Conteúdo

NFL vai apelar para aumentar a suspensão de Deshaun Watson, do Cleveland Browns

4 de agosto de 2022

(por Layo Lucena)

Nesta quarta-feira, 3, a NFL anunciou que vai apelar para aumentar a suspensão de seis jogos de Deshaun Watson, do Cleveland Browns. De acordo com o anúncio, a liga busca uma penalidade mais dura sob a política de conduta pessoal após a decisão da oficial disciplinar Sue L. Robinson na segunda-feira, 1.

A liga declarou, por meio de um comunicado, que o comissário da NFL, Roger Goodell, determinará quem ouvirá o recurso. De acordo com o acordo coletivo de trabalho, Goodell tem a opção de considerar o recurso por conta própria ou pode nomear um representante para fazê-lo.

Segundo a ‘ESPN’ norte-americana, a NFL está apelando por uma suspensão indefinida que seria de no mínimo um ano (como havia solicitado anteriormente), uma multa monetária (que Watson não foi cobrada por Robinson) e tratamento médico que o quarterback deverá fazer.

O sindicato também tinha o direito de apelar da decisão de Robinson, embora tenha divulgado um comunicado na noite de domingo dizendo que "manterá sua decisão" e não apelará, independentemente do resultado, e pediu à liga que concordasse com o mesmo.

A NFLPA tem até sexta-feira, 5, para apresentar uma resposta por escrito ao recurso da NFL. De acordo com o jornalista Jeff Darlington, da ‘ESPN’ norte-americana, a NFLPA estava se preparando para processar a NFL em um tribunal federal se apelasse da decisão de Robinson.

Robinson emitiu a suspensão de seis jogos na segunda-feira, 1, escrevendo em seu relatório de 16 páginas que "a NFL carregava seu ônus de provar, por uma preponderância de evidências, que o Sr. Watson se envolveu em agressão sexual (conforme definido pela NFL) contra o quatro terapeutas identificados no relatório."

Ela também afirmou que Watson se envolveu em conduta que representava "um perigo genuíno para a segurança e o bem-estar de outra pessoa, e conduta que prejudica ou coloca em risco a integridade da NFL".

Embora confiando em precedentes, Robinson procurou diferenciar entre conduta sexual violenta e não-violenta. A juíza concluiu que a conduta de Watson "não se enquadra na categoria de conduta violenta que exigiria a suspensão mínima de seis jogos" que a liga havia estabelecido como "de longe a disciplina mais comumente imposta para violência doméstica ou de gênero e atos sexuais".

Robinson também disse que a "conduta predatória de Watson lançou 'uma luz negativa sobre a Liga e seus jogadores'".

Watson foi acusado de agressão sexual e outras condutas inadequadas durante sessões de massagem em ações civis movidas por 25 mulheres. Os encontros alegados nos processos ocorreram de março de 2020 a março de 2021, enquanto Watson era membro do Houston Texans.