Conteúdo

Preview Playmaker Brasil - Super Bowl: Cincinnati Bengals x Los Angeles Rams

11 de fevereiro de 2022

(por Mattheus Prudente)

É hora da grande final da NFL, onde as duas melhores equipes da Liga nesse ano fazem o Super Bowl LVI. Cincinnati Bengals e Los Angeles Rams se encontram para disputar o título diretamente do SoFI Stadium em Los Angeles, neste domingo (13). 

Essa será a primeira vez dos Bengals no Super Bowl desde 1988, quando perdeu para outro time da Califórnia: o San Francisco 49ers. As duas aparições da equipe na final da NFL aconteceram nos anos 80, sem nenhum título. Eles retornam à final em sua primeira temporada com campanha positiva desde 2015, que também foi a última aparição em playoffs. 

Do outro lado, tem uma equipe que vem “se preparando” para ir ao Super Bowl nos últimos anos. Muitas escolhas de Draft gastas para montar um time de estrelas e ir para a sua segunda final desde o retorno para Los Angeles. Esse time, no entanto, é muito diferente daquele que perdeu para o New England Patriots em 2018, e isso começa com o quarerback. Saiu Jared Goff, entrou Matthew Stafford. 

Por serem de conferências diferentes, os confrontos entre as equipes são muito raros. Desde o retorno dos Rams para Los Angeles, os dois times se enfrentaram apenas uma vez, com vitória dos Rams, em LA. No entanto, a vantagem no confronto histórico é dos Bengals, que vinham de uma sequência de três vitórias seguidas antes dessa derrota. 

Retrospecto: 8 vitórias dos Bengals, 5 vitórias dos Rams 

CINCINNATI BENGALS 

Os Bengals são a história de “cinderela” desses playoffs. Depois de se classificar como campeão da AFC North, eles venceram com dificuldades o Las Vegas Raiders em casa, antes de viajar para o Tennessee e eliminar o Tennessee Titans, primeiro colocado da AFC, que contava com o retorno de Derrick Henry. 

Depois disso, foram até Kansas City para bater o poderoso Kansas City Chiefs de Patrick Mahomes, que buscava sua terceira aparição seguida no Super Bowl. Após estarem perdendo por 21 a 3, conseguiram uma grande virada para bater os Chiefs fora de casa na prorrogação, carimbando seu passaporte na final. 

Pode-se observar algumas coisas importantes nesse time dos Bengals. O trabalho impressionante do técnico Zac Taylor faz com que a equipe seja melhor na segunda parte dos jogos do que na primeira. Ajustes defensivos e ofensivos são feitos com maestria por Taylor, e foi assim que eles ganharam os jogos contra os Titans e Chiefs. 

No entanto, a equipe claramente tem problemas sérios para resolver, principalmente em sua linha ofensiva. Burrow, que ganhou o comeback player of the year depois de retornar numa lesão no joelho, não teve uma OL muito confiável durante todo o ano, e foi por seu total mérito que a equipe não sofreu um show de sacks contra os Chiefs. Contra uma linha defensiva tão boa como é a dos Rams, é difícil pensar que o quarterback consiga fazer a mesma coisa. 

Qualidades: Ajustes feitos no intervalo dos jogos 

Falhas: Linha ofensiva fraca 

Quem pode decidir? Alvos “secundários” de Burrow, aparecendo por conta da forte marcação em cima de Já'Marr Chase. 

LOS ANGELES RAMS 

Os Rams chegaram nos playoffs com uma “fama” de um time que não estava conseguindo avançar muito nos playoffs, e cheio de questionamentos por conta dos seus altos e baixos durante a temporada regular, principalmente por conta de Stafford, que teve problemas, principalmente, no meio da temporada. 

No entanto, a equipe teve uma vitória contundente contra o seu rival de divisão, Arizona Cardinals, antes de jogar contra o Tampa Bay Buccaneers fora de casa. Apesar de começar bem, a equipe teve um apagão no meio do caminho, permitindo que os Buccs voltassem para o jogo, mas conseguiram vencer no final. 

A final de conferência contra os 49ers trouxe, talvez, a melhor versão da defesa dos Rams que pudemos ver durante todo o ano, e é isso que se espera de uma defesa como a deles. Sufocante, principalmente nas trincheiras, eles não deram muitas chances para um ataque que vinha de bons jogos nos playoffs. 

No entanto, é uma equipe que claramente sofre com picos de inconsistência durante os jogos e durante as campanhas. Para enfrentar um time que se ajusta tão bem como os Bengals se ajustam, é necessário se concentrar durante toda a partida. Se conseguir fazer um jogo equilibrado entre ataque e defesa, os Rams são claros favoritos. 

Qualidades: Defesa sufocante, ataque capaz de resolver em uma bola 

Falhas: Inconsistência durante os jogos 

Quem pode decidir? Toda a linha defensiva, não dando tempo para Burrow pensar e achar seus alvos 

O JOGO 

Existem dois fatores interessantes a se pensar quando se fala nesse confronto: o antes do jogo e o durante o jogo. Antes do jogo, claramente dá para pensar que os Rams têm um time melhor no papel, pois é um time que está se preparando para esse momento nos últimos tempos, e as várias estrelas juntas numa equipe só mostra isso. 

No entanto, durante o jogo, as coisas se equilibram totalmente, ainda mais pelo histórico dos dois times durante os playoffs. Os Bengals, uma equipe que conseguiu vencer por conta de seus ajustes, contra os Rams, um time que poderia ter passado por todos os seus confrontos na pós-temporada sem muita dificuldade, mas não o fez. 

Apesar disso, os Rams venceram na sua habilidade, na força de seu elenco e na experiência de seu quarterback. Stafford sabe ganhar jogos, conhece os caminhos da Liga e já passou por muita coisa. Do outro lado, apesar de inexperiente, Burrow carrega uma “aura de Tom Brady”, ou seja, ele sempre tem um jeito de vencer. 

No final, são duas equipes que têm suas qualidades, que conseguem suas vitórias, apesar de algumas vezes essas vitórias não serem das mais bonitas. Esse jogo será decidido em quem tem mais qualidade. Nesse caso, quem tem mais peças, mais treinador, e, no final, está mais pronto para vencer são os Rams. 

QUEM É MELHOR? 

Melhor ataque: Los Angeles Rams 

Melhor defesa: Los Angeles Rams 

Melhor técnico: Sean McVay (Los Angeles Rams) 

Quem vai vencer? Los Angeles Rams