Conteúdo

Mesmo contra a própria vontade, Dustin Poirier já considera enfrentar Colby Covington: “Estou meio chateado comigo mesmo por dizer que faria isso”

16 de maio de 2022

(por Rafael Lima)

Dustin Poirier ainda não quer lutar contra Colby Covington, porém, já começa a indicar que pode mudar de ideia.

Poirier (28-7) passou os últimos meses pedindo ao UFC para lutar pela primeira vez desde que foi derrotado na disputa pelo título dos leves contra Charles Oliveira, no UFC 269, em dezembro. O lutador queria um confronto com Nate Diaz, mas a promoção está relutante em fechar o acordo por Diaz estar na luta final de seu contrato.

Isso fez "The Diamond" procurar em toda parte um próximo oponente. Recentemente, ele fez um convite aberto para qualquer um no peso leve ou meio-médio e, embora tenha recebido algumas respostas, ainda permanece sem um duelo oficializado.

Poirier surpreendeu muitas pessoas quando postou nas redes sociais no fim de semana que está disposto a lutar contra o ex-companheiro de equipe Colby Covington (17-3) no UFC 277, em 30 de julho.

“Eu não odeio ninguém”, disse Poirier ao “The MMA Hour” com Ariel Helwani. “Mas se havia uma linha antes do ódio, Colby está lá. Eu realmente não gosto do cara e tenho dito que não quero que ele ganhe um dólar lutando comigo. Eles me ofereceram ele na semana passada. … Era de qualquer maneira até o final do ano e lutar por um desafiante número 1 no peso leve, ou é final de julho e esse é o nome que eles me deram. Não é um chamado dele. Eu não estou saindo do meu caminho. Eu não quero lutar com o cara. Eu não quero ele lucrando nada comigo. Mas se eles não vão me dar uma luta até o final do ano e é isso que estão me dando, eu tenho que fazer o que tenho que fazer. Eu não quero sentar em um padrão de espera. Eu lutei em dezembro, não quero ficar sentado por 10, 11 meses”. Seguiu o ex-desafiante aos leves.

Não se engane: Covington não é o próximo adversário preferido de Poirier. Ele foi inequívoco ao afirmar isso, mas Poirier está com fome de competir. Ele está chegando ao estágio de frustração em que o corpo à sua frente está se tornando cada vez menos importante, porque ele simplesmente quer soltar o braço.

Em última análise, as emoções de Poirier chegaram ao ponto em que ele disse que Covington é um confronto que ele aceita de forma realista, mesmo que não esteja entusiasmado com isso.

“Estou meio chateado comigo mesmo por dizer que faria isso”, disse Poirier. “Não que eu esteja preocupado com o cara ou seu conjunto de habilidades ou algo assim. Eu só não quero que o cara prospere porque eu disse sim para uma briga com ele. Eu não quero isso. Eu não quero que ele ganhe um dólar com qualquer coisa que eu tenha feito, ou brigando comigo, ponto final. Mas você recebe um copo de uísque. Ligam para você alguns dias antes. A merda acontece, e então você luta. Então f***. Pelo menos se é uma luta que acontece, não é uma luta que eu vou levar algum dano com esse cara.” Explica o lutador.

Se o confronto acontecesse seria um jogo de rancor legítimo. Covington disse algumas coisas muito pessoais sobre Poirier e sua família nos últimos meses, questionou a integridade pessoal do rival e muito mais.

Poirier, de 33 anos, disse que tem viseiras quando se trata de conversa fiada e distrações semelhantes. Ele já expôs sua opinião sobre Covington. “Ele é tudo o que eu não gosto nas artes marciais mistas”, falou Poirier. “Ele é um personagem de desenho animado. Tudo o que ele faz é por um clique a mais. Nada disso é autêntico. Ele pode lutar. Ele é duro. Eu estou perto dele há anos, eu o conheço por estar na academia com ele desde 2012, 2013. Ele é apenas uma farsa, uma farsa.” Afirmou.

“Está bagunçado. Você não fala sobre a família de outras pessoas, mas, novamente, eu sei que é um ato de um personagem. Mas há linhas que estão sendo cruzadas. Acho que os caras fazem isso. Mesma coisa com Conor. Falando da minha esposa. Esses caras sabem que eu não dou mais a mínima para essas coisas. Eu disse isso depois de bater na bunda de Conor em Dubai… Então eles estão tentando anexar coisas que eles sabem que eu me importo, que é minha família, minha filha.” Continuou.

Resta saber se a luta Poirier vs. Covington acontecerá. Covington ainda não falou publicamente sobre a possibilidade, mas Poirier está pronto para colocar a caneta no papel em uma luta o mais rápido possível.

“Fui eu quem disse às pessoas que elas poderiam me oferecer US$ 10 milhões e eu não lutaria com o cara”, disse Poirier. “Mas, eu quero lutar. ... Eu vou lutar com (Michael) Chandler, eu vou lutar com (Justin) Gaethje. Se Tony (Ferguson) voltar e conseguir uma vitória, vou lutar com Tony. Eu vou lutar contra qualquer um. Alguém. Qualquer um que faça sentido.” Bradou.

No mundo perfeito de Poirier, porém, ele disse que Diaz ainda é quem ele quer. "Eu e Nate Diaz estamos lutando em Dallas", disse Poirier sarcasticamente. "Estrondo. Feito. Circule seus calendários.” Completou.