Conteúdo

Nick Saban faz história e Alabama é campeã nacional do futebol americano, dessa vez em cima de Ohio State

12 de janeiro de 2021

(por Henrique Rodrigues)
 

Certamente os times campeões em 2020 serão lembrados por muito tempo, tanto no âmbito profissional quanto no universitário. Para Nick Saban, técnico de Alabama, tem outro motivo para ele lembrar do título de 2020. Essa foi a sétima vez que Saban levantou o troféu de campeão nacional, uma com LSU em 2003 e seis vezes com os Crimson Tide, em 2009, 2011, 2012, 2015, 2017 e 2020, superando Bear Bryant, que também ganhou seis vezes com Alabama. A final acabou não sendo o jogo que todo mundo esperava. O favoritismo de Alabama foi confirmado, mas a expectativa era de um jogo mais apertado. No entanto, desfalques de Ohio State, como os jogadores de linha defensiva Tommy Togiai e Tyreke Smith, fizeram falta. Além disso, o quarterback Justin Fields, jogou lesionado após a contusão na semifinal. Como se não bastasse, o guard Wyatt Davis, melhor prospecto de interior de linha ofensiva no Draft, se machucou no meio do jogo e não voltou para a partida. Some a tudo isso todos os méritos possíveis de Alabama, que passou o trator nos Buckeyes, construindo o placar elástico de 52-24. O destaque principal vai para o recebedor DeVonta Smith, que, além de já ter ganho o troféu Heisman, terminou o jogo com 12 recepções para 215 jardas e 3 touchdons antes de sair com uma lesão no dedo. Um dos principais prospectos dessa temporada, ele foi nomeado MVP da partida.

Outros destaques do time campeão foram Najee Harris, running back que acabou com 178 jardas totais, mais 3 touchdowns, e o quarterback Mac Jones, que deve ter garantido uma escolha de primeira rodada na NFL, terminando o jogo com 464 jardas, 5 touchdowns e 80% de eficiência nos passes. Mais três jogadores de Alabama que merecem destaque são Alex Leatherwood,  Deonte Brown e Jaylen Waddle. Leatherwood é o left tackle do time, e, com mais um jogo muito sólido protegendo o "lado cego" de Mac Jones, é quase certo que ele não vai esperar muito para ouvir seu nome ser chamado no Draft em abril. Brown joga ao seu lado, atuando como left guard, e, por mais que deva esperar mais que seu companheiro para ser selecionado, mostra que pode ser um belo jogador no nível profissional. Já Waddle é um caso especial. O jogador entrou o ano como o principal recebedor dos Crimson Tide, mas uma fratura no tornozelo sofrida no dia 24 de outubro o tirou de quase toda a temporada. Mesmo contra todas as expectativas - e recomendações - , Waddle entrou em campo na final e conseguiu 3 recepções para 34 jardas. O recebedor é mais um jogador de Alabama que deve ser escolhido na primeira rodada do Draft.

O título foi o 17º na história de Alabama, ficando a apenas um do recorde de mais títulos na história do futebol americano universitário, e, para quem está se perguntando quem foi campeão 18 vezes, foi a Universidade de Yale.
 

Final: Alabama 52 x 24 Ohio State