Conteúdo

Hall da Fama do hóquei no gelo anuncia a classe de 2020

24 de junho de 2020
22h 50

(por Rafael Lima)


O Hall da Fama do hóquei no gelo anunciou a classe de 2020 com seis indicados, Marian Hossa, Jarome Iginla, Kevin Lowe, Kim St-Pierre, Doug Wilson e o indicado por seu trabalho como General Manager do Detroit Red Wings, Ken Holland.

Iginla foi indicado por sua grande carreira, tendo conquistado duas vezes o Rocket Richard Trophy como o goleador da temporada, uma vez o Art Ross Trophy como líder em pontos e o Pearson Award MVP votado pelos jogadores. Além dos prêmios, Iginla ocupa a 14ª posição entre os jogadores com mais partidas na história da NHL (1.554), 16ª colocação em gols (625), 64ª em assistências (675) e 34ª em pontos (1.300), sendo um dos 34 jogadores com pelo menos 1.000 pontos e 1.000 minutos de penalidade.

Hossa foi outro jogador induzido em seu primeiro ano de elegibilidade. Embora ainda seja um jogador ativo no Arizona Coyotes, o atleta está parado há 3 anos por um distúrbio na pele. Mesmo não tendo a notória carreira de Iginla individualmente, Marian Hossa conquistou 3 Stanley Cups pelo Chicago Blackhawks (2010, 2013 e 2015) e disputou as finais em 2008 pelo Pittsburgh Penguins e 2009 pelo Detroit Red Wings, sendo o primeiro jogador na história a disputar 3 Stanley Cups por três equipes diferentes. Pelos 17 anos em que atuou, somente Iginla, Joe Thornton e Jaromir Jagr anotaram mais pontos do que Hossa, que fez 1.134 pontos.

Em seu 20º ano de elegibilidade, Kevin Lowe foi um dos principais defensores da história do Edmonton Oilers, vencendo 5 Stanley Cups pela franquia canadense, além de ter vencido mais uma pelo New York Rangers.

Wilson, elegível desde 1996, se aposentou como o oitavo defensor em pontos em todos os tempos (hoje é o 15º). Além disso, é o defensor líder em pontos, assistências e gols do Chicago Blackhawks.

St-Pierre é a primeira goleira feminina a ser indicada ao Hall da Fama. Defendeu a seleção canadense por 89 jogos vencendo 64 deles. Ganhou nove medalhas em campeonatos mundiais (5 de ouro e 4 de prata) e foi eleita duas vezes a melhor goleira da competição. Conquistou 3 medalhas de ouro olímpicas e já foi a melhor goleira das olimpíadas também.

Já Holland foi selecionado pelo seu trabalho na direção do Detroit Red Wings, trabalhando com o General Manager com enorme sucesso, conseguindo a histórica marca de disputar os playoffs de 1997 a 2016 ininterruptamente. Além disso, sob a sua batuta os Red Wings venceram 4 Stanley Cups.

Todo ano o Hall da Fama do hóquei no gelo pode eleger 4 atletas masculinos, duas atletas femininas e dois “construtores” ou um dirigente e um juiz.

A cerimônia de indução está prevista para 16 de novembro, porém, pode ser adiada devido ao surto de coronavírus.