Conteúdo

Rodada de Wild Card: Análise de Baltimore Ravens x Tennesse Titans

9 de janeiro de 2021

(por Raquel Amaral)
 

Os Ravens têm sido uma das sensações da Liga nas duas últimas temporadas, passando à condição contender para Super Bowl. Isso, naturalmente, coincide com a ascensão de Lamar Jackson.

Em 2019, o time foi o campeão da AFC Leste, terminando a temporada com um recorde de 14-2. Naquele ano, Lamar era candidato a MVP, os Ravens eram uma grande aposta para levar o Super Bowl. Mas, no meio do caminho, havia o Tennessee Titans que, de forma surpreendente, venceu a partida por 28-12.

Zebra gigante que correu pelos gramados de Baltimore em janeiro de 2020. Os Titans sofreram muito durante a temporada, tendo que substituir seu quarterback titular, Marcus Mariota, por Ryan Tannehill, que veio aquele ano em uma troca com os Dolphins.

Ninguém acreditava que Tannehill poderia levar a equipe longe. Mas, a verdade, foi que o time melhorou incrivelmente sua produtividade com a troca que, dentre outros feitos, conseguiu afinar o jogo com Derrick Henry, que atropelou as defesas adversárias.

Muitas coincidências marcaram a temporada de 2020, de ambas as equipes: um grande começo de temporada, surtos internos de COVID-19, e, ao final da regular season, classificação com 11-5.

Neste meio do caminho, os dois times se encontraram e os Ravens, mais uma vez, eram favoritos. Porém, novamente, os Titans levaram a melhor, em um jogo emocionante, que só foi decidido na prorrogação, com o placar de 30 a 24.

 

O que esperar?

Agora, chega mais um reencontro entre os times, pelo primeiro jogo dos playoffs. Seria a hora da vingança dos Ravens ou o time manterá a freguesia para os Titans?

 

Pontos fortes de cada time

Tennessee Titans: O trunfo de Tennessee está em seu ataque, o terceiro melhor da liga no geral. Como falamos, Tannehill tem se mostrado afinado com os companheiros de ataque. Em grande parte dos jogos, o quarterback mostrou precisão nos lançamentos, rapidez no raciocínio e grande versatilidade. Com isso, fechou a temporada regular em 4º lugar, com um QBR de 78,7, ficando atrás somente de Allen (81.7), Mahomes (82.9) e Rodgers (84.4). Elite!

Os recebedores também aumentaram a sua produtividade, com A.J. Brown, um dos líderes em touchdowns (11) e Corey Davis, que por pouco não chegou à marca de mil jardas.

Porém, sem dúvida, a grande estrela do time é Derrick Henry, cada vez mais imparável, chegando à marca 2.027 jardas corridas (a 5ª maior da história)! Não à toa, ele foi indicado para o primeiro time do All-Pro, entrando das especulações de MVP.

Baltimore Ravens: A potência de ataque dos Titans tem um grande desafio à frente: a defesa dos Ravens, simplesmente a segunda melhor do campeonato, tendo jogadores importantes afastados por lesão, graças à criatividade do OC Don Martindale. Para o jogo do Wild Card, Calais Campbell, Brandon Williams, Marcus Peters, Patrick Quinn e companhia estarão em campo com o foco de para Henry. Não é fácil, mas Steelers e Packers tiveram sucesso.

Outra atração dos Ravens é, sem dúvida, Lamar. Embora não tenha repetido a performance de MVP de 2019, ele fechou a "regular season" em 7º, com QBR de 73,9. O ponto forte do QB é o jogo corrido, o que dará muito trabalho à inconsistente defesa dos Titans.  

Para completar, embora os jogadores neguem, a vingança contra a eliminação do último ano e vitória nesta temporada, acabam sendo uma motivação a mais para Baltimore.

 

Pontos Fracos

Tennessee Titans: Não precisa nem pensar muito: a defesa dos Titans é, de longe, seu maior problema. Isso fica claro ao vermos os placares em alguns jogos ao longo do ano. Na maioria dos casos, o ataque marcou muitos pontos, mas diversas vezes, a defesa acabou sendo generosa com seus adversários, com isso, muitas vitórias foram sido apertadas, como foi o caso da última semana contra Houston. No jogo contra os Packers, a atuação foi ainda pior, permitindo que Adams e Rodgers desfilassem em campo. É a mais fraca defesa entre os times de playoffs, que terá de “se virar nos 30” para segurar Lamar correndo.

Baltimore Ravens: Por incrível que pareça, Lamar Jackson também pode ser uma questão para os Ravens. Sabemos que o jogo corrido dele é gigante e que ele pode resolver um jogo com as pernas. Porém, em lançamentos, o jogador é irregular. Na vitória contra os Bengals da última semana, por exemplo, foram somente 10 passes completos em 18, um aproveitamento de 55,6%. Com essa inconstância, ele acabou ficando em 22º na Liga em lançamentos.

 

Prognósticos

Há um discreto favoritismo para Baltimore, considerando, especialmente, o perigo do jogo corrido de Lamar contra fraca defesa adversária. Aí está a chave da vitória para Baltimore, que poderá explorar as enormes brechas do time defensivo de Tennessee.

Ainda assim, o resultado não é garantido, pois se a defesa do Ravens mantiver somente os olhos em Henry, o ataque de Tennessee tem meios de surpreender com o jogo aéreo da dupla Tannehill - A.J. Brown.

Em outras ocasiões, os Ravens seriam franco favoritos, mas após o histórico recente de confrontos, os Titans não são mais uma zebra e o jogo promete ser bem disputado.