvam as principais peças ofensivas. O jogo aéreo é fundamental, com passes de Roethlisberger para o trio de recebedores Diontae Johnson, Chase Claypool e JuJu Smith-Schuster, além do tight end Eric Ebron, e de James Conner, running back da equipe. Mas, isso não é suficiente. O time precisa do jogo terrestre, muitas vezes abandonado ao longo do ano. A linha ofensiva teve altos e baixos e precisa abrir espaços para Conner, além de conseguir dar tempo suficiente pra “Big” Ben encontrar seus alvos. A defesa da equipe é muito forte, tem o potencial jogador defensivo do ano (TJ Watt), mas precisa de tempo para descansar, e isso passa por um bom controle do relógio por parte do ataque.

Além de enfrentar o favoritismo dos Steelers, Cleveland terá que superar diversos desfalques. Algumas ausências estão confirmadas por conta do Covid-19. O técnico principal Kevin Stefanski está fora do jogo, além de outros 2 assistentes, e também o jogador de linha ofensiva Joel Bitonio, o safety Ronnie Harrison e o recebedor KhaDarel Hodge. Com desfalques importantes, a equipe precisará mais do que nunca estabelecer o jogo terrestre. Esta será a chave para a vitória. Diante da fortíssima defesa de Pittsburgh, longas campanhas em campo irão minar a resistência dos jogadores de defesa dos Steelers e, para isso, o time conta com Nick Chubb e Kareem Hunt, provavelmente a dupla de running backs mais talentosa da NFL. Se isso acontecer, o quarterback Baker Mayfield vai poder usar e abusar de “play-actions”, lançando para Jarvis Landry, Rashard Higgins (preso essa semana, mas que deve jogar) e também para o tight end Austin Hooper. A defesa dos Browns tem as peças necessárias para frear o ataque por vezes pouco inspirado dos Steelers.

As cartas estão na mesa, os Steelers são favoritos pelo mando de campo, campanha, pelo descanso de peças-chave na última semana, ausência de casos de Covid-19 e também pelo retrospecto, mas os Browns não podem ser descartados. Ultrapassaram inúmeras dificuldades durante a temporada, mas conseguiram chegar aos playoffs na disputadíssima AFC. Quando se trata de NFL, em janeiro, com um duelo de divisão, num domingo a noite, tudo pode acontecer.