Conteúdo

Melhores lutas da história do UFC - Robbie Lawler vs Rory MacDonald 2

17 de setembro de 2020
20h 16

 

(por Murilo Paiva)

O UFC 189 aconteceu em 11 de Julho de 2015, e teve a batalha mais ensanguentada que se tem notícias no UFC: Robbie “Ruthless” Lawler x Rory “The Red King” MacDonald. Foi uma guerra de cinco rounds onde "Ruthless" manteve o cinturão do peso-médio da organização. Esse duelo aconteceu no co-evento da noite, que teve como luta principal a vitória de Connor McGregor diante de Chad Mendes.

Porém, a “Batalha Sangrenta” não foi a única vez que esse guerreiros mediram força. A primeira luta entre eles aconteceu no dia 16 de Novembro de 2013, no UFC 167, e contou com a vitória de Lawler por decisão dividida dos juízes. Depois dessa luta, MacDonald emplacou uma sequência de três vitórias seguidas, com um retrospecto de respeito (18 vitórias e 2 derrotas), e garantiu a sua revanche justamente com o tittle shot. Mas, ele iria encontrar o campeão, Lawler naquele momento estava vivendo o ápice da sua carreira. Ruthless tinha acabado de conquistar o cinturão dos médios contra Johny Hendricks, e chegou com muita moral para a luta.
 

“Batalha Sangrenta”

O início foi de muito estudo dos dois lados, mas Rory MacDonald controlava melhor a distância, especialmente com seus chutes. Alguns jabs também atingiram Lawler, que tentava entrar no raio de ação do canadense. MacDonald tentou um double leg, mas o campeão fez o sprawl no tempo certo e colocou uma joelhada no rosto do oponente. O desafiante acertou golpes na linha de cintura, e o americano respondeu com cruzado e direto nos segundos finais do primeiro assalto.

No segundo round o estudo se manteve, com MacDonald controlando a distância e marcando as entradas do campeão com seus jabs. Lawler caminhava mais para a frente, mas tinha dificuldade de encontrar o rival. Um jab entrou limpo, mas Rory respondeu com chute alto, que parou na guarda. O americano passou a acertar mais golpes a partir da metade do round e abriu um sangramento no rosto do desafiante. Entrando e saindo de forma mais contundente, Lawler encontrou a distância correta e terminou o round superior ao adversário.

Lawler continuou melhor no terceiro round e ganhava confiança após cada toque no rosto do rival. MacDonald já demonstrava incômodo e tentou uma queda, mas o campeão se defendeu corretamente mais uma vez. O rosto do canadense sangrava de forma abundante. Mal dava para enxergar seus olhos e nariz, já que via-se apenas uma enorme mancha vermelha. Mesmo assim, ele colocou dois chutes altos na guarda de Lawler, que voltou a colocar pressão e controlar o centro do octógono. As combinações tocavam o rosto do desafiante de forma mais frequente e parecia sob controle. Porém, Rory MacDonald conectou um chute alto, que fez o campeão balançar. Ele foi para cima, aplicou uma sequência grande de socos e cotoveladas, além de uma joelhada voadora, e quase chegou ao nocaute, mas o campeão absorveu bem e chegou a tentar alguns contragolpes antes do crônometro zerar.

MacDonald não quis perder tempo no quarto assalto e foi com tudo para cima. Socos e chutes entravam à exaustão no rosto de Lawler, que se defendia como podia. O árbitro pediu para o campeão reagir, senão interromperia, e Robbie Lawler começou a andar lateralmente, saindo da pressão do canadense. O desafiante colocou chute alto, superman punch e jab de esquerda, mas levou um gancho de esquerda como resposta. No clinch, o campeão levou a melhor com dois socos curtos. Lawler voltou a crescer na luta, andar para a frente e trabalhar bem os jabs. Um cruzado de esquerda, seguido de uppercut e outro cruzado, acertaram o rosto do canadense. Quando acabou o round, os dois ficaram se encarando por alguns segundos, antes de irem para seus córneres.

Nos cinco minutos finais, ambos foram para a trocação franca. Os cruzados de Lawler eram respondidos pelas cotoveladas de MacDonald. Um direto de esquerda do campeão entrou em cheio no rosto do rival, que ficou de pé, colocou a mão no nariz, que pareceu estar quebrado, e caiu no chão. O americano sentiu o cheiro do sangue, aplicou mais dois socos e viu o árbitro interromper o duelo.

Uma luta histórica, entre dois verdadeiros guerreiros. Como não era de surpresa de ninguém, o combate foi considerado a Luta da Noite, garantindo (muito merecidamente) mais alguns dólares para ambos.

A “Batalha Sangrenta” entrou para a história do UFC, não somente pela entrega e coração dos atletas, mas pelo ótimo nível e transições que eles demonstraram no octógono. Nós, como amantes do MMA, esperamos ansiosos que outras batalhas como essa aconteçam nos dias de hoje. É esperar e torcer.