Conteúdo

Leclerc é pole, dividindo a primeira fila com Verstappen na Austrália

9 de abril de 2022

(por Bruno Braz)

Em um treino de classificação bastante tumultuado, a F1 volta para a Austrália. Leclerc foi o melhor, seguido pelas duas Red Bulls. Sainz ficou devendo. A Haas não mostrou a mesma performance dos primeiros dois GPs. Stroll e Latifi causam acidente para lá de imbecil já no Q1. Quem voltou bem foi a McLaren, mostrando que tem carro para evoluir. 

Q1 - Stroll e Latifi protagonizam negativamente. Verstappen lidera.

Mick Schumacher foi o primeiro a ir para a pista. A Red Bull também foi logo, assim como a Ferrari, que quicava mais que as duas primeiras etapas do ano. A McLaren também se mandou logo depois para a pista.

O primeiro a marcar um bom tempo e dominar as ações, foi Sainz, com 1:19.179. Latifi ainda escapou da pista antes mesmo que Alpine e Mercedes fossem marcar tempo.

Restavam 7 minutos apenas quando, finalmente, a Mercedes mandou seus pilotos para a pista, com eles fazendo apenas o P10 e P11 daquele momento.

Logo em seguida, Verstappen assumiu a ponta com 1:18.550, trazendo Perez consigo. Com 3 minutos para o fim, tínhamos as duas Aston Martin fora e uma disputa intensa entre Haas e Williams para ver quem mandaria ao menos 1 carro para o Q2, com a TV mostrando Vettel, que sequer tinha volta cronometrada, fora do carro. A coisa estava estranha para os ingleses.

Só que aí, meus amigos, Stroll foi para a pista para tentar salvar a honra dos ingleses da Aston Martin e da família. Pois bem. No meio do circuito, Stroll passou por Latifi, que por sua vez, quis recuperar a posição de pista. A disputa para ver quem estaria com ar limpo acabou de maneira triste para os dois times: Stroll estampou Latifi. Bandeira vermelha com 2 minutos para o fim.

A Aston Martin ainda aproveitou a interrupção do treino para finalmente, finalizar o trabalho no carro de Vettel e mandá-lo para a pista. Apesar de alguma comemoração na garagem verde, Vettel conseguiu apenas o décimo oitavo tempo, a frente apenas de Stroll, que sequer teve volta cronometrada, e de Latifi.

Eliminados, junto deles, foram Albon e Magnussen. Mick conseguiu escapar da degola com um décimo quinto tempo. Ainda deu tempo de Albon parar o carro na pista, atrasando ainda mais as atividades. O Q2 estava adiado em função disso.

Q2 - Pérez é o mais rápido. McLaren passa ao Q3, assim como as duas Mercedes.

O primeiro a marcar volta uma volta rápida de liderança no Q2, foi Verstappen, colocando 1:18.611, superando Alonso. Quase todos já tinham uma tentativa após o início, com exceção de Tsunoda e Zhou. Alonso aparecia muito bem em terceiro.

Uma Red Bull atrapalhou Hamilton que vinha em volta rápida. Justamente Verstappen, que não prestou atenção nisso enquanto andava lento na pista. Talvez receba alguma punição em função disso antes do início do GP.

Com 5 minutos para o fim, Zhou e Tsunoda finalmente fizeram suas voltas rápidas, mas nada que mudasse a cotação do Dólar. Estavam eliminados. Ocon sofria para levar o carro ao Q3, diferente de Alonso que estava mostrando força.

Último minuto e Pérez tomou a ponta das ações com 1:18.340, deixando Leclerc e Verstappen em segundo e terceiro, com Sainz em quarto. Eliminados no fim, Gasly, Bottas, Tsunoda, Zhou e Schumacher.

Na ordem, os 10 primeiros que passaram ao Q3 foram Pérez, Sainz, Leclerc, Verstappen, Alonso, Norris, Russell, Hamilton, Ricciardo e Ocon.

Q3 - Leclerc na ponta, no fim.

O Q3 começou agitado. Fila na saída dos box com todos querendo garantir o melhor trabalho possível. Só que ainda no princípio das atividades, Alonso escapou na curva 11, batendo seu carro. "Problema hidráulico", pelo que disse o espanhol. De qualquer maneira, um fim precoce para o piloto que vinha muito bem, até então.

Nova bandeira vermelha. Já tínhamos quase meia hora de atraso como um todo. 

Após a paralisação causada pelo acidente de Alonso, com 7 minutos restando de Q3, a ordem era:  Leclerc, Pérez, Verstappen e Ricciardo em quarto. Sainz, Russell e Alonso ainda não tinham tempo. O tempo a ser batido era 1min18s239, de Leclerc.

Com o reinício, o primeiro a tentar bater o tempo, foi Pérez, mas falhou por incríveis 0.001. Hamilton e Russell apareciam bem, mas ali no meio, disputando algo a partir da quinta posição.

O primeiro a bater o tempo de Pérez, foi Verstappen, com 1:18.154, assumindo a ponta. Iríamos para os momentos finais.

Sainz, em sua tentativa derradeira, errou. Saiu da pista e ficou com seu nono tempo.  Leclerc teve uma chance, já no apagar das luzes. E conseguiu: 1.17:868. Segunda pole do ano para o monegasco.

No fim, os 10 primeiros foram: Leclerc, Verstappen, Pérez, Norris, Hamilton, Russell, Ricciardo, Ocon, Sainz e Alonso.

Em décimo primeiro, Galsy, seguido por Bottas, Tsunoda, Zhou, Schumacher, Albon, Magnussen, Vettel, Latifi e Stroll, fechando o grid.

O GP promete novo embate entre Leclerc e Verstappen, mas dessa vez, Pérez está por perto, enquanto Sainz, não. Vamos ver o que a Red Bull fará com essa vantagem de 2 contra 1.