Conteúdo

Heat segue crescendo no leste, Warriors vencem jogo duro, Hornets mostram sua força e mais

25 de fevereiro de 2021

(por Rafael Lima e Sérgio Viana)

 

Confira como foi a rodada de 24 de fevereiro na NBA:

 

Toronto Raptors 108-116 Miami Heat

Kyle Lowry voltou ao “line-up” dos Raptors contra o Heat, na Flórida, ainda envolto em rumores de troca, inclusive para o próprio Miami. Seu retorno não foi suficiente para conter o time dos comandados de Erik Spoelstra, que conseguiu sua quarta vitória seguida, a sétima em 10 jogos, para chutar a crise para longe.

Os problemas de Miami continuam os mesmos na armação, sem Avery Bradley e com Goran Dragic tendo minutos reduzidos, mas nessa jornada compensados com boa atuação de Jimmy Butler com 27 pontos e 10 assistências, e Bam Adebayo com 19 pontos e 12 rebotes, além de 17 pontos de Duncan Robinson (4-9 para 3 pontos). O Heat é mais uma equipe na iminência de fazer um ajuste do seu elenco para buscar ser contender no leste.

Os Raptors perdem a segunda depois de ganharem duas seguidas dos Bucks, se veem ali melhor do que no início da temporada, mas também com dedo no gatilho para uma troca que mude o patamar da equipe.

Lowry e VanVleet, com 24 pontos cada, e Norman Powell com 17, foram os destaques da equipe, que até tentou voltar na partida depois de ir para o vestiário com 10 pontos de desvantagem, e chegou a ameaçar o Heat, que no final soube fechar a partida.

Os Raptors recebem os Rockets na sexta-feira, em Tampa Bay, às 21h30. E o Heat enfrenta em seus domínios o líder da NBA, a equipe que já é uma realidade na temporada, o Utah Jazz, às 22h. Ambos os jogos com transmissão do League Pass.

 

Charlotte Hornets 124-121 Phoenix Suns

Num jogo dificílimo o Charlotte Hornets conseguiu surpreender uma das equipes mais fortes da temporada num duelo muito disputado, que começou com os Suns bem melhores, explorando o talento do All-Star Devin Booker, que estava irresistível. Charlotte conseguiu tirar a diferença no primeiro quarto, mas no segundo período Phoenix ressurgiu e, novamente, abriu vantagem que chegou a 22 pontos.

Só que os Suns não contavam com a grande atuação de Malik Monk, que com 20 pontos liderou a recuperação da franquia da Carolina do Norte, indo para os vestiários com o placar desfavorável em 67 a 66.

LaMelo Ball liderou o segundo tempo de Charlotte conduzindo sua equipe tanto na transição, quanto na organização das jogadas e assim a equipe tomou a dianteira do placar para não perder mais. 

O Phoenix Suns chegou a empatar o embate em 110 pontos nos últimos três minutos, mas rapidamente os Hornets reencontraram a marcação e foram mortais no contra-golpe. Só que na reta final Booker foi imparável e quase empatou a peleja. 

O astro dos Suns terminou sua atuação com 33 pontos, enquanto Malik Monk, cestinha de Charlotte, anotou 29 pontos saindo do banco. Ball (20pts e 8ast) e Gordon Hayward (20pts e 8reb) deram boa contribuição ao time.

 

Minnesota Timberwolves 126-133 Chicago Bulls

Zach LaVine novamente brilhou numa vitória do Chicago Bulls. O ala-armador explodiu para 35 pontos, liderando a franquia de Illinois diante de um Minnesota Timberwolves que foi bem coletivamente, teve resiliência, mas não conseguiu parar a estrela adversária.

Os Bulls levaram uma vantagem de 10 pontos para os vestiários no intervalo, vencendo por 68 a 58.

Só que Minnesota se defendeu melhor e soube variar os ataques com seus destaques Malik Beasley (25pts), Karl-Anthony Towns (24pts, 8reb e 5ast) e Anthony Edwards (21pts, 9reb e 6ast), para arrancar um empate, que só veio após uma falta boba de Coby White em uma forçada jogada de 3 pontos do até então apagado, Ricky Rubio, que com o placar zerado converteu os três lance-livres.

Apesar de todo o esforço, o cansaço bateu nos Timberwolves e Chicago venceu com tranquilidade na prorrogação.

 

Detroit Pistons 118-128 New Orleans Pelicans

Depois de um ótimo primeiro quarto, o Detroit Pistons não conseguiu segurar o volume de jogo do New Orleans Pelicans na etapa final. 

Com uma defesa mais encaixada que dificultava as infiltrações de Detroit e um ataque muito bem orquestrado, baseado na força de Zion Williamson (32pts, 6reb e 5ast) e Brandon Ingram (27pts, 7reb e 8ast), os Pels assumiram as rédeas da partida no quarto período e não perderam mais o controle, mesmo com a boa partida de Josh Jackson (25pts e 6reb), que saiu do banco para assustar os adversários.

 

San Antonio Spurs 99-102 Oklahoma City Thunder

O Oklahoma City Thunder sabe de suas limitações, mas não foge à luta e nem se entrega, fazendo partidas dignas e dificultando a vida dos adversários com defesa forte e dedicação que merece aplausos. 

Na partida contra San Antonio, além de uma defesa consistente, que anulou praticamente todo o time dos Spurs, com exceção de Dejounte Murray (27pts, 9reb e 6ast), o Thunder contou com uma partidaça de Shai Gilgeous-Alexander com 42 pontos, 8 rebotes e 4 assistências, para desequilibrar o jogo no final e ser o ponto decisivo no triunfo surpreendente do Oklahoma City.

 

Golden State Warriors 111-107 Indiana Pacers

Em jogo bem equilibrado e com nada menos que 15 mudanças de liderança, os Warriors, fora de casa, bateram o bom time dos Pacers e seguem lutando em um insano Oeste, onde com 18-15 possuem somente a 8ª posição na tábua de classificação.

Mesmo com Curry “amassando” o aro com 7-21, entregou 24 pontos, 8 rebotes e 8 assistências e flertou com um triplo duplo. Draymond Green também passou perto de ter essa honra com 12 pontos, 11 rebotes e 9 assistências, e Kelly Oubre Jr, com 17 pontos, também se destacou.

Pelo lado dos Pacers, mais uma boa partida da dupla Brogdon-Sabonis, apoiados por um cada vez mais regular Doug McDermott. Sabonis com 22 pontos e 16 rebotes, Brogdon com 24 pontos e McDermott com 15 (3-4 para 3 pts), não tiveram o apoio do banco, que contribuiu somente com 26 pontos para segurar o jogo.

Os Pacers, agora com 15-15 na quarta posição do leste, tem Raptors e Heat crescendo para brigarem por essa posição, devendo se manter fora do play-in.

Os dois times voltam a quadra nesta sexta, os Pacers enfrentam um instável e com problemas, Boston Celtics, às 21h30, em Boston, com transmissão da ESPN. E os Warriors recebem a boa surpresa Charlotte Hornets à 0h, no League Pass.

 

Los Angeles Lakers 89-114 Utah Jazz

O Utah Jazz demonstrou novamente a sua força, desta vez conseguindo uma vitória gigante diante do Los Angeles Lakers. O domínio dos líderes do Oeste foi enorme, depois de um primeiro quarto equilibrado, o Jazz atuou melhor coletivamente, enganou a marcação de LA e abriu rapidamente uma bela vantagem. 

O duelo seguiu assim, com Utah abrindo cada vez mais diferença, chegando a 21 tentos de frente. E, nesta toada, seguiu o confronto, com o Jazz definindo a bela vitória. 

Seis jogadores do Utah Jazz anotaram dígitos duplos de pontuação, os cestinha do time foram Rudy Gobert (9 rebotes) e Jordan Clarkson com 18 pontos.

O maior pontuador da partida foi LeBron James, anotando 19.

 

Houston Rockets 96-112 Cleveland Cavaliers

E a sina de derrotas sem poder “tankar” dos Rockets continua, com o nono revés consecutivo, desta vez contra a jovem equipe dos Cavaliers, em Cleveland.

Mesmo com o retorno de Oladipo ao “line up", o time do Texas se ressente de um poder de marcação no garrafão, por conta das ausências de Christian Wood, machucado e sem previsão de retorno, “Boogie” Cousins, que ainda negocia sua saída, e de Ray Spalding, que se machucou na partida de estreia e não ficou. Alguns maldosos vão dizer que PJ Tucker no cenário atual também é desfalque, afinal ele não pontua a três jogos, 80 minutos em quadra e nenhum mísero ponto. Aí fica difícil.

John Wall com 20 pontos, Oladipo e Eric Gordon com 17 pontos pontuaram sem nenhum destaque.

O jovem time dos Cavs sentiu o jogo na primeira etapa, e apesar de um bom primeiro quarto, estava perdendo por dois pontos na saída para o intervalo.

Com uma corrida de 34-24 no terceiro período, o time encaminhou uma vitória até fácil, com boas atuações de Jarrett Allen com 26 pontos e 18 rebotes, Darius Garland com 11 pontos e 10 rebotes e o garoto sensação Collin Sexton com 23 pontos. Nada como se livrar de quem não quer ficar para o ar ficar mais leve.

Os Rockets enfrentam na sexta-feira os Raptors, fora de casa, às 21h30, com grande chance de emplacar a décima derrota. E os Cavs, no sábado, jogarão contra os 76ers na terra do garanhão italiano, Rocky Balboa, às 21h. Ambos os jogos com transmissão do League Pass.

 

Boston Celtics 112-127 Atlanta Hawks

Danilo Gallinari finalmente “estreou” pelos Hawks, para tristeza dos comandados de Brad Stevens em uma atuação para ser esquecida pela torcida Celta, e encaçapou 38 pontos, vindo do banco, com pouco mais de 33 minutos em quadra e inimagináveis 10-12 para três pontos. Gastou tudo ontem, dirão os céticos.

O Boston Celtics tomou 72 f*** points na primeira etapa e foi para o vestiário já derrotado com 23 pontos de desvantagem.

Trae Young, com 33 pontos, e John Collins, com um bom double-double de 14 pontos e 11 rebotes, terminaram de “pregar o caixão verde e branco”.

Esse time dos Hawks ainda não achou o seu equilíbrio no elenco para se manter consistente, foi apenas a quarta vitória nos últimos 10 jogos e precisa demais que seus jogadores mais experientes encaixem.

Os Celtics não vivem bom momento, três vitórias nos útlimos 10 jogos, um jogo previsível e o time com dificuldade de dar volume de jogo para Kemba Walker, sofre com a ausência de Marcus Smart e com a oscilação natural dos jovens Semi Ojeleye e Payton Pritchard.

Danny Ainge e Stevens tem uma carta na manga, uma trade exception valiosa que pode elevar o patamar da equipe, mas precisam fazer concessões que não sei se estão dispostos. Precisam agir rápido sob pena de correr risco inclusive de não entrar no play-in, o que seria lamentável.

Os Celtics recebem os Pacers nesta sexta, às 21h30, com transmissão da ESPN, enquanto os Hawks visitam o Thunder, em Oklahoma City, às 22h.