Conteúdo

Liverpool derrota o Chelsea, novamente nos pênaltis, e conquista a Copa da Inglaterra

14 de maio de 2022

*por Rafael Lima)

Após perder a Copa da Liga Inglesa nos pênaltis para o Liverpool, o Chelsea tinha sede de revanche, querendo erguer mais uma taça nesta temporada. Com uma maratona de jogos menor neste momento, os Blues apostavam no cansaço do adversário para se aproveitarem. 

Porém, do outro lado, mesmo com a sequência insana de partidas, os Reds não queriam deixar escapar a chance de buscar a quádrupla coroa. 

O Liverpool começou trabalhando a bola e ocupando o campo de ataque. No seu estilo os Reds queriam sufocar o time de Londres. 

Aos oito minutos aconteceu a primeira chance clara de gol. Alexander-Arnold descolou um lançamento perfeito para Luís Díaz, o colombiano bateu, mas Mendy fez bela defesa com os pés. 

Apesar da pressão dos Reds, o Chelsea também não abdicava do ataque. Lukaku ajeitou para Pulisic, que bateu com muito perigo, mostrando que poderia surpreender.

Os Blues passaram a gostar mais do jogo e, mesmo atuando defensivamente, o time assustava nos contragolpes. Mason Mount fez bela jogada e passou para Pulisic. O atacante bateu fraco, mas a bola passou muito perto aos 22’.

Cinco minutos depois, Mount puxou o contra-ataque, tocou para Pulisic, que viu Marcos Alonso entrando na área em boa posição. O lateral esquerdo bateu e Alisson fechou bem o ângulo para fazer a defesa. 

Aos 44 minutos o Liverpool teve sua última boa chance na primeira etapa. Roberson cruzou e Diogo Jota, que substituiu Salah, bateu por cima. Só que um minuto depois, Lukaku bateu cruzado também para fora, reagindo para o Chelsea. 

A primeira etapa chegou ao fim. O Liverpool foi mais presente no campo ofensivo, porém, as melhores oportunidades foram do Chelsea. Apesar do placar intacto, o duelo se apresentou bem movimentado.

O Chelsea voltou para o segundo tempo como um rolo compressor. Com menos de um minuto Pulisic passou para Marcos Alonso que chutou com muito perigo. Na sequência, Lukaku ajeitou e foi Pulisic quem finalizou, consciente, no canto, mas Alisson fez uma defesa espetacular. Já aos dois minutos, Alonso bateu uma falta com muito perigo e a bola beijou a trave. 

A partida era insana. Logo depois foi a vez do Liverpool assustar. Alexander-Arnold cruzou e Robertson, na pequena área, não conseguiu finalizar como queria. E o jogo não parava, Luís Díaz recebeu, girou, e bateu de fora da área com muito perigo, assustando Mendy. 

Depois de alguns minutos mais sossegados, o Liverpool roubou a bola no campo de ataque, Keita serviu Diogo Jota, que bateu cruzado e assustou Mendy, antes dos 15’. 

Os Reds seguiam bem melhores, trabalhando a bola e tocando para achar espaço. Num passe de boa visão de Thiago, Keita chegou batendo de fora da área para obrigar Mendy a fazer boa defesa. 

Após muito sofrimento, os Blues finalmente chegaram ao ataque. Uma jogada que começou na esquerda com Marcos Alonso, contou com desvio de cabeça de Lukaku e chegou na direita com Reece James, terminou com uma finalização bastante perigosa de Pulisic. Mas, no minuto seguinte, foi a vez de Thiago servir Luís Díaz, que conscientemente buscou o ângulo de fora da área, mas a bola foi por cima. 

Aos 37’ uma grande chance do Liverpool, Diogo Jota serviu Luís Díaz que chutou na trave a ótima oportunidade. Só que um minuto depois, um lance ainda mais impressionante. Milner cruzou da direita e Robertson fechou bem para finalizar na pequena área no poste de novo. Que jogo inacreditável!

Já nos acréscimos, o Liverpool não desistia. Luís Díaz, de novo ele, bateu novamente com muito perigo e a bola passou muito perto outra vez. 

E assim, por incrível que pareça, o tempo normal desse jogo repleto de oportunidades terminou no zero a zero. 

O primeiro tempo da prorrogação se desenvolveu com o Chelsea mais inteiro, ocupando o campo de ataque, enquanto o Liverpool tentava encaixar um contragolpe. Como as equipes não tinham o mesmo ímpeto dos 90’ iniciais, nenhuma grande oportunidade aconteceu.

Assim como nos 15 minutos anteriores, os times deixaram o tempo passar, tentando subir somente “na boa”. Mas como faltava criatividade e intensidade, as chances claras novamente não apareceram e decisão, assim como na Copa da Liga Inglesa, foi decidida nas penalidades máximas. 

Marcos Alonso abriu para o Chelsea com muita categoria. James Milner igualou para o Liverpool. Azpilicueta bateu na sequência e a bola beijou a trave. Com isso, Thiago, com frieza, colocou os Reds em vantagem. Reece James foi para a bola e igualou de novo. Mas, Roberto Firmino colocou na rede. Barkley bateu e manteve o clube de Londres firme na disputa. Só que Alexander-Arnold, preciso, manteve o Liverpool em vantagem. Jorginho manteve a chama acesa, mas Mendy precisaria pegar o pênalti de Mané e foi exatamente isso que isso aconteceu. Os times foram para as cobranças alternadas. 

Ziyech deixou o Chelsea em vantagem. Diogo Jota bateu bem e igualou. Mason Mount chutou a meia altura e Alisson fez uma defesaça, dando o “Match point” para os Reds. Tsimikas, com muita categoria, matou Mendy e enterrou a esperança azul. Liverpool campeão novamente!

Final: Liverpool (6) 0x0 (5) Chelsea

Foi campeão o time que gosta mais da bola e segue vivo na busca pela quádrupla coroa. O zero a zero com certeza não representou o que foi o jogo, assim como na final da Copa da Liga Inglesa, e o resultado foi o mesmo: mais um título para o melhor Liverpool de todos os tempos, um esquadrão que não cansa de fazer história, mesmo frente ao valente Chelsea, atual campeão mundial.