Conteúdo

Pilotos criticam asfalto do GP de Miami e exigem mudanças para 2023

11 de maio de 2022

(por Mattheus Prudente)

Apesar de todo o sucesso do primeiro GP de Miami da história, uma das coisas que não agradou os pilotos foi o asfalto. Por isso, eles fizeram reclamações e exigiram uma mudança para o próximo GP na cidade, que acontece em 2023. 

Os pilotos reclamaram da falta de aderência quando tentavam ir para fora da linha de corrida, afirmando que correr em Miami parecia pista molhada. Os mais vocais sobre o assunto foram Esteban Ocon, da Alpine, e George Russell, da Mercedes, e presidente da associação de pilotos da Fórmula 1. 

Ocon disse: “Nós ouvimos que o asfalto era feito com pedras da Geórgia, que eram as melhores do mundo, mas é um desastre. Nós não conseguimos ultrapassar, Mick (Schumacher) e Seb (Vettel) bateram por conta disso. Você não pode mergulhar para ultrapassar ninguém. Quando se vai para fora da linha de corrida, você perde meio segundo. Só tem uma linha. Não está funcionando.” 

Russell, por sua vez, afirmou: “Ninguém consegue ficar lado a lado com outro ploto. Não tem nenhuma aderência. É como guiar no molhado com pneus slicks quando só tem uma linha. É ‘guiável’, mas não oferece boas corridas.” 

Poucas ultrapassagens foram registradas no GP de Miami, e, desde o começo do fim de semana, o asfalto foi um problema. Os pilotos que testaram a pista antes do GP, incluindo o brasileiro Bruno Senna, reclamaram bastante do esfarelamento do asfalto, que acabou causando algumas rachaduras. Durante as sessões da F1, deu para ver alguns remendos na pista. 

Mesmo com os problemas no asfalto, o evento foi considerado um sucesso pela Fórmula 1, que adorou todo o complexo e tudo que foi feito pela organização como entretenimento. No entanto, a pista, que foi feita com um material diferente dos outros circuitos, não agradou e terá que ser repensada para os próximos anos. 

Max Verstappen acabou vencendo o GP de Miami e encurtando a desvantagem para Charles Leclerc na liderança do campenato de pilotos.