Conteúdo

Grande atuação do Fluminense contra o Atlético Mineiro coroa o bom começo de trabalho de Diniz, e dá esperanças ao torcedor tricolor

9 de junho de 2022

(Por Daniel Morales)

O jogo entre Fluminense e Atlético Mineiro, na noite da última quarta-feira, foi um dos melhores, senão o melhor jogo do futebol brasileiro em 2022. Os dois times buscaram o gol o tempo todo, o duelo foi muito movimentado, com confusão, oito gols e grandes atuações coletivas e individuais.

O Fluminense não se intimidou e dominou o Galo no Maracanã. Uma bela exibição que coroa um início promissor do trabalho de Fernando Diniz no tricolor das Laranjeiras. 

Os primeiros oito jogos:

O recorte que será usado para analisar o começo de trabalho de Diniz no Fluminense é os oito primeiros jogos do treinador em seu retorno ao tricolor, ou seja, do jogo contra o Junior Barranquilla, no Maracanã, até o Fla-Flu.

Nesses oito confrontos Diniz pegou um Fluminense com uma sequência de decisões muito importantes para o 2022 do clube. Porém, apesar dos bons resultados em campo, não dá para dizer que a missão foi totalmente cumprida. O Fluminense confirmou a classificação para as oitavas de final da Copa do Brasil, ao bater o Vila Nova por 2 a 0, em Goiânia, num jogo em que apesar da vitória, o time de Diniz não jogou bem, e dependeu das individualidades de seus jogadores para vencer.

Na Copa Sul-Americana, apesar de duas vitórias, sendo uma delas por 10 a 1 sobre o Oriente Petrolero, na Bolívia, o empate por 0 a 0 em um jogo que o Fluminense não chutou uma vez no gol do goleiro do Santa Fé, praticamente liquidou a eliminação do Flu.

Veio a goleada histórica na Bolívia, mas a vitória do Santa Fé contra o Barranquilla, na Colômbia, eliminou o Fluminense de mais uma competição continental em 2022.
 

No Campeonato Brasileiro, duas vitórias, um empate e duas derrotas. Os triunfos foram em um jogo contra o Athletico Paranaense, onde o Fluminense apesar de ter vencido apenas por 2 a 1, foi dominante em boa parte dos 90 minutos, e o outro triunfo fora de casa contra o Fortaleza por 1 a 0, em jogo que teve um belo gol de Luiz Henrique, e Fábio fechando o gol.  Empate contra o Palmeiras em 1 a 1 no Allianz Parque, na primeira vez que o Fluminense pontuou no estádio palmeirense, e as derrotas bem injustas se analisar o contexto.

Contra o Flamengo, um jogo em que o Fluminense saiu na frente, tomou a virada, porém só não retomou a vantagem no placar por que o goleiro Hugo do rubro-negro estava em um dia muito inspirado. Já a partida contra o Juventude foi "jogada" em um campo onde estava impossivel de se praticar o futebol devido as fortes chuvas em Caxias do Sul. Finalmente chegamos no jogo contra o Galo. 

A grande partida contra o Atlético Mineiro

A melhor atuação do Fluminense nos últimos três anos. O time carioca jogou na noite da última quarta-feira do jeito que o torcedor tricolor tanto pede. Uma equipe que propõe o jogo, com jogadas construídas desde a defesa até a conclusão no ataque, que quando perde a bola pressiona para tentar recuperá-la rapidamente, com passes curtos e muita compactação. Tudo isso fez com que o Fluminense finalizasse 20 vezes no gol do goleiro Everson. Foram cinco gols, mas o time de Fernando Diniz poderia ter feito seis, sete, facilmente, sobre um forte Atlético Mineiro, que apesar de ter marcado três gols, sendo esses resultados de falhas individuais e de marcação, não teve resposta para o volume do Flu. Destaques aqui para mais uma ótima partida de Paulo Henrique Ganso, além de André sendo o dono do meio de campo, Germán Cano, como sempre goleador anotando dois gols, e Luiz Henrique, que talvez tenha feito sua última grande partida com a camisa do Fluminense. O moleque de Xerém, teve uma noite de gala no Maracanã, com gol, dribles, assistência e, quando foi substituído, saiu aplaudido por todo o estádio.  Um dos jogos que ficarão marcados pra sempre na memória do torcedor.

O que melhorar?

É óbvio que o Fluminense de Fernando Diniz ainda tem muitos pontos a melhorar, principalmente no que se diz respeito a saída de bola. No jogo contra o Atlético, dois gols saíram desta deficiência. Primeiro Fabio, mais uma vez (assim como foi contra o Olimpia na Libertadores), entregou um passe no pé do adversário que originou o gol de Hulk, e depois John Arias, com um passe bem displicente que originou o gol de empate do Galo, marcado por Sasha. Erros que precisam ser corrigidos para que o time saia jogando lá de trás com mais confiança.

Outro ponto a ficar atento é a insistência de Diniz com alguns jogadores, principalmente Wellington, que mais uma vez foi titular jogando de primeiro volante e não teve uma boa atuação. 

Enfim, com mais tempo para treinar a tendência é que Diniz consiga implantar seu modelo de jogo, e devemos ver cada vez mais um Fluminense que tentará propor, com muita posse de bola, passes curtos e compactação. A defesa também não pode ser deixada de lado, para que o Flu não tome tantos gols, porém, a tendência é que o torcedor tricolor veja que diferente dos últimos anos, com um time que jogava de forma reativa e por uma bola, sempre buscando o contra-ataque, jogue mais com o domínio da redonda, construindo as jogadas e sempre em busca do gol. 

Com expectativa de casa cheia, o Fluminense encara o Atlético Goianiense pelo Campeonato brasileiro no próximo sábado (10), às 19 horas, no Maracanã.