Conteúdo

Medvedev passa fácil e Djokovic se classifica em jogaço diante de Zverev; números 1 e 2 do mundo farão a final do US Open

11 de setembro de 2021

(por Rafael Lima)
 

Se a final feminina do US Open foi uma imensa zebra, no masculino chegaram os tenistas 1 e 2 do mundo.
 

Classificação de Medvedev com autoridade

Primeiro, o segundo colocado do ranking, Daniil Medvedev, venceu com tranquilidade o jovem canadense Felix Auger-Aliassime, chegando à final em jogo de pouco mais de duas horas.

A primeira semifinal começou muito equilibrada, com ambos confirmando seus serviços, porém, Medvedev praticamente não errava e, com a única quebra do primeiro set, o russo fez 1 a 0.

Aliassime cresceu no jogo, foi mais agressivo, e pressionou Medvedev. Com uma quebra, o canadense abriu 5 a 2 e ficou perto de vencer a parcial. Mas Daniil Medvedev salvou dois break points, retomou sua consistência e conseguiu quebrar o saque de Felix duas vezes para virar o set.

Na terceira parcial Medvedev voltou dominante, mesmo correndo riscos conseguiu quebrar duas vezes o saque de Aliassime para se garantir na decisão de forma tranquila.
 

Djokovic quebra a invencibilidade de Zverev e se garante na quarta final de Grand Slam do ano

Novak Djokovic está atrás de seu quarto título de Grand Slam do ano, que em caso de conquista será seu 21º na carreira, estabelecendo um novo recorde isolado. Para isso, teve que enfrentar o tenista mais quente do momento, Alexander Zverev, medalhista de ouro em Tóquio, que estava invicto a 16 partidas.

Para vencer, Djokovic teve que se superar novamente. Pela quarta vez o sérvio saiu perdendo a partida no primeiro set. O jogo iniciou muito equilibrado, com Zverev muito concentrado, praticamente não errando, e impondo dificuldades ao número 1 do mundo. No penúltimo game a pressão do alemão deu certo e ele conseguiu a quebra para abrir 1 a 0 na sequência.

Na segunda parcial Zverev perdeu o ritmo e passou a errar mais, com isso, Djokovic cresceu e dominou completamente o set, pressionando com bolas vencedoras para quebrar duas vezes o saque do alemão e empatar a partida. 

Alexander Zverev retomou seu ritmo, passou a pressionar e impor dificuldades para Djokovic confirmar seus serviços. Quem assistia tinha a impressão que se houvesse uma quebra ela seria causada pelo alemão, mas num game sensacional em que conseguiu três set points, Nole fez Zverev jogar como nunca, salvando um deles num incrível rally de 53 troca de bolas, mas, mesmo assim, a parcial ficou com o sérvio.

O alemão não estava na semifinal por acaso e começou o quarto set quebrando o saque de Djokovic. A partir daí, o Zverev da primeira parcial voltou e ele quase não errava, confirmando os serviços com tranquilidade para levar o jogo ao quinto set.

Na hora da decisão a categoria do número 1 do mundo prevaleceu. Variando slices e top spins na hora certa, Djoko quebrou duas vezes o saque de Zverev, quebrando também o adversário mentalmente. O alemão no final retomou a concentração, evitou o pneu, devolveu uma quebra, mas ficou por aí. 

Novak Djokovic ficou mais perto de fazer história, a final deste domingo tem tudo para ser épica.