Conteúdo

Luta épica entre Ortega e Volkanovski, que manteve o cinturão como um verdadeiro campeão; Shevchenko defende fácil seu título e mais. Tudo sobre o UFC 266

26 de setembro de 2021

(por Rafael Lima)
 

O UFC 266 entrou para a galeria dos eventos históricos, com duas disputas de cinturão, sendo uma delas uma batalha épica, além de uma revanche entre dois lendários lutadores. Este dia ficará para sempre na memória do fã de luta, principalmente pelo show que Alexander Volkanovski e Brian Ortega proporcionaram a quem assistiu. Mas também vimos outros grandes combates, atuações de gala de Valentina Shevchenko e Jessica Andrade, entre outras, numa jornada empolgante para quem acompanha o esporte. Confira tudo o que aconteceu neste já lendário UFC 266:

Card Principal 

Histórico! Alexander Volkanovski venceu Brian Ortega por decisão unânime 

Dois desafetos que são opostos em várias áreas. Brian Ortega tem mais envergadura e é melhor no chão, enquanto Alexander Volkanovski tem um insano volume de golpes e se apresenta de forma incansável em suas lutas. Combate de difícil prognóstico que chamava muita atenção, a chance do cinturão mudar de mãos era real, mas a consagração de Volkanovski também. 

O campeão começou tomando o centro do octógono e desferindo jabs efetivos para levar vantagem na pontuação, se aproveitando de sua maior agilidade. Apesar disso, o primeiro round foi equilibrado, pois Ortega contra-atacava bem. Ambos foram para seus córners com cortes no rosto. 

Volkanovski seguiu com uma melhor distância, mais rápido e com imenso volume de golpes, minando o desafiante, que apesar da maior envergadura “não encontrava” o campeão no “cage”. As sequências de jabs e diretos entravam e Brian Ortega parecia sentir. No final do segundo assalto ambos se encararam e xingavam, precisando da entrada de pessoas para separar. 

No terceiro round Volkanovski acelerou ainda mais. O australiano acertou um belo cruzado que balançou Ortega. O campeão sentiu o bom momento e desferiu boas combinações que abalavam o desafiante. Só que de repente um golpe de direita, seguido de uma guilhotina muito bem encaixada de Brian, pareciam o fim de tudo. Volkanovski não desistiu de forma incrível. O australiano reverteu a posição e passou a bater demais por cima, mas Ortega preparou um triângulo encaixadíssimo, só que Volkanovski pareceu um extraterrestre para sair da posição de forma quase impossível e terminar batendo por cima até o final da parcial. 

Brian Ortega estava exausto e corria o risco dele bem voltar para o quarto assalto, porém, o desafiante foi guerreiro e voltou. Rapidamente ele conseguiu levar o duelo para o chão, encaixou um triângulo de mão, mas novamente não aplicou a finalização. O australiano reverteu a posição e seguiu castigando o desafiante de forma impiedosa, mas assim como as finalizações justas parecem não surtir efeito no campeão, a tempestade de golpes de Volkanovski não tinha o poder de fazer Ortega desistir. Que luta!

Alexander Volkanovski começou o quinto assalto com a melhor distância e minando Brian Ortega com belos golpes. Mas o desafiante não se entregava e acertava também bons contragolpes, que abalavam o campeão. Ambos demonstravam uma resistência extraterrena e no fim, mesmo com Ortega acertando golpes potentes, o australiano não caiu e manteve seu cinturão num combate épico. 
 

Massacre! Valentina Shevchenko venceu Lauren Murphy por nocaute técnico no quarto round

Um dos poucos desafios que Valentina Shevchenko ainda tem no peso-mosca, Lauren Murphy foi para o evento sabendo que o favoritismo era todo da adversária, apesar de seus cinco triunfos consecutivos. A campeã é mais completa, melhor em todas as áreas do jogo, mas o MMA é um dos esportes mais imprevisíveis que existem, tornando qualquer coisa possível. 

O primeiro round foi de muito estudo por parte de Murphy, enquanto Shevchenko parecia bem mais à vontade, batendo e saindo com grande velocidade. A americana “não encontrava” a campeã no octógono. Valentina bem superior. 

O segundo assalto se desenvolveu da mesma forma do primeiro, com superioridade de Valentina, que mesmo com menor envergadura tinha a distância a seu favor, desferindo boa variedade de ataques, para logo depois, colocar para baixo para garantir mais uma parcial com golpes por cima. 

Valentina Shevchenko seguia soberana no combate, com a distância correta e mais velocidade, a campeã não sofria e pontuava com boas combinações. Lauren Murphy era guerreira, mas não conseguia ser efetiva. 

O quarto assalto começou na mesma toada dos anteriores, mas, um cruzado de Valentina Shevchenko bambeou Lauren Murphy. Depois a campeã acertou uma bela canelada no rosto  que deixou a desafiante desnorteada, abrindo caminho para uma sequência de diversos socos no rosto parecendo que terminaria o combate, porém, Shevchenko decidiu levar o confronto para o chão. Ela ajustou a melhor posição para golpear e castigou por lá até o árbitro encerrar o massacre. 
 

Quebrou o nariz! Robbie Lawler venceu Nick Diaz por nocaute técnico no terceiro round

Revanche para Robbie Lawler, que foi nocauteado por Nick Diaz no UFC 47, em 2004, num combate espetacular nos primórdios do Ultimate. Nick Diaz vinha de uma luta sem resultado contra Anderson Silva em 2015, tendo sua última vitória contra BJ Penn em 2011. Do outro lado, Lawler estava numa sequência de quatro reveses, tendo seu último triunfo em 2017 contra Donald Cerrone. Apesar dos lutadores estarem longe de seus melhores momentos, o confronto trazia uma grande expectativa. 

Nick Diaz começou a luta desferindo uma voadora “tosca” e Robbie Lawler passou a enquadrar o adversário com uma bela sequência de golpes que acertou o corpo de Diaz com contundência. Nick, mais lento, não encontrava Lawler, que levava a melhor na trocação. Porém, aos poucos o boxe não convencional de Nick Diaz foi entrando e ele apresentou mais volume de luta. Apesar disso, os melhores golpes foram de Lawler, que venceu indiscutivelmente o primeiro assalto. 

Robbie Lawler voltou acertando bons golpes, que chegaram a fazer Nick Diaz sentir na expressão. Só que o irmão de Nate tem excelente resistência e a eficiência do boxe “lango-lango” para acertar o adversário, equilibrando o combate. Mesmo assim, Lawler “apertou o passo” na reta final do assalto colocando golpes contundentes em Diaz para garantir mais uma parcial. 

No terceiro round ambos seguiram numa trocação franca e os golpes entravam de parte a parte até que um cruzado, seguido de um upper devastador de Robbie Lawler, quebraram o nariz de Nick Diaz, que acabou praticamente desistindo do combate. Com verdadeiras bombas o “Ruthless” conseguiu sua revanche. 
 

Controlou no chão! Curtis Blaydes venceu Jairzinho Rozenstruik por decisão unânime

Duelo entre duas carretas com formas de atuar distintas. Enquanto Curtis Blaydes é o rei das quedas no peso-pesado, Jairzinho Rozenstruik tem um poder de nocaute devastador. 

Depois de um pequeno estudo, Blaydes rapidamente levou o duelo ao chão e passou a castigar o Jairzinho. Uma joelhada chegou a impressionar pelo barulho, mas, mesmo assim, Rozenstruik conseguiu se levantar. Apesar disso, nada mais aconteceu no primeiro assalto. 

O segundo round foi de muito estudo, Blaydes tentou marcar à distância e levar na envergadura. Porém, uma joelhada bem encaixada de Jairzinho deu a oportunidade de Blaydes absorver o golpe e colocar para baixo, garantindo a parcial. Só que quando ambos se levantaram deu para ver a catástrofe que o joelho de Rozenstruik causou no rosto do americano. 

No último assalto os dois iniciaram se estudando novamente, mas dessa vez Curtis Blaydes tratou de não dar sopa para o azar e colocou para baixo rapidamente, pesando e batendo para assegurar a vitória. 
 

Parabéns pra você! Jessica Andrade venceu Cynthia Calvillo por nocaute técnico no primeiro round

Jessica “Bate-estaca”, no dia do seu aniversário, precisava reencontrar o caminho das vitórias para se colocar novamente na briga pelo cinturão, mas tinha pela frente uma adversária duríssima, que mesmo vindo de derrota para Katlyn Chookagian, representava perigo. 

Jessica Andrade entrou no octógono determinada a dominar o centro do “cage”. Mesmo com Calvillo tentando soltar seu jogo, a mão pesada da brasileira surtia efeito. Jessica andava para frente o tempo todo lançando verdadeiras bombas no rosto da americana, que sofria muito com os socos da “bate-estaca”. Na reta final do primeiro assalto, Jessica apertou o passo, passou a desferir mais golpes num volume que obrigou o árbitro a encerrar o combate. 
 


 

Card Preliminar 
 

Que reviravolta! Merab Dvalishvili venceu Marlon Moraes por nocaute técnico no segundo round

O combate começou dinâmico da forma como todos esperavam. Ambos buscavam a trocação e soltavam verdadeiras bombas. Em uma dessas, Marlon Moraes balançou Merab Dvalishvili e impôs uma tempestade de socos no adversário, deixando o georgiano grogue. Um juiz mais conservador acabaria o combate. Porém, o MMA é imprevisível e Dvalishvili, na reta final do primeiro assalto, conseguiu se recuperar e levar o duelo ao chão, martelando muito o rosto do brasileiro até buzina tocar. A partir daí, Dvalishvili achou a fórmula de controlar o confronto e bateu por cima durante quase todo o segundo round até conseguir o nocaute técnico. 
 

Tático! Dan Hooker venceu Nasrat Haqparast por decisão unânime

Dan Hooker iniciou dominando o centro do octógono, ele atacava, mas Nasrat Haqparast era perigoso nos contragolpes. O volume de golpes do neozelandês era maior, mas não tinha a mesma contundência do alemão. Só que Hooker aproveitou sua melhor condição na luta agarrada para dominar o duelo em momentos-chave. Sentindo a potência de Haqparast, o neozelandês garantiu a vitória na base da tática, amarrando o combate no final do segundo e do terceiro round. 
 

A mão entrou! Chris Daukaus venceu Shamil Abdurakhimov por nocaute técnico no segundo round

Chris Daukaus começou sendo amarrado por Shamil Abdurakhimov, mas aos poucos sua trocação perigosa foi entrando em ação. Depois de impor um knockdown no primeiro round, uma sequência de jabs e diretos liquidou a fatura no segundo. Grande nocaute!
 

Dominante! Taila Santos venceu Roxanne Modafferi por decisão unânime 

Taila Santos começou tomando conta do combate na base da luta agarrada. Mas, mesmo assim, a brasileira também esteve bem na parte em pé, usando seu bom Muay Thai. A tempestade de golpes foi minando Roxanne Modafferi. Talia balançou a americana algumas vezes, mas acabou vencendo por pontos mesmo. 
 

Soberano! Jalin Turner venceu Uros Medic por finalização no primeiro round 

Jalin Turner foi muito dominante desde sempre, tomando conta do combate em pé, se antecipando a Uros Medic. Após um pouco de trocação, Turner conseguiu levar o confronto para a luta agarrada e finalizou com extrema tranquilidade. 
 

Boa estreia! Nick Maximov venceu Cody Brundage por decisão unânime 

Nick Maximov estreou muito bem no UFC. O pupilo dos irmãos Diaz, começou controlando o combate e impondo o ritmo nos dois primeiros assaltos. Mas, no terceiro round, Cody Brundage chegou a reagir, ganhou a etapa, porém, foi insuficiente. 
 

Mas, já?! Matthew Semelsberger venceu Martin Sano Jr. por nocaute no primeiro round 

Direto. Reto. Mortal. Matthew Semelsberger precisou de um soco e 15 segundos para nocautear Martin Sano Jr., fazendo o pupilo de Nick Diaz deixar uma má impressão. 
 

Levou o pescoço pra casa! Jonathan Pearce venceu Omar Morales por finalização no segundo round 

Jonathan Pearce era o favorito, com grande poder de nocaute, deixava Omar Morales receoso com a trocação. Porém, Pearce demonstrou evolução na luta agarrada e, no segundo assalto, Pearce soube pegar as costas do venezuelano para finalizar com um belo mata-leão.