Conteúdo

NFL Série Unidades Lendárias - The Electric Company (Buffalo Bills)

28 de junho de 2020
14h 11

(por Eduardo Schachnik)


O.J. Simpson, antes de ficar mundialmente famoso pelas manchetes criminais, foi a sensação da NFL nos anos 70. Nesta fase, o corredor dos Bills quebrou praticamente todos os recordes possíveis para um running back: jardas corridas por jogo, por temporada, mais jogos consecutivos de 100 jardas, entre outros, alguns deles inalcançados até hoje, como a marca de mais jogos acima de 200 jardas terrestres (6). Simpson liderou a liga em jardas corridas em 4 de 5 temporadas entre 1972 e 1976.

Como é sabido, nenhum running back alcança tamanho sucesso sem a ajuda da linha ofensiva e O.J. estava muito bem servido em Buffalo. Dave Foley (LT), Reggie McKenzie (LG), Mike Montler (C), Joe DeLamielleure (RG), Donnie Green (RT) e Paul Seymour (TE) formavam a unidade que ficou conhecida como “electric company”, uma brincadeira com o apelido de O.J. Simpson: “juice”, que pode significar força, energia, algo que anima, empolga. Assim, a OL, responsável por “ligar” o eletrizante O.J, ficou conhecida como a companhia elétrica de Buffalo.

Até 1972 os Bills não conseguiam emplacar. Com a seleção de DeLamielleure no draft de 1973, a recém-formada “electric company" revolucionou o time que tinha feito uma vergonhosa campanha de 1-13 em 1971, transformando-o em um vitorioso elenco (9-5), em 1973. Bem como elevou bruscamente o patamar de O.J. Simpson, que já havia corrido para 1.251 jardas (líder da liga) em 72, tornando-o o primeiro corredor a ultrapassar as 2.000 jardas em uma temporada (1973) e o único a fazer isso em uma temporada de 14 jogos, o que lhe garantiu o prêmio de MVP. 1973 foi o grande ano dessa unidade lendária, pois além do recorde de O.J. a equipe liderou a liga em jardas corridas, jardas por carregada e touchdowns terrestres.

O.J. tratava bem seus colegas, pagando jantares e outros mimos sempre que podia, pois reconhecia sua importância. No jogo em que superou as 2.000 jardas, o corredor se negou a conceder entrevista sem seus companheiros ao lado e fez questão de dar a eles o crédito pela conquista. Todos os seus bloqueadores garantem que não havia melhor companheiro, especialmente dentro de campo, onde O.J. se doava como se todo dia brigasse por uma vaga no time.



Durante os anos da companhia elétrica, Buffalo teve 3 temporadas vitoriosas, mas apenas uma passagem (sem sucesso) pelos playoffs em 1974. Porém, sempre liderou a NFL quando o assunto era jogo corrido. Ainda, em 1975, a linha demonstrou não ser unidimensional ao se tornar o grupo que menos cedeu sacks na liga. Por fim, em 1978, após O.J. Simpson ser trocado, a OL provou seu valor, fazendo com que o substituto bem menos habilidoso, Terry Miller, terminasse a temporada em 9º lugar entre os corredores.

McKenzie e DeLamielleure eram os líderes da linha, os “melhores amigos” de O.J., já que eram os principais responsáveis por pavimentar seu caminho. McKenzie foi eleito para a seleção da NFL em 1973 e DeLamielleure, integrante do hall da fama, é reconhecido como um dos melhores a jogar na posição.