Conteúdo

NFL Série Unidades Lendárias - Big Blue Wrecking Crew (Giants)

14 de julho de 2020

(por Rodrigo Mota)


Como diz o ditado, “ataques ganham jogos, defesas ganham campeonatos”. Nós, fãs do futebol americano sabemos quanto uma boa defesa pode elevar o patamar de uma equipe de futebol americano. E o que acontece quando você tem uma das melhores unidades defensivas da história da NFL? Com certeza terá muitos anos de sucesso e, em alguns casos, títulos. Esta foi a trajetória do Big Blue Wrecking Crew, que pode ser traduzido como a equipe de demolição do Big Blue (New York Giants), algo muito similar com o que eles faziam em campo, que era literalmente demolir seus adversários.

A história começa em 1981 quando o New York Giants, que passou uma década de miséria (9 temporadas com mais derrotas que vitórias nos anos 70) faz três movimentações importantes. Primeiro a contratação de George Young como general manager, segundo a aquisição do novo head coach da equipe, Bill Parcels, e por último, mas talvez a mais importante, o draft de um jogador que mudaria pra sempre o futebol americano, Lawrence Taylor.

As movimentações de Young, junto a atitude durona de Parcels, desencadearam a criação de um dos grupos mais impressionantes já vistos de todos os setores do futebol americano, o Crunch Bunch. Esse grupo que deu início ao Big Blue Wrecking Crew, ficou conhecido por seu estilo de jogo agressivo e físico, em que aplicava-se muitos tackles e sacks em seus oponentes, o Crunch Bunch que era composto por quatro linebackers: Lawrence Taylor, Harry Carson, Brad Van Pelt e Brian Kelley. O grupo foi grande responsável em quebrar a seca dos Giants de 17 anos sem aparição nos playoffs em 1981. E apesar do desmanche em 1983, quando Van Pelt e Kelley deixaram a equipe, o Crunch Bunch foi quem deu a base a defesa que viria a ser chamada de Big Blue Wrecking Crew.

Munido das estrelas já mencionadas, em 1986, os Giants promoveram seu prodígio treinador Bill Belichick e trouxeram George Martin, Leonard Marshall e Jim Burt na linha defensiva, além de Carl Banks e Gary Reasons junto de Taylor e Carson, formando uma das melhores (se não a melhor) defesa 3-4 já executada na NFL. A unidade colocou números invejáveis, cedendo apenas 80,2 jardas terrestres por partida, além de registrar 59 sacks e 31 interceptações em apenas uma temporada, impulsionando os Giants a uma campanha de 14-2. Nos playoffs, os Giants não tomaram conhecimento e atropelaram o San Francisco 49ers liderado por Joe Montana por 49-3, no divisional round, na final de conferencia os Giants enfrentaram o Washington Redskins e também foram dominantes, especialmente na defesa, onde não permitiram um ponto sequer, vencendo por 17-0. E, para finalizar a sua campanha, o Big Blue Wrecking Crew mais uma vez se apresentou no Super Bowl XXI, quando venceu o Denver Broncos de John Elway por 39-20. A vitória marcou a primeira conquista do New York Giants de um Super Bowl, e iniciou um período de dominância de New York na década de 80.

O Big Blue Wrecking Crew continuou sendo uma unidade defensiva respeitada, mas não conseguiu alcançar o mesmo nível em 1987, 1988. Em 1989, os Giants conseguiram mais uma vez vencer a sua divisão e conquistar uma viagem a pós-temporada, mas a equipe de Nova Iorque foi eliminada logo na primeira partida para o Los Angeles Rams. A história seria diferente em 1990. Com um início intenso os Giants conseguiram vencer suas 10 primeiras partidas, com destaque especial para a defesa, que cedeu em média 11 pontos por jogo nesse período. Mesmo com uma reta final não tão produtiva os Giants ainda terminaram a temporada com números excelentes, 13,2 pontos por partida e somente permitindo quatro vezes com que seus adversários pontuassem mais de 20 pontos, somado as 23 interceptações da equipe na temporada, os Giants asseguraram a segunda melhor campanha da NFC com 13-3. Nos playoffs os Giants venceram sem dificuldade o Chicago Bears por 31-3, logo após, a defesa segurou o então bicampeão e favorito San Francisco 49ers a apenas 13 pontos, vencendo o jogo por 15-13, jogo que marcou a última atuação de Joe Montana como quarterback dos 49ers. Os Giants estavam então a caminho do seu segundo Super Bowl, e enfrentariam um adversário duro, o Buffalo Bills. Os Bills tinham o melhor ataque da temporada com 26.8 pontos por partida e vinham de dois jogos de 44 e 51 pontos no divisional round e final da AFC, respectivamente, e protagonizaram junto aos Giants, um dos melhores Super Bowls de todos os tempos. Com direito a field goal perdido com cronometro zerado e um plano de jogo (Sim um plano de jogo) que hoje está no Hall da Fama, desenvolvido por Bill Belichick para punir os recebedores de Buffalo. O Big Blue venceu o Super Bowl XXV por 20-19 segurando um dos melhores ataques a apenas 19 pontos e cravando a dominância de sua defesa.

Com o tempo passando o Big Blue Wrecking Crew sentiu também o efeito do mesmo em seus atletas. Com a partida de Bill Parcels em 1991, os Giants tiveram mais duas temporadas apagadas, em 1991 e 1992. Em 1993, a defesa voltou aparecer liderando a NFL em pontos marcados e mais algumas estatísticas, mas sofreu uma derrota dolorosa nos playoffs por 44-3 para o San Francisco 49ers. Após a conclusão da temporada de 1993, alguns pilares da equipe decidiram se aposentar, Lawrence Taylor, Carl Banks e Phil Simms deixaram a equipe decretando o fim da geração vitoriosa e do Big Blue Wrecking Crew.