Conteúdo

Jornalista equatoriano acusa Flamengo de lavagem de dinheiro; clube pode entrar na justiça

24 de agosto de 2021

(por Layo Lucena)

Na noite desta segunda-feira (23), Vito Muñoz, apresentador de uma TV equatoriana, questionou o atual sistema financeiro do Flamengo e acusou Rodolfo Landim, presidente do clube, de lavagem de dinheiro. Confira a declaração do jornalista:

“Nenhum de vocês se colocou a pensar de onde tem tanto dinheiro o Flamengo, para que em cinco anos deixou de ser um clube que devia 400 milhões de dólares passar a ter despesas de 200 milhões? Só comparado ao Sevilla, da Espanha, que é o quarto clube com mais dinheiro no futebol de primeiro mundo…

“E agora se reforça com jogadores da Premier League. É inacreditável. Em um país como o Brasil, que deve 1500 milhões de dólares, que tem a pior taxa de covid, com mais de 600 mil falecidos… Kenedy, Andreas Pereira e David Luiz. Kenedy, do Chelsea, Pereira, do Manchester United, e David Luiz, do Arsenal.

“Então, com esses reforços, senhores, a dívida do Flamengo passa a ser de 200 milhões de dólares, depois de ter quebrado, de ter problemas na concentração de jogadores, a América inteira se pergunta: o que faz o Flamengo? E eu vou te dizer hoje de onde sai o dinheiro do Flamengo. Nada mais, nada menos, do que o presidente do Flamengo é um lavador de dinheiro.

“E pode receber uma sanção de prisão de três a nove anos. Mas, Rodolfo Landim é um bandido, está em seu grande momento com o Flamengo, e o Bolsonaro, presidente do Brasil, o quer para vice-presidente em 2022”.

Após o episódio, segundo o ‘Coluna Fla’, o Flamengo afirmou que irá preparar uma notificação para conseguir um direito de resposta. Além disso, o clube carioca já estuda possibilidades para entrar com uma ação na justiça, caso o pedido de retração não seja atendido.

“Nós vamos notificar a emissora e pedir retratação na TV e nas redes sociais por essa absurda acusação, totalmente descabida, sem pé nem cabeça. Caso não atendam vamos aproveitar nossa ida ao Equador para preparar uma ação judicial contra a emissora TC Television Equador”, declarou Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral e jurídico do clube.