Conteúdo

Mesmo sem Dak Prescott, Cowboys vencem em Minnesota

1 de novembro de 2021

(por Henrique Gucciardi)

 

A maior história nessa semana 8 era se Dak Prescott enfrentaria os Vikings na noite de Halloween. O camisa #4 sofreu uma contusão na panturrilha no último lance do jogo contra os Patriots, na semana 6. A dúvida ficou até o aquecimento, quando Mike McCarthy resolveu por deixar Prescott de fora. Para quem vê de fora, isso dava o sinal de que os Vikings venceriam até com certa tranquilidade. O que vocês não sabem é que esse time, que é pessimamente treinado, sempre parece querer jogar no mesmo nível do oponente, e não pode ver um QB reserva que começa a jogar como se fosse jogador de ensino médio.

Cooper Rush, QB reserva de Dallas, não completava um passe na NFL desde 2017. Esse mesmo Rush passou para 325 jardas e 2 TDs, com um sendo no último minuto de jogo (e um belo passe para Amari Cooper). Isso somado a uma boa partida da defesa, deu a vantagem para os Cowboys, que venceram por 20-16. Essa é uma vitória que dá muita moral à franquia texana, vencendo sem o seu melhor jogador em um estádio extremamente hostil. Para Minnesota, eu peço a liberdade de clubistar e extravasar um pouco.

Eu juro que não consigo entender como um técnico tão ruim ainda está empregado. Ano passado dava para entender um pouco o time ter desapontado, pela quantidade de lesões importantes. Mas nesse ano o time não consegue fechar um jogo, quase perdeu para Lions e Panthers por pura incompetência. Klint Kubiak tem um ataque tão previsível que qualquer pessoa que assista dois jogos sabe as jogadas, imagina quem é pago pra isso. O time tem dois excelentes recebedores, mas por algum motivo só decide investir no ataque aéreo quando é tarde. Eu odeio Mike Zimmer.

Voltando para o jogo, os Vikings começaram com uma boa campanha, acabando em um passe de 11 jardas para Adam Thielen. Logo em seguida veio um drive bem longo dos Cowboys, mas que acabou com um field goal errado. Na campanha seguinte, tudo começou a dar errado para os donos da casa. Após um passe incompleto para Justin Jefferson, o time conseguiu apenas 3 primeiras descidas, e uma foi por falta no punter. Os Cowboys conseguiam avançar, mas não entrar na end zone, com Rush sendo interceptado uma vez e o time indo para mais um field goal, esse acertado. Com uma péssima apresentação de futebol americano, o jogo foi para o intervalo 10-3 – os Vikings também chutaram um field goal.

Na primeira posse do segundo tempo, Cedrick Wilson venceu a marcação de Mack Alexander e não tinha ninguém para pará-lo. Resultado: touchdown de 73 jardas para empatar o jogo em uma 3&8. O jogo continuava feio, com vários punts e mais dois field goals, um para cada lado. Na campanha para o chute dos Cowboys, Wilson (aquele que marcou o TD) fez o que provavelmente foi o melhor passe do jogo, para CeeDee Lamb. Esse jogo também mostrou que a lei do ex não só é mundial, mas também atravessa múltiplos esportes. Após ser deixado pelos Cowboys, o safety Xavier Woods interceptou o passe de Rush mais cedo e depois forçou um fumble no QB.

No último quarto, os Vikings ficaram novamente na frente, após mais um field goal de Greg Joseph (da linha de 5 jardas, eu odeio esse técnico). Logo em seguida, Cooper Rush, em uma campanha bizarra, conseguiu virar o jogo para os Cowboys. Foram 33 jardas em uma jogada na qual a bola bate na mão do CB dos Vikings e Amari Cooper “peteca” ela algumas vezes, um fumble forçado por Anthony Barr que voltou atrás porque Harrison Smith botou a mão na cara do defensor, e um exemplo do que não fazer, quando Mike Zimmer pediu dois tempos seguidos antes do snap. Isso transformou uma 3&16 em uma 3&11, convertida por Zeke Elliott. Na jogada seguinte Cooper faz um passe perfeito para Cooper, virando o jogo. Os Vikings não conseguiram nada na última campanha e perderam a 4ª no ano.

Kirk Cousins não fez um bom jogo, dessa vez dando motivos para quem o critica. Mas está muito errado quem acha que o QB é um problema para os Vikings. Na próxima rodada o time de Minnesota enfrenta os Ravens, fora de casa. Já os Cowboys voltam para Arlington, onde recebem os Broncos, provavelmente com Dak de novo.