Conteúdo

Review da temporada- Los Angeles Rams: Tudo pela glória!

12 de fevereiro de 2022

(por Daniel Morales)

O Los Angeles Rams terá, no próximo domingo, a chance de repetir o feito do Tampa Bay Buccaneers e se tornar campeão do Super Bowl em sua própria casa. A quinquagésima sexta edição do Super Bowl pode consagrar um trabalho muito bem feito de Sean McVay e seu staff que mesmo com times mais fracos conseguia ser competitivo. Vale lembrar que McVay foi para esteve no Super Bowl a quase três anos atrás quando seu quarteback era  Jared Goff. A defesa dos Rams, com Aaron Donald e Jalen Ramsey, também é parte importante disso. No entanto, para vencer o Super Bowl, era preciso mais.

A troca que mudou o patamar

O casamento perfeito. Se o Los Angeles Rams precisava de um QB decente para levá-lo de volta à terra prometida, Matthew Stafoord precisava de um time competitivo para finalmente poder sonhar em ser campeão. Após duros anos em Detroit, jogando pelos Lions, Stafford finalmente foi trocado e foi para cidade dos anjos para liderar o ataque do principal time de futebol americano da cidade. Os Rams, por sua vez, mandaram Goff para Detroit e mais uma escolha de primeira rodada para os leões do estado de Michigan. Era um time que precisava de um quarteback e o quarteback que precisava de um time.  

Sean McVay, Stafford e suas armas

Tudo para dar certo. Um dos melhores treinadores da liga, Sean McVay e sua grande mente ofensiva, um excelente QB e um ótimo Wide receiver. Não tem como falar dessa trajetória de LA sem falar do recebedor Cooper Kupp. O WR foi uma arma letal do ataque dos Rams durante toda temporada sendo o grande jogador ofensivo do time. São 1,947 jardas aéreas e 16 touchdowns. Números que levaram Kupp a ser nomeado o jogador ofensivo da temporada, mas o MVP também poderia caber muito bem ao jogador dos Rams.  

A temporada regular e o all in

Os Rams começaram a temporada regular a todo vapor, e a vitória contra o Tampa Bay Buccaneers na semana três por 34 a 24, mostrou que o time de Sean McVay estava quente e com Stafford e Kupp jogando muito! Só para ter uma noção, Stafford, nessa partida, lançou para 343 jardas e quatro touchdowns. O QB estava jogando em nível de MVP.

Os Rams, porém, começaram a oscilar na temporada. A primeira derrota foi logo uma surra dentro do Sofi Stadium para os Cardinals, com direito a um baile de Kyler Murray. A tabela ajudou e os Rams seguiram vencendo de adversários bem fracos como Texans, Giants, Lions e Seahawks sem Russell Wilson, porém o time não empolgava muito.

Apesar disso, os carneiros chegaram à semana da trade deadline com a seed 1 da NFC, e eles aproveitaram a chance para trocar por Von MIller e Odell Beckham Jr., aumentando ainda mais o número de estrelas em seu elenco. A defesa ficou mais forte com um front seven que tinha dois dos maiores jogadores defensivos da ultima década com Von Miller e Aaron Donald, e OBJ chegava em LA para forma uma dupla de recebedores de respeito com Kupp. Um timaço! Com certeza o mais forte da liga no papel além do ótimo head coach.

No entanto, eles demoraram para engrenar, e uma sequencia de três derrotas seguidas para Titans, 49ers e Packers pode ter custado a seed 1 para LA. O alívio veio após vitória tranquila contra os Jaguars, e as coisas aparentavam a começar a clicar quando os Rams deram o troco nos Cardinals no Arizona. Nos últimos jogos da temporada regular os Rams só perderam o ultimo jogo para os 49ers, mas o time não agradava muito em campo e Stafford oscilavs demais. Ao todo, na temporada, Stafford lançou 17 interceptações.  

Playoffs

Arizona Cardinals 

No Wild Card, um massacre. Os Rams fizeram um grande jogo contra os Cardinals no SoFi Stadium, sendo dominantes na defesa e no ataque. Enquanto Stafford passou das 200 jardas lançadas, a defesa de LA forçou duas interceptações de Kyler Murray. Vitória indiscutível por 34 a 11.  

Tampa Bay Buccaneers

O jogo contra os Buccs na Florida pelo divisional resumiu bem o que foi a temporada LA até aqui. No primeiro tempo, o time de Sean McVay passou o carro e atropelou os atuais campeões em seu próprio estádio. Porém, o caldo entornou no segundo tempo e os Rams viram um placar que chegou a ser de 27 a 3 ficar empatado, graças a Tom Brady e o grande trabalho feito pela defesa de Tampa Bay ,que apertou a OL dos Rams e conseguiu sacks além de forçar fumbles.

Depois disso, veio a dupla Stafford e Kupp, e, após um belo lançamento do QB para seu principal alvo, os Rams ficaram em boas condições para o kicker Matt Gay chutar o field goal e ganhar o jogo para Sean McVay e seus comandados. Os Rams estavam na final da NFC e jogariam em casa, mas contra um adversário que foi uma pedra no sapato dos carneiros: o San Francisco 49ers.  

San Francisco 49ers

O jogo contra os Niners foi teste pra cardíaco. Os Rams até saíram na frente com TD de Kuup, mas o time de Santa Clara virou o jogo e chegou a estar vencendo por duas posses em pleno SoFi Stadium. Era a queda de um time que deu tudo para chegar ao Super Bowl para seu rival de divisão.

Os Rams, no entanto, reagiram. Com uma grande partida da defesa e ajustes no ataque com Stafford distribuindo bem os passes e contando com Kupp, os Rams viraram o jogo após Matt Gay acertar um fácil FG para vencer a conferência e carimbar o passaporte para o Super Bowl.

O Los Angeles Rams agora terá pela frente o Cincinnati Bengals de Joe Burrow e Ja'Marr Chase, que, na AFC, eliminaram fortes adversários como os Titans de Derrick Hennry e os Chiefs de Patrick Mahomes. Porém, os carneiros terão o estádio, a cidade e quase tudo ao seu favor para no dia 13 de fevereiro festejar a conquista de seu segundo Super Bowl.