Conteúdo

Os domingos da NFL estão de volta! Derrota de favorito, prorrogação, NFC Oeste ‘on fire’, lei do ex e mais; confira como foram os primeiros jogos do dia

12 de setembro de 2021

(por Rafael Lima)
 

Após um início espetacular na quinta-feira, com a vitória nos segundos finais do atual campeão Tampa Bay Buccaneers diante do Dallas Cowboys por 31 a 29, chegou o primeiro domingo da temporada, onde as expectativas se confirmaram, decepções aconteceram e muita emoção tomou conta dos estádios pelos Estados Unidos. 

Homenagens e lembranças da tragédia de 11 de setembro antecederam as partidas e o hino nacional norte-americano foi cantado a plenos pulmões em arenas lotadas. 

Dentro de campo as defesas começaram se sobrepondo durante as partidas, demorou alguns minutos para Austin Ekeler anotar o primeiro touchdown da tarde, numa corrida curta na red zone. 
 

Tudo sob controle! Chargers não precisam de muito para derrotar Washington por 20 a 16 fora de casa

O jogo do time de Ekeler, o Los Angeles Chargers, contra o Washington Football Team foi um dos mais equilibrados da rodada, as defesas demonstraram qualidade, porém, os ataques demoraram a engrenar. O WFT só cresceu após a entrada de Taylor Heinicke e, após passar o tempo todo atrás no placar, o time da capital americana tomou a frente com um touchdown do tight end Logan Thomas. Apesar disso, mesmo com Justin Herbert sendo interceptado por William Jackson, os Chargers retomaram a liderança no final, com um TD de Mike Williams. Mesmo sem ter feito um TD, Keenan Allen foi o nome do jogo, recebendo para 100 jardas.
 

Atlanta é um grande decepção, de novo! Em casa, Falcons sofrem contra jovens dos Eagles, sendo derrotados por acachapantes 32 a 6

Se o primeiro TD corrido foi de Ekeler, o recebido foi do calouro DeVonta Smith, em lindo passe para 18 jardas de Jalen Hurts. O Philadelphia Eagles, que até esse touchdown estava sendo dominado pelo Atlanta Falcons, conseguiu se encontrar defensivamente, não permitiu mais grandes avanços do adversário e passou a dourtinar, se aproveitando das falhas na secundária da franquia da Georgia, e a incrível dificuldade que o time de Matt Ryan tem na redzone. Dessa forma o jogo foi totalmente controlado pelos Eagles, que mesmo sem ter uma atuação de gala, venceram com tranquilidade. Vale destacar a dupla Hurts (3TDs e 264 jardas lançadas) e Smith, que estreou com 71 jardas e o touchdown.
 

Lei do ex funciona e Panthers, em casa, vencem jogo fraco diante dos Jets por 19 a 14

Outro time que venceu, mas não encheu os olhos foi o Carolina Panthers. Sam Darnold teve altos e baixos, mas fez valer a dupla "lei do ex" com Robby Anderson, em um belíssimo TD. Tecnicamente foi a pior partida da tarde, os primeiros pontos só saíram no segundo quarto em um field goal, mas após isso, os Panthers deslancharam, teve interceptação de Shaq Thompson em Zach Wilson, a primeira do domingo, e dois TDs de Carolina antes do intervalo, abrindo 16 a 0. O segundo tempo foi de administração para uma vitória tranquila da equipe da NFC Sul. Não houve um grande destaque individual no jogo, o excelente Christian McCaffrey correu para 98 jardas, sendo importante para ganhar jardas e gastar relógio.
 

Defesa de aço! Steelers viajam até Buffalo e surpreendem os Bills por 23 a 16

Muita gente assiste a NFL pelo ataque, mas é muito bom ver uma grande defesa trabalhando e isso pôde ser visto em Buffalo. O Pittsburgh Steelers foi totalmente dominado no primeiro tempo, o ataque ficou pouco tempo em campo, sendo engolido pelas blitz dos Bills, porém, do outro lado, a defesa dos Steelers jogou bem demais para segurar os anfitriões em apenas 10 pontos na primeira metade, pois pelo volume de jogo era para a partida já ter sido definida. Na volta ao campo Pittsburgh conseguiu manter o ataque mais tempo em campo e começou a pontuar, tudo isso com a defesa não dando paz para Josh Allen, Stefon Diggs e companhia. No início do quarto período, aproveitando um cansaço maior do sistema defensivo dos Bills, Ben Roethlisberger passou para Diontae Johnson fazer o TD da virada e, com um bloqueio de punt, seguido de um touchdown de Ulysees Gilbert, praticamente liquidaram a fatura. T.J. Watt atormentou Josh Allen com dois sacks e foi o destaque do duelo.
 

Tyrod Taylor vai bem, Trevor Lawrence é irregular e Houston Texans faz a lição de casa e derrota os Jaguars por sonoros 37 a 21

Ainda na AFC, só que no Sul, Trevor Lawrence finalmente estreou na NFL, porém, não foi o início dos sonhos. O jovem quarterback teve uma atuação de altos e baixos, lançando para 332 jardas, 3 touchdowns e 3 interceptações, além disso, seu time em nenhum momento flertou com a vitória. Isto porque do outro lado o Houston Texans dominou completamente a partida, Tyrod Taylor foi muito seguro, demonstrou seu talento com as pernas e uma ótima química com Brandin Cooks, que correu para nada menos que 132 jardas. Houston nunca esteve atrás no placar e se aproveitou da fragilidade do Jacksonville Jaguars para iniciar sua trajetória na temporada com uma bela vitória dentro da divisão. Destaque para Mark Ingram, que parece roubar a cena como a principal arma terrestre dos Texans com um TD e 85 jardas corridas.
 

Ataque e defesa fortes! Seahawks se apresentam bem na estreia e derrotam os Colts em Indianapolis por 28 a 16

Agora chegamos aos jogos envolvendo equipes da NFC Oeste, a divisão mais forte da liga. O Seattle Seahawks desafiou a boa defesa do Indianapolis Colts e Russell Wilson (4TDs e 254 jardas) novamente mostrou o seu incrível talento e química com os recebedores Tyler Lockett (2 lindos TDs e 100 jardas) e DK Metcalf (1 TD e 60 jardas), furando o bloqueio dos Colts dos monstros DeForest Buckner, Khari Willis e Darius Leonard para abrir 21 a 10 no primeiro tempo e depois administrar o resultado. Se a defesa de Indianapolis foi bem, a de Seattle se apresentou de forma excelente, Jordyn Brooks, Quandre Diggs e o fantástico Bobby Wagner “jantaram” o ataque comandado por Carson Wentz, mandando um recado para o restante da liga. O Seattle Seahawks vem forte!
 

Domínio total com susto no final! Niners jogam bem, passam sufoco no final e derrotam os Lions em Detroit por 41 a 33

Já o San Francisco 49ers, apesar do fumble perdido por Jimmy Garoppolo, começou bem, mas deixou um sinal amarelo aceso no fim, sofrendo muito com o ataque dos Lions. Curiosamente o primeiro TD do jogo foi no primeiro passe de Trey Lance na NFL, conectando com Trent Sherfield, na segunda posse dos Niners. De repente o confronto se tornou um tiroteio, pontos em posses consecutivas até Jared Goff sofrer a primeira interceptação seguida de TD da temporada, numa pick-6 de Dre Greenlaw. O massacre era iminente, com San Francisco indo para o intervalo com um placar favorável em 31 a 10. Rapidamente, em um TD de 79 jardas de Deebo Samuel em passe de Garoppolo, os Niners abriam quatro posses de bola de vantagem. Com toda essa vantagem os californianos relaxaram e D’Andre Swift fez um TD corrido de 43 jardas. Apesar disso, a vantagem ainda era gigante, só que os Lions, com touchdowns em campanhas rápidas, onside kick e fumble recuperados, conseguiram reduzir a diferença para apenas oito pontos e deram um “calor” no final. Mas, já era tarde, e os 49ers seguraram o triunfo. Vale ressaltar o quarteto defensivo de San Francisco formado por Fred Warner, Jaquiski Tartt, Nick Bosa e Dre Greenlaw, além, do outro lado da bola, de Eli Mitchell (1 TD e 104 jardas) e Deebo Samuel (1TD e 189 jardas). Pelos Lions a estreia de Goff não foi nada mal, anotando 3 TDS, uma interceptação e 338 jardas lançadas.
 

Show! Arizona Cardinals tem atuação de gala e derrota os Titans no Tennessee por 38 a 13

Para completar os times da NFC Oeste que jogaram no primeiro horário de hoje, o time com a melhor atuação do dia, o Arizona Cardinals. A equipe demonstrou muita qualidade no ataque e na defesa, Kyler Murray foi espetacular, se livrando dos defensores, lançando com precisão e jogando como um franchise QB de respeito. Foram 289 jardas lançadas, 4 touchdowns e uma interceptação. A química demonstrada com DeAndre Hopkins (83 jardas e 2 TDs recebidos) e Christian Kirk (70 jardas e 2TDs recebidos) foi um show à parte, produzindo quatro touchdowns, dois deles belíssimos. Se o ataque foi excelente, a defesa não deixou a desejar, fazendo Ryan Tannehill e Derrick Henry parecerem jogadores bem abaixo de suas capacidades. A qualidade defensiva dos Cardinals salta os olhos, Isaiah Simmons, Chandler Jones, Budda Baker, JJ Watt e companhia formam um dos melhores corpos defensivos da NFL, chamando muita atenção contra um bom time. Os Titans não conseguiram jogar, mas fica difícil dizer se foi mais demérito da equipe do Tennesse ou mérito do plantel recheado do Arizona. Não vejo a hora de assistir os confrontos dentro da NFC Oeste, pois sairão faíscas.
 

Vikings erram demais, Bengals se aproveitam disso e, mesmo não tendo grande performance, vencem em casa por 27 a 24

Para encerrar, uma partida repleta de erros que acabou sendo decidida na prorrogação. Depois de um primeiro período em branco, a defesa do Minnesota Vikings, principalmente a secundária, sofreu com Joe Burrow e os jovens recebedores do Cincinnati Bengals. O primeiro TD do jogo foi da melhor jogada dos Vikings na partida, conexão Cousins-Thielen, que rendeu 2 TDs e 92 jardas. Porém, Burrow passou a castigar com seu rápido ataque e levou uma vantagem de sete pontos para o intervalo (14-7). Os Bengals conseguiam furar o falho sistema defensivo de Minnesota e ainda se aproveitavam do excesso de faltas do adversário. Tomando conta do placar durante quase o jogo inteiro, parecia que Cincinnati venceria a partida no tempo normal, mas Thielen e Osborn ajudaram o time a colocar Joseph em condições de chutar um field goal que forçaria o tempo extra. Porém, na prorrogação, com os dois times errando demais, um fumble de Dalvin Cook permitiu que os Bengals vencessem com um FG de McPherson no final.