Conteúdo

NHL Playoffs - Com ‘show’ no gelo, Colorado Avalanche não toma conhecimento do Tampa Bay Lightning e atropela

19 de junho de 2022

(por Layo Lucena)

Na noite deste sábado (18), Colorado Avalanche e Tampa Bay Lightning se enfrentaram no jogo 2 da final da Stanley Cup, em Denver. E o confronto pode ser resumido em uma única frase: tudo estava a favor do Avalanche; nada deu certo para o Lightning.

Hoje, tivemos duas atuações bem distintas. O Avalanche fez uma de suas melhores partidas na temporada; e o Lightning passou vergonha em tudo que tentava fazer no gelo.

A noite foi toda do Avalanche. Melhor no ataque e na defesa, o time da casa não dominou o jogo e parou por ai, mas espremeu o adversário até onde dava, encurralando o Lightning sempre que podia. Com uma marcação pressão sufocante e mostrando toda a sua força ofensiva ao transformar qualquer chance no ataque em oportunidade de gol, os ‘Avs’ construíram um placar confortável logo no primeiro período e não pararam mais.   

O Avalanche abriu o placar logo nos minutos iniciais da partida. Aos dois minutos, em um power play, Nichushkin, após troca de passes de Burakovsky e Newhook, definiu, de primeira, na frente de Vasilevskiy, e o goleiro não conseguiu fazer a defesa.

Mesmo com o gol cedo, a equipe da casa não diminuiu o ritmo, e isso só fez com que o Lightning se perdesse no gelo minuto a minuto. E não demorou muito para o Avalanche marcar mais um. Aos sete, o time do Colorado recuperou o puck na defesa e Manson liderou o contra-ataque. O camisa 42 ficou cara a cara com Vasilevskiy, e o defensor - no papel de atacante - levou a melhor. Dois a zero.

Cinco minutos depois, aos 13’, mais um gol. Burakovsky aproveitou o rebote dado por Vasilevskiy após finalização de Rantanen para marcar o terceiro tento do Avalanche no primeiro período. E o Lightning parecia, além de perdido, estar se perguntando o que estava fazendo.

Novo período; mesma atuação. Mal começou o segundo tempo e os ‘Avs’ marcaram mais um gol. Aos quatro minutos, em mais um erro do Lightning na sua própria área, Rantanen roubou o puck e serviu Nichushkin, que bateu Vasilevskiy. Quatro a zero. Essa não foi a primeira vez que os ‘Bolts’ perderam o puck de forma "boba", só que desta vez resultou em gol - e isso vai voltar a acontecer no decorrer da partida.

“Virou passeio”. E o quinto tento chegou ainda no segundo período, e foi resultado de mais um turnover do Lightning. Helm, aos 16’, recuperou o puck ainda na sua área, percorreu todo o gelo e, na hora de definir, deslocou Vasilevskiy com perfeição.

Para não passar o terceiro período em branco, o Avalanche chegou ao seu sexto gol logo aos dois minutos. Makar, novamente em um contra-ataque mortal, deixou o seu e foi mais um a marcar em cima de Vasilevskiy.

“E lá vem eles de novo, amigo”. Os jogadores do Avalanche, já cansados de fazerem gols, só repetiam a mesma jogada que fizeram em um determinado momento do jogo, sempre com o mesmo resultado: gol. Aos nove, Makar, após troca de passe semelhante com a do primeiro tento, desta vez entre MacKinnon e Rantanen, marcou com muita facilidade o sétimo gol do confronto.

Um show no gelo do Colorado Avalanche, e essa atuação foi mais um indicador da grande temporada que a franquia está tendo. Para o Lightning, resta esquecer tudo o que aconteceu nesta fatídica noite de sábado, dia 18 de junho.

Vale destacar que a situação dos ‘Bolts’ poderia ser muito, muito pior se não fosse Vasilevskiy. Ok, ele tomou sete gols, mas ainda mostrou - em alguns poucos momentos - o porquê de ser o melhor goleiro em atividade na liga. O camisa 88 evitou o que poderia ter sido uma goleada ainda maior ao fazer 23 defesas em 30 disparos do Avalanche, além de alguns “milagres”.

Fim de jogo: Tampa Bay Lightning 0 x 7 Colorado Avalanche (COL 2 x 0 TB)

Valeri Nichushkin (Avalanche): dois gols

Darcy Kuemper (Avalanche): 16 defesas

Cale Makar (Avalanche): dois gols