Conteúdo

Paul George minimiza as duas derrotas em casa dos Clippers na série diante dos Mavs: “Não há nenhum nível de preocupação"; Tyronn Lue concorda

26 de maio de 2021

(por Rafael Lima)
 

O Los Angeles Clippers, um dos times de melhor elenco de toda a NBA, foi surpreendido nos dois jogos em casa diante do Dallas Mavericks. A equipe californiana está perdendo a série por 2 a 0 e, para completar, as próximas duas partidas serão no Texas.

Este cenário terrível em que se meteu o LA Clippers parece não ter abalado Paul George, que falou sobre a desvantagem após o jogo 2. “Não há nenhum nível de preocupação. Sem pânico. Isso é uma competição e temos que crescer para enfrentar o momento. O fato é que não fizemos isso até agora. Precisamos praticar o nosso basquete e conseguiremos atravessar essa adversidade, sem dúvidas. É preciso encorpar a nossa defesa. Luka Doncic vai ter a posse da bola e seus pontos. Só temos que fazer um melhor trabalho fechando todos os outros jogadores”, disse PG13.

Além disso, George também explicou o “fator azarão” dos Mavericks, dando a entender que isso pode ter feito Dallas chegar mais forte nas duas primeiras partidas. “Um ‘azarão’ que ganha confiança e passa a jogar leve é o time mais perigoso que pode existir. Eu tenho certeza que todos esperavam que vencêssemos essa série, então eles entraram mais tranquilos: sem altas expectativas, atuando com muita liberdade e com uma crescente confiança. Acho que nós acabamos dando confiança demais para eles e só cabe a nós colocarmos tudo no lugar novamente”, falou a estrela de LA.

O treinador Tyronn Lue concordou com seu atleta e também minimizou o fato de sua equipe estar perdendo de 2 a 0 e ter dois jogos seguidos em Dallas. “Eu não estou preocupado. Nós temos que vencer quatro partidas, vamos para o ginásio do adversário e não haverá pressão alguma para que convertamos os arremessos. Esse foco estará neles. Simplesmente precisamos pensar em recuperar um jogo de cada vez. Viajaremos para Dallas e vamos ver se chutarão tão bem quanto fizeram até agora. É fácil alcançar isso como um visitante, como esse ‘franco atirador’”, explicou o técnico.