Conteúdo

Pippen detona "The Last Dance" e Michael Jordan em novo livro

4 de novembro de 2021

(por Matheus Correia)

Scottie Pippen não está feliz com a maneira como ele e seus companheiros foram retratados em "The Last Dance", documentário da ESPN sobre os tempos áureos do Chicago Bulls, lançado no ano passado.

Em seu futuro livro, "Unguarded", Pippen discute o documentário e os motivos que o irritaram. O hexacampeão deixou claro que acha que a obra foi feita para glorificar Jordan e suas realizações, enquanto subestima a importância de Pippen e seus companheiros para o sucesso da franquia.

“Os dois episódios finais foram ao ar no dia 17 de maio. Semelhante aos oito anteriores, eles glorificaram Michael Jordan, mas esquecem de mim e dos meus companheiros de equipe. Michael merecia grande parte da culpa. Os produtores concederam a ele o controle editorial do produto final. Michael estava determinado a provar para a atual geração de fãs que ele era maior que tudo em sua época - e ainda maior do que LeBron James

Mesmo no segundo episódio, teve como foco retratar meu passado difícil e o caminho improvável para a NBA, a narrativa se voltou para MJ e sua determinação de vencer. Eu não era nada mais do que um objeto

Todo episódio parecia ser o mesmo: Michael em um pedestal e seus companheiros de equipe em segundo plano. Não à toa, ele se referia a nós como seu "elenco de apoio" naquela época. Recebíamos pouco ou nenhum crédito quando ganhávamos, mas a maior parte das críticas quando perdíamos”. afirmou Scottie, em entrevista à GQ. 

Pippen também se mostrou insatisfeito com os aspectos financeiros do documentário. De acordo com o ex-atleta, Jordan ganhou $10 milhões por seu papel no filme, enquanto ele e os outros jogadores do Bulls não receberam um centavo.

“Michael recebeu $10 milhões por seu papel no documentário, enquanto meus colegas de equipe e eu não ganhamos um centavo, outro lembrete da hierarquia dos velhos tempos. Por uma temporada inteira, permitimos câmeras na santidade de nossos vestiários, nossos consultórios, nossos hotéis, nossos amontoados ... nossas vidas” afirmou Pippen.

No início deste ano, Pippen admitiu que ele e Jordan nunca estabeleceram um relacionamento sólido fora das quadras devido ao status excessivo de MJ.