Conteúdo

Prévias da NBA: Divisão Noroeste - Como Jazz, Blazers, Thunder, Timberwolves e Nuggets se prepararam para a nova temporada

11 de outubro de 2021

(por AC Carvalho)
 

A dura Divisão Noroeste conta com três fortes candidatos a mando de quadra no Oeste - Jazz, Nuggets e Blazers - assim como os Timberwolves, que precisam urgentemente subir de patamar, e o Thunder, que se encontra numa reconstrução que deve durar mais alguns anos.
 

Utah Jazz

A última temporada serviu para o Jazz mostrar que tem força para brigar pelo título da NBA, uma vez que terminou a temporada regular com a melhor campanha geral da Liga. Donovan Mitchell se consolidou como uma das estrelas da NBA e Rudy Gobert, mais uma vez, venceu o prêmio de defensor do ano. Além deles, Jordan Clarkson foi premiado como melhor 6º homem da temporada. Destaques não faltam para o elenco da franquia de Salt Lake City.

Nos playoffs as lesões de Mike Conley e Donovan Mitchell acabaram pesando. Os armadores titulares da franquia não conseguiram ficar 100% para colocar o Jazz na final de conferência. Caso as lesões não atrapalhem novamente, não há motivos para desconsiderarmos o Jazz na disputa pelo topo do Oeste.

Reforços foram adicionados à equipe: pelo draft o time adicionou o promissor Jared Butler, que pode contribuir para a equipe logo em sua temporada de calouro. Já pela Free Agency, o veterano Hassan Whiteside foi contratado para repor a saída de Derrick Favors.

Projeção do quinteto inicial: Mike Conley, Donovan Mitchell, Bojan Bogdanovic, Royce O’Neale e Rudy Gobert.
 

Portland Trail Blazers

Uma das decepções dos últimos playoffs – mais uma vez – foram os Blazers, que acabaram sendo eliminados para um Denver sem Jamal Murray, PJ Dozier e Will Barton. O último chegou a disputar a reta final da série, mas longe de estar 100% e contribuir como de costume. Damian Lillard foi incapaz de carregar um time que mais uma vez o deixou na mão quando mais importava.

Para tentar fazer com que essa situação não ocorra mais, os Blazers trataram de adicionar o versátil Larry Nance Jr., que chegou após uma troca tripla com Cleveland e Chicago, assim como, pela Free Agency, contrataram Cody Zeller, Tony Snell e Bem McLemore. Os três últimos nomes não empolgam, mas darão um pouco mais de opção para um elenco carente em talento em sua segunda unidade.

Os Blazers precisam urgentemente mostrar evolução para tirar qualquer ideia de troca que ainda esteja na cabeça de Damian Lillard. As seguidas eliminações precoces nos playoffs têm feito com que a superestrela passe a questionar seu futuro na cidade de Portland.

Projeção do quinteto inicial: Damian Lillard, CJ McCollum, Norman Powell, Robert Covington e Jusuf Nurkic.
 

Oklahoma City Thunder

Se existe uma franquia que é incapaz de empolgar seu torcedor, pelo menos para um futuro próximo, é Oklahoma. A reconstrução da equipe parece ser interminável e não há indícios do time voltar a ser competitivo tão cedo.

No draft deste ano, Oklahoma surpreendeu ao selecionar o australiano Josh Giddey com a 6ª escolha geral. Além dele, também chegou pelo draft o armador Tre Mann e, numa troca com Utah Jazz, o experiente Derrick Favors.

Mais uma campanha sem muitas vitórias aguarda o torcedor de Oklahoma. A torcida será para que os jovens atletas mostrem boa evolução e que uma boa escolha do draft esteja à disposição após o término da temporada.

Projeção do quinteto inicial: Shai Gilgeous-Alexander, Luguentz Dort, Aleksej Pokusevski, Darius Bazley e Isaiah Roby.
 

Minnesota Timberwolves

Os Wolves parecem estar presos numa zona mediocridade que impede com que Karl-Anthony Towns consiga disputar partidas dignas do tamanho de seu talento. A chegada de Anthony Edwards injetou uma dose de esperança, mas as lesões parecem estar constantemente freando qualquer possibilidade do time ser competitivo.

Para a próxima temporada, Minnesota espera que D’Angelo Russell enfim consiga engrenar com a franquia e desenvolver uma conexão com KAT dentro de quadra. Malik Beasley tem que ficar longe de confusões (e da prisão) para também ajudar com o sucesso da franquia para o próximo ano. A temporada de 2021/22 será fundamental para os Wolves conseguirem justificar a manutenção da base formada nos últimos anos.

Projeção do quinteto inicial: D’Angelo Russell, Malik Beasley, Anthony Edwards, Jaden McDaniels e Karl-Anthony Towns.
 

Denver Nuggets

A lesão de Jamal Murray foi um banho de água fria nas pretensões dos Nuggets em conquistar a conferência, após a temporada de MVP de sua principal estrela – Nikola Jokic. Entretanto, caso a ausência de Murray não se estenda para toda a próxima temporada e ele consiga retornar às quadras no início de 2022, os Nuggets ainda terão boas chances de brigar por viagens mais longas nos playoffs.

Aaron Gordon, Will Barton, JaMychal Green e Michael Porter Jr. tiveram seus contratos renovados, fazendo com que a base da equipe seja a mesma para a próxima temporada. Pela Free Agency os Nuggets adicionaram o versátil Jeff Green, que ocupará a vaga deixada por Paul Millsap.

O sucesso dos Nuggets em 2021/22 dependerá da capacidade de Jamal Murray voltar às quadras. Caso não consiga, dificilmente Monte Morris, Austin Rivers e Facundo Campazzo conseguirão competir contra as estrelas do Oeste na pós-temporada. Mas, caso Murray volte no início do ano, há motivos para o torcedor de Denver voltar a sonhar com voos mais altos.

Projeção do quinteto inicial: Monte Morris, Will Barton, Michael Porter Jr., Aaron Gordon e Nikola Jokic.