Conteúdo

Juventus dá aula defensiva e é cirúrgica para derrotar o Chelsea 

29 de setembro de 2021

(por Rafael Lima)
 

Os atuais campeões, desfalcados de Kanté, Mount e Pulisic, foram até Turim dispostos a impor seu jogo, diante de uma Juventus com problemas no ataque, já que não tinha Dybala e Morata. A tendência era do Chelsea propor o jogo e a “Velha Senhora” partir em contragolpes explorando Chiesa, Bernardeschi e Cuadrado. E foi mais ou menos isso que aconteceu. 

Primeiro tempo sonolento e sem brilho 

As equipes começaram se estudando, sem jogadas mais verticais. A Juve errava muito, enquanto o Chelsea tinha a bola, mas passava por dificuldades na construção. 

Os Blues controlavam a partida, alugavam o campo de ataque, mas nada acontecia. E, após um erro de passe, Chiesa roubou a bola, partiu em velocidade, e bateu firme, próximo à trave. A primeira chance do confronto foi da “Velha Senhora” aos 19 minutos. 

O Chelsea tinha a tal da posse de bola inoperante. Além de não agredir, o time inglês ainda dava espaço para o contra-ataque. Numa subida aos 30 minutos, Rabiot chutou de fora da área para fora com perigo. 

As duas equipes não conseguiam colocar a bola no chão e envolver o adversário. O Chelsea apresentava um futebol pouco inspirado e burocrático, enquanto a Juve tentava acelerar a partida, mas faltava qualidade, dependendo de lampejos de Chiesa. É assim finalizou a pobre primeira etapa.

Gol relâmpago e aula defensiva da Juventus

Se o primeiro tempo foi morno, o segundo iniciou quentíssimo. Com 10 segundos o ataque da Juventus partiu em velocidade e Chiesa avançou para finalizar com muita categoria e abrir o placar. 

O Chelsea não conseguia criar nada, pois era muito lento. Enquanto isso, o time da casa tentava impor velocidade com a bola nos pés e jogava melhor. Em mais uma subida ao ataque da Juve, Rabiot encontrou Cuadrado, que colocou para Bernardeschi na área, mas o atacante finalizou mal. 

Os Blues tentavam, mas eram encaixotados pela defesa italiana. O time sentiu muita falta de Mason Mount e nada conseguiu fazer. A melhor chance foi uma cabeça de Havertz faltando três minutos para o fim do tempo regulamentar, mas sem muito perigo. 

Com grande partida defensiva, a Juventus segurou o resultado e se garantiu na liderança do grupo. 
 

Final: Juventus 1x0 Chelsea 



 

Num jogo pobre tecnicamente, a Juventus demonstrou que pode ser competitiva, anulando o ataque dos atuais campeões, com bloqueio das linhas e uma partidaça de Locatelli. Mesmo com pouca posse de bola, os italianos souberam ser letais, no embalo de seu grande jogador Chiesa. 

Os Blues estiveram longe de suas melhores jornadas, porém, devem se recuperar com dois duelos diante do Malmo.