Conteúdo

Nada de varrida! Na prorrogação, Canadiens vencem a primeira contra o Lightning e forçam jogo cinco

6 de julho de 2021

(por Layo Lucena)

A quarta partida da série entre Montreal Canadiens e Tampa Bay Lightning foi o melhor jogo da final da NHL até então. Equilibrado do início ao fim, os donos da casa, os Canadiens, finalmente disputaram um duelo de igual para igual contra os Bolts que, nas últimos confrontos, venceu com facilidade. O destaque da noite ficou com Nick Suzuki, que foi a principal “carta na manga” do time canadense.

O início e meio do primeiro período foram dominados pelo Lightning, com os Canadiens tendo algumas chances para assustar Vasilevskiy. No total, a equipe de Tampa fez 21 disparos ao gol de Price, enquanto os donos da casa chegaram quatro vezes. No entanto, mesmo com menos oportunidades, foram os Canadiens que abriram o placar.

No final do primeiro período, faltando cinco minutos para o fim, Suzuki, em jogada individual, foi desconcertante e acabou quebrando a marcação do Lightning que, até então, estava muito bem postada. O camisa 14, após fazer um alvoroço, serviu para Anderson, que apenas teve o trabalho de finalizar. Um a zero para os Canadiens. Logo na sequência, Vasilevskiy foi "traído" pelo disco e esse lance quase resultou no segundo gol dos Canadiens. Pouco tempo depois, os Bolts acertaram a trave faltando segundos para o fim.

O segundo período, diferente do primeiro, foi mais equilibrado, com ambas as equipes muito bem, tanto no ataque quanto na defesa. Porém, faltando três minutos para o fim, o Lightning e seu poderoso ataque chegaram ao empate. No início do lance do gol da equipe de Tampa, os Canadiens tiveram um power play claro não marcado a seu favor. Como resultado, no lance seguinte, os Bolts, em mais um erro de Petry, um dos nomes mais criticados dos Canadiens neste playoffs, empatou com Goodrow, após passe de McDonagh.

Já o terceiro período foi o mais movimentado ofensivamente, com os Bolts e os Canadiens protagonizando e desperdiçando boas chances de gols, claro, méritos, também, para os dois goleiros: Price e Vasilevskiy. Com oito minutos no cronômetro, Romanov conseguiu um pouco de espaço e finalizou para o gol, quase da linha do centro. O camisa 27 teve a felicidade de acerta um lindo disparo de longa distância, sem chances para Vasilevskiy. Dois a um para os Canadiens. Cinco minutos depois, foi a vez do Lightning responder. Em um contra-ataque rápido perfeito, Maroon igualou o placar novamente. O restante do terceiro período não teve muitos outros destaques, a não ser pela falta feita por Weber, um dos destaques da partida para os Canadiens. Lance esse que resultou em quatro minutos de penalidade a favor do time da Flórida.

Na prorrogação, os Bolts ainda tiveram três minutos da penalidade de Weber, e foram os três minutos mais longos para os torcedores da equipe canadense. O Tampa Bay Lightning tentou, tentou e tentou, mas não conseguiram capitalizar a penalidade graças a quatro incríveis defesas de Price,  e, como forma de punição, veio o grande momento do jogo. Muito parecido com o segundo dos Bolts, os Canadiens tiveram uma oportunidade muito boa em um contra-ataque liderado por Anderson. O camisa 17 foi em velocidade de lado do gelo até o gol de Vasilevskiy e serviu o seu companheiro, porém, Caufield desperdiçou a chance. No entanto, Anderson continuou atento na jogada e, caindo de costas no gelo, conseguiu aproveitar o rebote com um grande disparo. Gol. Três a dois para os Canadiens e fim de qualquer chance de varrida do Lightning.

Fim de jogo: Tampa Bay Lightning 2 x 3 Montreal Canadiens - Prorrogação - (TB 3 x 1)

Josh Anderson (Canadiens): dois gols

Nick Suzuki (Canadiens): uma assistência

Carey Price (Canadiens): 32 defesas/94% de aproveitamento

As duas equipes voltam a se enfrentar nesta quarta-feira (7), em Tampa, Flórida. O Lightning tem o objetivo claro de vencer mais uma partida para conquistar a Stanley Cup. Já os Canadiens tentam forçar um jogo seis para manter viva qualquer chance de título.