Conteúdo

Mercedes domina, Bottas surpreende e é pole no GP de Portugal; Red Bull decepciona

1 de maio de 2021

(por Bruno Braz)
 

O treino oficial do GP de Portugal, em Portimão foi de domínio das Mercedes, porém, com Bottas conquistando a pole position. Confira como foi o a sessão. 

O Q1 abre com uma imagem na reta que mostrava a mensagem #ObrigadoSenna, pelos 27 anos da morte do brasileiro, exatamente no mesmo país em que conquistou sua primeira vitória na Fórmula 1. De imediato, Haas, Ferrari e McLaren vão para a pista. Ninguém queria perder muito tempo. O ponto de destaque, desde os treinos livres, é a falta de aderência dos carros, principalmente na entrada de curvas.  O setup está complicado, devido aos diversos tipos de curvas e um asfalto pouquíssimo utilizado. Quanto mais aderência colocam na frente, mais solta fica a traseira. Quanto menos na frente, menos o carro aponta para fazer a curva. Ninguém está conseguindo um acerto perfeito, deixando os carros mais nervosos que o normal. Um que perdeu o duelo com o carro no Q3, foi Perez, que protagonizou uma rodada, estragando seus pneus vermelhos.

Com quatro minutos para o fim, os eliminados eram: Tsunoda, Russell, Schumacher, Latifi e Mazepin. Um ponto que chamou a atenção foi Verstappen reclamando de falta de velocidade na reta. Com dois minutos para o fim, a zona de knockout tinha os mesmos pilotos. O destaque positivo foi Vettel, que fez um voltaço, se colocando em 4º, a dois minutos do fim do Q3. Outro que pulou bem também, foi Giovinazzi, indo para 6º no momento. Na quadriculada, Russell conseguiu um lugar no Q2. Ótima volta salvadora.

Então, os eliminados:

- Ricciardo, Stroll, Latifi, Schumacher e Mazepin. 

Para Ricciardo, péssimo, considerando que Norris passou em segundo.

Os classificados ao Q2, na ordem, foram:

- Bottas, Norris, Hamilton, Ocon, Sainz, Perez, Leclerc, Vettel, Giovinazzi, Gasly, Verstappen apenas em 11º, Tsunoda, Alonso, Raikkonen e Russell, cavando um lugar no Q2 no apagar das luzes.
 

Q2 com Mercedes na frente e Alonso deselegante

Apenas Mercedes, Red Bull e Leclerc arriscaram com pneus amarelos, os demais optaram pelos vermelhos na tentativa de cavar um lugar no Q3. Faltando três minutos, os eliminados de momento eram Giovinazzi, Alonso, Russell, Tsunoda e Raikkonen. No fim, Gasly joga Sainz na berlinda, mesmo Sainz estando com pneus vermelhos. Tsunoda não melhora, sendo de fato, eliminado. Idem para Giovinazzi, que ficou em 11º. Raikkonen também não melhorou.

O fim do Q2 foi, na ordem: Hamilton, Bottas, Norris, Ocon, Verstappen, Leclerc, Sainz, Perez, Vettel e Gasly, fechando os 10 primeiros.

Eliminados: Russel, Giovinazzi, Alonso, Tsunoda e Raikkonen, que ainda teve a volta excluída por ter excedido os limites de pista.

O destaque negativo foi para  Alonso, eliminado, com Ocon passando em 4º lugar para o Q3. Já Russell, mesmo em 11º, foi bastante comemorado pela equipe.

Ainda, durante a transmissão, Alonso foi estúpido ao ser entrevistado por Mariana Becker, mostrando aquele lado que a gente já conhece, mas que mesmo assim irrita. Deu uma de Mazepin. Estava bem nervosinho. Parece que Ocon está desestabilizando o espanhol. 
 

Hora da verdade com Mercedes na frente, além de Bottas e Sainz se destacando

 

O primeiro a impor uma volta decente foi Verstappen, mas ela acabou imediatamente excluída pelo velho limite de pista. Bottas pega o primeiro, 0.007 mais rápido que Hamilton. Com seis minutos para o fim, a ordem era: Bottas, Hamilton, Perez, Sainz, Norris, Leclerc, Gasly, Ocon, Vettel e Verstappen.

Equipes no box, trocando pneus para a tentativa final. Nesse momento, quem estava em apuros era Verstappen, sem tempo. Quatro minutos para o fim e recomeça a agitação, com todos indo para a pista. Dois minutos e 20 segundos para o fim. Expectativa sobe. Hamilton e Bottas de médios, causando surpresas. Com 1:50 para o fim, Verstappen abre sua volta derradeira. Primeira parcial, 1 décimo acima do Bottas. Segunda parcial, 0.364 acima do Bottas. Fecha em terceiro com 0.398 de atraso para Bottas. Sainz fecha a participação, assim como Ocon, ao passarem pela quadriculada. Hamilton também não consegue superar Bottas, com Vettel recebendo a bandeira quadriculada em 10º.

A classificação final foi: Bottas, Hamilton, Verstappen, Perez, Sainz, Ocon, Norris, Leclerc, Gasly e Vettel, em ordem.

Destaques para Bottas e Sainz, que superaram seus companheiros, Hamilton e Leclerc, respectivamente. Menção negativa para o quase meio segundo das Red Bull para as Mercedes (0.398 de atraso para Verstappen e 0.542 de atraso para Perez).

A Mercedes começa melhor. Não foi uma pancada leve. Parece que a Red Bull terá problemas para acompanhar as Mercedes no grande prêmio. Atacar, segundo esses tempos, parece algo meio distante, a menos que tenha um ótimo ritmo de corrida. Só que essa é justamente uma das virtudes da Mercedes.

Veremos amanhã.