Conteúdo

Poirier vence com fratura de McGregor, Durinho volta a triunfar, Sean O’Malley dá novo show e mais; Confira tudo sobre o UFC 264

11 de julho de 2021

(por Rafael Lima)
 

O UFC 264 trazia a expectativa do desfecho da trilogia entre Dustin Poirier e Conor McGregor, além de combates repletos de grandes lutadores. O evento teve a fatalidade de McGregor na luta principal, a vitória tática de Durinho, nocautes fantásticos, show de Sean O’Malley e um combate sensacional de Michel Pereira. Saiba tudo o que aconteceu nas lutas deste fim de semana. 
 

Card principal
 

Fatalidade! Dustin Poirier vence Conor McGregor por nocaute técnico

Chegou a hora da verdade! Com 1 a 1 no placar, dois dos lutadores mais empolgantes do UFC, Dustin Poirier e Conor McGregor, foram para o cage em busca de finalmente mostrar quem é o melhor e se colocar no lugar de desafiante número 1 ao cinturão peso-leve de Charles do Bronx. Poirier vem na melhor fase da carreira e, para muitos, é o melhor lutador da divisão, porém, do outro lado, McGregor tem uma precisão absurda e é o lutador dos combates milionários. Ambos tinham tudo para entregar ao público um embate histórico, daqueles que não saem da cabeça dos fãs por um bom tempo. Apesar de não ser pelo motivo esperado, essa luta realmente ficará na cabeça de todos que assistiram.

Conor McGregor começou desferindo uma série de chutes em sequência, vezes na coxa e outras no estômago, demonstrando uma postura bastante agressiva. Apesar disso, Poirier acertou duas esquerdas que abalaram o irlandês. O americano colocou a luta no chão, fugiu de uma tentativa de guilhotina de McGregor e deu uma sequência de cotoveladas contundentes. Conor aguentou bem o castigo, mas já não estava bem, a luta voltou de pé e, no momento da trocação, num azar incrível, o irlandês fraturou o tornozelo sozinho e acabou ficando impossibilitado de continuar, levando ainda alguns golpes no chão novamente até o fim do round, quando o árbitro Herb Dean percebeu a lesão e terminou o combate. O bate-boca entre Dustin Poirier e Conor McGregor seguiu após o confronto com ambos mostrando que realmente não se gostam. Poirier não tem culpa da fatalidade e merece lutar pelo cinturão.
 

Deu Brasil! Gilbert Durinho vence Stephen Thompson por decisão unânime

Combate importantíssimo para o futuro dos meio-médios. Gilbert Durinho vindo de derrota na disputa pelo cinturão contra Kamaru Usman e Stephen Thompson buscando a sua chance para se colocar na rota do título. O brasileiro é mais completo, com um jiu jitsu afiado e potência nas mãos, porém, o americano é muito experiente, tem um estilo difícil por ter a base do caratê e, se dominasse a distância, deixaria o combate complicadíssimo para o brasileiro.

O duelo começou bem estudado, Durinho cercava e dominava o centro do cage, mas ninguém tinha contundência. Depois de muita paciência na grade, o brasileiro colocou o embate no chão e caiu por cima, porém, não conseguiu ser dominante no chão, apesar de ter levado vantagem no assalto inicial.

O estudo voltou para o segundo round, quando Thompson buscou atacar com um chute forte na guarda do brasileiro, que na sequência foi para cima e acertou um bom overhand. Ambos fintavam muito, mas atacavam pouco. Na reta final do assalto Durinho colocou a luta no chão e ambos se socaram sem defesa até o gongo. Mais um round para o brasileiro.

Stephen Thompson optou por uma postura ofensiva no terceiro assalto e passou a desferir mais golpes, encurralando Durinho. Um chute rodado de Thompson fez Gilbert bater no chão e cair, o americano foi para cima, mas o brasileiro acertou bons contragolpes e, quando teve a oportunidade, colocou o embate no chão em uma entrada de velocidade e oportunismo. Gilbert Burns dominou o combate por cima, segurou Thompson e bateu para pontuar e garantir a vitória, se recuperando da derrota para Kamaru Usman.
 

"Lançou a braba"! Tai Tuivasa vence Greg Hardy por nocaute

Dois lutadores com as mãos pesadas, que traziam a expectativa de um nocaute a qualquer momento, pois ambos seguiam uma crescente na carreira e buscavam se aproximar dos duelos contra lutadores no top 10. 

Tai Tuivasa começou com bons chutes baixos que desestabilizaram Greg Hardy, porém, o americano partiu para cima e acertou uma sequência que deixou Tuivasa grogue, porém, andando para trás, o australiano fugiu do overhand e acertou um cruzado no queixo de Hardy, que desmontou o americano, terminando o embate com alguns golpes por cima. Que virada!
 

Cruzado perfeito! Irene Aldana vence Yana Kunitskaya por nocaute técnico no primeiro round

Combate entre duas mulheres que buscavam retomar o caminho das vitórias para se colocar na rota pelo cinturão peso-galo. Já que Irene Aldana vinha de derrota para Holy Holm, quando teria a chance de cinturão se vencesse, e Yana Kunitskaya tinha uma invencibilidade de duas lutas após perder para Aspen Ladd, que a fez caminhar algumas casas para trás.

Yana Kunitskaya foi com tudo para cima, desferindo muitos golpes, porém, Irene Aldana era mais precisa e acertava as bombas mais potentes, logo abrindo um sangramento no rosto da russa. 

Da metade para o fim do round inicial, um cruzado fortíssimo de esquerda de Aldana levou Kunitskaya para o chão. A mexicana partiu para cima para acabar a luta batendo por cima, Yana conseguiu sobreviver durante um tempo, mas logo a tempestade de golpes de Aldana obrigou o árbitro a parar o confronto. Vitória espetacular da mexicana.
 

Show e massacre! Sean O’Malley vence Kris Moutinho por nocaute técnico

O queridinho do UFC, Sean O’Malley, recebeu um adversário teoricamente mais fraco, mas teria que confirmar essa superioridade dentro do octógono.

Kris Moutinho começou andando para frente o tempo todo, mas não encontrava o rosto e nem o corpo de Sean O’Malley, que nos contra-ataques conseguia acertar golpes limpos. Quando faltavam dois minutos e meio, uma sequência de O’Malley fez Moutinho balançar. Porém, o descendente de portugueses foi valente e continuou indo para cima, mesmo sofrendo diversos golpes. Kris merece aplausos pela raça e absorção das bombas do favorito. Nos últimos segundos do primeiro assalto um direto de direita de O’Malley levou Moutinho ao chão, o astro tentou a finalização, mas Kris foi salvo pelo gongo.

No segundo round O’Malley seguiu desferindo um lindo repertório de golpes e todos entravam no rosto e no corpo de Moutinho, que parecia um zumbi apanhando muito e andando para frente sem encontrar o adversário. Era um verdadeiro show de Sean O’Malley. Com esquivas perfeitas e muita precisão nos socos, O'Malley passeou na segunda etapa.

No terceiro assalto Sean O’Malley seguiu com seu monólogo, acertando quase tudo o que tentava, seja na avalanche de jabs e diretos ou nos chutes plásticos. De um lado um volume de golpes absurdo e do outro uma resistência fora do normal. O’Malley apertou o passo e foi acertando uma série de golpes, Moutinho aguentava os golpes e não caía, porém, vendo o massacre que estava acontecendo, Herb Dean decidiu parar o combate, resultando num nocaute técnico de Sean O’Malley.
 

Card preliminar
 

“Pain and gain! Max Griffin vence Carlos Condit por decisão unânime

Carlos Condit tem verdadeiras guerras no currículo, mas na reta final da carreira, o gás e a vitalidade no combate não é a mesma. Contra o também experiente Max Griffin, o canadense foi dominado no primeiro round, sofrendo com as sequências de jab e direto. Condit tentou reagir e contra-atacar, mas “Pain" demonstrou estar melhor fisicamente e acertou mais golpes no terceiro assalto para garantir a vitória.
 

Luta de doido! Michel Pereira vence Niko Price por decisão unânime

Combate frenético entre Michel Pereira e Niko Price. O americano parecia mais focado, porém, o brasileiro tirava da cartola golpes imprevisíveis, como um "superman punch” pegando impulso na grade e um chute de cambalhota. Michel acertou mais golpes e foi mais contundente, além de ter apresentado dominância no chão, só que mesmo assim o combate foi uma guerra, já que Niko Price não se furtava de trocar golpes limpos num embate elétrico até o fim, que provocou aplausos do público e terminou com a vitória merecida do brasileiro. 

Mais uma para a coleção! Ilia Topuria vence Ryan Hall por nocaute no primeiro round

Ilia Topuria enfileirou mais um adversário. Versátil e criativo, o georgiano não permitiu que Ryan Hall o levasse para o chão, porém, quando teve a oportunidade de ficar por cima, desferiu uma série de golpes por cima que obrigaram o árbitro encerrar o combate. Mais uma vitória para a coleção do invicto Topuria.
 

Domínio total! Dricus du Plessis vence Trevin Giles por nocaute no segundo round

Dricus du Plessis deu um verdadeiro show de estilo. Com uma tempestade de golpes, o sul-africano dominou o combate em todas as áreas. Depois de quase finalizar e acertar belos socos limpos, du Plessis conseguiu conectar uma direita poderosa no contra-ataque para terminar o combate.
 

Mereceu! Jennifer Maia vence Jessica Eye por decisão unânime 

Jennifer Maia teve excelente atuação. Forte na trocação franca, a brasileira tinha um boxe mais técnico e ameaçava com chutes e joelhadas, demonstrando mais potência e precisão. Os golpes mais limpos eram de Jennifer e, mesmo com Jessica Eye apresentando muita raça e buscando a luta o tempo todo, a vitória foi da lutadora mais completa.
 

Duelo apertado! Brad Tavares vence Omari Akhmedov por decisão dividida 

Luta bastante equilibrada. Essa é a melhor definição para o combate entre Brad Tavares e Omari Akhmedov. O americano dominava o centro do octógono e acertava os melhores golpes, mas o russo era perigoso quando encurtava a distância e insistia em colocar o combate para baixo. Na imposição de estilos Tavares levou a melhor de forma bem apertada.
 

Levou o pescoço para casa! Zhalgas Zhumagulov vence Jerome Rivera por finalização no primeiro round

Zhalgas Zhumagulov foi totalmente dominante. Mais rápido, o cazaque encurtava a distância e pontuava, a superioridade era clara. Zhumagulov travou Jerome Rivera na grade e soube encaixar um triângulo de mão para liquidar o adversário de forma plástica. Um verdadeiro espetáculo.