Conteúdo

Rafael dos Anjos revela convite para assistir o UFC 264, mira duelo contra McGregor e dispara: 'Estou na corrida pelo cinturão de novo'

5 de julho de 2021

(por Leandro Chagas)

Após se testar na divisão dos meio-médios (até 77kg), Rafael dos Anjos está de volta aos pesos leves, categoria onde conquistou o cinturão do Ultimate. Disposto a reconquistar o título que já foi seu um dia, em entrevista ao site "Combate", o brasileiro revelou inclusive que foi convidado para assistir de perto o UFC 264, que terá como luta principal a trilogia entre Dustin Poirier e Conor McGregor, dois dos maiores nomes da divisão até 70kg.

Direto da primeira fila do show que acontecerá no próximo sábado (10), Rafael assistirá de perto McGregor, que deveria ter lutado contra ele em 2016, no UFC 196. O carioca de 36 anos disse que não estará torcendo pelo irlandês e nem para Poirier. 

"Não vou torcer para nenhum dos dois, vou deixar eles se resolverem (risos). Espero que ninguém se machuque sério. Eu acho que o Conor e eu temos uma história, ficamos perto de lutar duas ou três vezes. Foram duas, uma eu quebrei o pé, a outra era pelo cinturão dos meio-médios no Brasil. Era meio que segredo. O Conor seria uma luta que teria uma história. Eu não tenho história nenhuma com o Poirier, nunca tive para lutar contra ele. A luta contra o Conor teria mais apelo", analisou. 

Mesmo ciente de que atualmente o cinturão dos leves está sob posse do também brasileiro Charles Oliveira, dos Anjos se colocou na rota pelo título. 

"Sou ex-campeão, estou na ativa, venho de vitória. Mudei a minha vida completamente, vivo em torno da luta. Tenho muita lenha para queimar, estou na corrida pelo cinturão de novo, para enfrentar grandes nomes. É parte da negociação. O UFC falou que quer que eu esteja no evento, estarei lá e espero enfrentar um deles. Estou nessa corrida pelo título também", disse ele.

Sem lutar desde novembro de 2020, quando derrotou Paul Felder por decisão dividida, Rafael disse estar praticamente recuperado de uma cirurgia devido a uma hérnia esportiva que o afastou temporariamente dos octógonos.

"Recebi o convite para enfrentar o Tony Ferguson no dia 15 de maio, mas a dor ainda era muita, não conseguia chutar, treinar chão. Fiz exames nos Estados Unidos e nada aparecia na ressonância. Decidi ir ao Brasil, porque poderia estar fazendo tratamento errado aqui. Meu médico Lorenzo Peixoto fez uma ressonância com manobra de balsa, que é feito só no Brasil. Você entra na máquina de ressonância, assopra a mão e viram uma disfunção na minha parede abdominal. Resolvemos fazer a cirurgia o mais rápido possível para não perder tempo", contou o veterano, que operou no dia 12 de fevereiro, confessando ainda que já está treinando de maneira moderada e ansioso para lutar novamente. 

Na reta final da fisioterapia, o faixa preta explicou ainda o que o motivou a voltar para a divisão dos leves após se "aventurar" como meio-médio. 

"Foi o contrato que assinei, tenho mais cinco lutas com o UFC. O UFC chegou para mim e falou que queria que eu lutasse pelo peso-leve. Tive que fazer uma mudança no meu estilo de vida. Foi meu acordo com eles, então ficarei direto no peso-leve. Estou amarradão. Não posso comer do jeito que gosto (risos), mas faz parte, é meu trabalho", explicou, ressaltando os cuidados que vem tendo com a alimentação. 

Treinando no Brasil, Rafael confessou também que fará o camp para sua próxima luta na Nova União, equipe comandada por André Pederneiras. De olha nas mudanças da categoria até 70kg após a aposentadoria de Khabib Nurmagomedov, o experiente atleta deu também uma previsão para retornar ao octógono e entrar na briga peli cinturão 

"Espero voltar no fim de agosto. Fui convidado pelo UFC para estar no UFC 264 para assistir ao Conor x Poirier. Espero lutar contra um dos dois. Recebi a ligação falando que me queriam no evento. Estarei em Vegas para assistir e espero lutar contra um dos dois, com o vencedor, se possível", disse ele, aproveitando ainda para analisar o esperado duelo, apontando o melhor caminho para que Dustin possa vencer McGregor mais uma vez.

"O Poirier fez uma estratégia boa, agarrar, derrubar, o que deu uma confundida nele. Os chutes na perna não eram uma coisa esperada, a parte de agarrar. Quando a luta está dando certo para ele, é monstro, vai gostando. A partir do momento que a luta vai dando errado, ele não consegue se ajustar bem. Ele é muito bom no que faz, mas se começar a dar errado, ele, pelo histórico, não consegue mudar a estratégia. Agora vou derrubar, colar, não tem muito isso. Pelo jeito que a última luta se desenrolou, o Poirier é o favorito", finalizou. 

UFC 264
10 de julho de 2021, em Las Vegas (EUA)

CARD PRINCIPAL 
Peso-leve: Dustin Poirier x Conor McGregor
Peso-meio-médio: Gilbert Durinho x Stephen Thompson
Peso-pesado: Tai Tuivasa x Greg Hardy
Peso-galo: Irene Aldana x Yana Kunitskaya
Peso-galo: Sean O'Malley x Adversário a ser anunciado

CARD PRELIMINAR
Peso-meio-médio: Carlos Condit x Max Griffin
Peso-meio-médio: Niko Price x Michel Pereira
Peso-pena: Ryan Hall x Ilia Topuria
Peso-médio: Trevin Giles x Dricus du Plessis
Peso-mosca: Jennifer Maia x Jessica Eye
Peso-médio: Omari Akhmedov x Brad Tavares
Peso-mosca: Zhalgas Zhumagulov x Jerome Rivera
Peso-médio: Hu Yaozong x Alen Amedovski