Conteúdo

Mais um combate épico! Tyson Fury sofre dois knockdowns, mas aplica nocaute brutal em Deontay Wilder

10 de outubro de 2021

(por Rafael Lima)
 

A expectativa era de um combate épico, mas a terceira luta entre Tyson Fury e Deontay Wilder superou todos os prognósticos. Muita gente descreveu o confronto como o combate do ano e ele foi sensacional. 

Tyson Fury, dono do cinturão dos pesos-pesados do Conselho Mundial de Boxe, foi ao ringue para provar sua superioridade diante de Deontay Wilder, único lutador a empatar com o britânico, feito alcançado na primeira luta entre os dois. No segundo compromisso, Fury impôs um nocaute técnico em Wilder no sétimo round, fazendo o adversário conhecer sua primeira derrota na carreira. 

Eis que chega o terceiro combate e Wilder falou muito sobre devolver a derrota com um nocaute, já que ele é um dos maiores nocauteadores da história dos pesados com 41 vitórias pela via rápida, porém, do outro lado tinha um fenômeno chamado Tyson Fury, que não só absorve bem os golpes, como bate muito pesado, e novamente chocou o mundo.

Wilder começou mais agressivo, castigando a linha de cintura de Fury, que só reagiu no final com uma bela direita. No segundo assalto, novamente Deontay Wilder foi mais ativo, com Tyson Fury segurando e amarrando o combate. 

No terceiro round a ação aumentou. Wilder acertou Fury com boa sequência e parecia melhor, mas um overhand de direita do britânico levou o americano ao chão. Wilder voltou para o córner com as pernas bambas.

Fury voltou com tudo no quarto assalto, disposto a liquidar a fatura, mas a mão pesada de Wilder apareceu, levando o britânico à lona. Fury voltou de pé, mas o americano impôs mais um knockdown, se recuperando do terceiro assalto em grande estilo. 

O combate caiu de ritmo, mas Wilder foi um pouco mais agressivo e venceu o quinto assalto também. O sexto round também foi morno, mas Wilder começou a aparentar cansaço, embora estivesse vencendo a luta. 

Ambos voltaram nitidamente cansados pela intensidade do duelo até então, mas Fury era mais incisivo, acertou duas direitas que balançaram Wilder, porém, um diretaço de Wilder magoou o britânico. Se os dois não tivessem 100% preparados, o combate já teria terminado nesta etapa. 

No oitavo assalto Fury se mostrou muito mais inteiro, os golpes entravam mais e Wilder parecia atordoado, porém, seu direto de direita ainda era perigoso. Os médicos chegaram a examinar o americano.

O cansaço dos dois só aumentava, mas as mãos continuavam pesadas. Fury foi para cima com algumas bombas. Wilder sentia demais, mas acertou um bom direto e, no final do round 9 acabou aplicando um uppercut sensacional. Tyson Fury foi melhor, mas absorveu uma verdadeira bomba.

No décimo round Wilder foi para cima, mas um contra-ataque de Fury frustrou o americano, fazendo-o beijar a lona. Só que Wilder se recuperou e acertou uma incrível sequência nas cordas, deixando Fury em apuros. Que combate!

Então a luta chegou ao 11º assalto, ambos foram para o ringue disposto a encerrar a noite, os dois soltaram direitas simultâneas e a de Fury teve endereço certo. A partir daí o britânico impôs uma sequência pesada que fez Wilder cambalear, mas o golpe de misericórdia veio num cruzado de direita violentíssimo, que levou Wilder ao chão. A queda foi tão forte que o árbitro Russell Mora encerrou sem nem abrir contagem. 

Tyson Fury segue invicto e campeão. Ao final da luta o britânico ainda tripudiou do adversário dizendo que “este é o tipo de golpe que encerra a carreira de um lutador”, além de cantar e agradecer dentro do ringue com toda a sua simpatia habitual. Enquanto isso, Wilder foi direto para o hospital.

Fury deve enfrentar Dillian White para defender o cinturão do Conselho Mundial de Boxe, porém, a luta que todos querem ver é pela unificação de todos os títulos do pesados, contra o vencedor da revanche entre Anthony Joshua e o invicto Oleksandr Usyk.