Conteúdo

Gilbert Arenas: Recorde de pontos nos Wizards, 3 vezes All-Star, armas no vestiário e declínio na NBA

10 de maio de 2020

(por Leandro Chagas)

 

Gilbert Arenas, o "Agent Zero". Talvez os fãs mais recentes da NBA nem reconheçam esse nome, que no início dos anos 2000 começou a fazer barulho na liga de basquete mais famosa mundo. Ele chegou a ser capa do jogo NBA Live 08! O ex-camisa 0 teve uma carreira repleta de bons momentos, mas uma polêmica específica ficou marcada em sua trajetória. 
 

Sucesso no High School e no College

Gilbert Jay Arenas Jr., se destacou já nos tempos de High School, tendo o seu número 25 aposentado pela Ulysses S. Grant High School, um colégio localizado em Los Angeles.

Nos tempos de College, Arenas continuou a mostrar o seu talento. No seu segundo ano no basquete universitário, ele liderou a Universidade de Arizona, que também tinha Richard Jefferson no elenco, para a grande decisão nacional, onde eles acabaram sendo derrotados pelos "Blue Devils"(Duke), por 82 a 72. Logo após o torneio, Gilbert anunciou que deixaria de atuar nos dois próximos anos de faculdade para se tornar elegível no Draft de 2001 da NBA 

 

Queda no Draft, camisa 0 e primeiros anos na NBA

Após a curta, mas extremamente produtiva carreira no College, Gilbert tinha grandes expectativas para o Draft, mas acabou "caindo" e sendo selecionado apenas na segunda rodada, na 31ª escolha geral, pelo Golden State Warriors. Como resposta a escolha depois do esperado, Arenas disse que usaria a camisa 0, uma "provocação" relacionada ao número de minutos que alguns especialistas diziam que ele teria na liga.

Pelos Warriors, o armador iniciou 30 jogos em sua temporada de calouro, tendo uma média de 10,9 pontos por partida. Mesmo com a sua contribuição, Golden State terminou em último lugar na Conferência Oeste naquela temporada.

Na temporada 2002-2003, a sua segunda na NBA, Arenas teve um salto de qualidade. Ele iniciou 82 jogos, tendo uma média de 18,3 pontos por partida. Pela evolução, Arenas recebeu o prêmio de Most Improved Player, que é entregue ao jogador que mais evoluiu de uma temporada para a outra. Ele também recebeu o prêmio de MVP no jogo dos segundanistas da liga, durante o NBA All-Star Weekend.

 

Ida para os Wizards e a "Gilbert Arenas Rule"

Após a temporada de 2002-2003, Arenas se tornou agente livre restrito, ficando disponível no mercado. Existe uma lenda de que ele decidiria jogando na moeda para qual time iria. Entre os interessados estavam Washington Wizards, Los Angeles Clippers e o próprio Warriors.

No entanto, os Wizards ofereceram um contrato de seis anos no valor total de US$ 60 milhões, o que não pode ser igualado pelos Warriors que não possuíam espaço no teto salarial, e também pelo fato de Gilbert ser uma escolha de segundo round. 

O modo como a negociação foi concluída fez com que fosse criada em 2005 a "Gilbert Arenas Rule", que faz com que equipes que draftaram jogadores na segunda rodada, tenham a oportunidade de igualar uma oferta para um jogador que tenha terminado o seu contrato de calouro. No entanto, Arenas não conseguiu mostrar o seu melhor durante sua primeira temporada de Wizards, por conta de uma lesão no músculo abdominal que o atormentou por um longo período. 

 

All-Star, Game Winner e recorde de pontos 

A volta por cima veio logo em seguida, em 2004-2005, quando formou uma bela parceria com o ala/armador Larry Hughes, que obteve média de 22 pontos por jogo, enquanto Arenas teve 25,5, sendo 7° maior cestinha da liga. Juntos eles formaram a dupla com a maior pontuação da NBA naquela temporada. Os dois também se destacaram defensivamente, já que Gilbert teve a 6ª melhor média de roubos de bola por jogo, com 2,24, enquanto Hughes liderou a liga com 2,93.

Entre 2004 e 2007, Gilbert Arenas viveu o seu auge na NBA, sendo indicado 3 vezes consecutivas ao All-Star Game. A primeira indicação foi, em 04/05, ano em que ele levou os Wizards a vencerem uma série pela primeira vez em mais de duas décadas. A classificação veio com um arremesso no estouro do cronômetro contra os Bulls, no jogo cinco dos Playoffs da Conferência Leste, que terminou com a vitória de Washington por 112 a 110.

Na temporada 2005-2006, Gilbert Arenas teve 29,3 pontos de média, ficando em 4° lugar entre os maiores pontuadores da liga. Ele foi nomeado ao All-Star como substituto de Jermaine O'Neal, do Indiana Pacers, que acabou se lesionando. Mesmo se esforçando para levar os Wizards adiante, Arenas viu seu time ser derrotado em seis jogos para o Cleveland Cavaliers de LeBron James.

Um fato curioso é que o apelido "Agent Zero" surgiu nesta temporada, em um site de fãs dos Wizards, o "Wizznutzz.com", que o apelidou de brincadeira. Arenas gostou tanto do apelido que ele acabou pegando.

Outra curiosidade sobre Arenas é que ele "se retirou" da seleção americana de basquete que disputaria o Mundial da FIBA em 2006, por achar que os treinadores Mike D'Antoni e Nate McMillan haviam determinado a lista de convocados antes mesmo dos testes. 

Posteriormente, em uma especial de "vingança", ele afirmou que planejava ter uma média de 50 pontos nos duelos contra os times dos dois treinadores, Phoenix Suns e Portland Trail Blazers (respectivamente). Ele conseguiu atingir seu objetivo contra o forte time dos Suns, de Steve Nash e Stoudemire, marcando 54 pontos, acertando 21 dos seus 37 arremessos, sendo 6 de 12 em chutes de três pontos. Os Wizards venceram o jogo por 144 a 139. No entanto, ao enfrentar os Blazers, ele marcou apenas 9 pontos, vendo seu time ser derrotado 94 a 73.

A sua maior atuação pelos Wizards aconteceria no dia 17 de dezembro de 2006, no duelo contra os Lakers de Kobe Bryant. Em um jogo com prorrogação, o "Agente Zero" marcou incríveis 60 pontos, tendo ainda 8 rebotes e 8 assistências, ajudando o time de Washington a vencer a partida, marcando ainda a maior pontuação de sua carreira e quebrando o recorde de pontos da franquia em um jogo, que pertencia Earl Monroe (56 pontos), alcançado em 1968. Na ocasião, ele também quebrou o recorde de mais pontos em uma prorrogação (16), que anteriormente pertencia a Earl Boykins (15). A marca durou até 2016, sendo quebrada por Stephen Curry, que marcou 17 contra os Blazers.

Em fevereiro de 2007, ele foi eleito diretamente para ser titular pela primeira vez em um All-Star Game, ao superar Vince Carter por uma ligeira vantagem, com 1.454.166, enquanto Carter teve 1.451.156. Além de Gilbert, o quinteto inicial da Conferência Leste tinha Dwayne Wade (Heat), LeBron James (Cavaliers), Chris Bosh (Raptors) e Shaquille O'Neal (Heat).

 

Lesão, frustração e início do declínio

No final da temporada de 2007, mais especificamente no dia 4 de abril, Arenas rompeu o ligamento colateral medial (MCL) do joelho esquerdo, durante um jogo contra o Charlotte Bobcats, quando Gerald Wallace caiu em sua perna. Os Wizards até que lutaram para terminar a temporada em boa situação, mesmo tendo Arenas e Caron Butler, dois líderes do time, atuando com lesões. Washington conseguiu uma vaga nos playoffs, mas foi eliminado na primeira rodada em uma revanche contra o Cleveland Cavaliers.

Naquela offseason, Arenas se sentia frustrado, e disse ao The Washington Post que "desistiria" de seu contrato após a temporada 2007-08, fazendo dele um agente livre.  Ele declarou: "... se algo acontecer onde eles não me querem ou se eles forem em uma direção diferente, eu posso procurar outro lugar. Mas minhas intenções não são partir"

A lesão no joelho fez com que Arenas jogasse apenas oito jogos durante a temporada 2007-2008. Naquela temporada regular, ele acabou sendo uma peça que vinha do banco, para não atrapalhar a química que os Wizards haviam construído sem ele. Arenas conseguiu seu desejo ao ter a chance de se vingar dos Cavaliers, enfrentando o time de LeBron pelo terceiro ano consecutivo. No entanto, era evidente que ele não estava 100% saudável.  Entre os jogos 1 e 3, o armador jogou minutos limitados, por conta da dor no joelho operado. Poucos minutos antes do jogo 4 de sua primeira partida dos playoffs contra o Cavaliers, Arenas anunciou que ficaria de fora do resto dos playoffs, não entrando em quadra já no jogo 5.

Dali em diante, ele não conseguiu mais atuar em seu melhor nível. Arenas chegou a renovar com os Wizards, após dizer que só permaneceria no time caso eles também renovassem com seu companheiro Antawn Jamison, o que aconteceu. Em 13 de julho de 2008, Arenas assinou um contrato de seis anos no valor de US $ 111 milhões com os Wizards. 

Devido às lesões persistentes, Arenas só faria sua estréia na temporada no dia 28 de março de 2009, marcando 15 pontos e dando 10 assistências na derrota por 98 a 96 para o Detroit Pistons.

No entanto, aquela temporada não acabaria bem para os Wizards, que terminaram com um recorde de 19 a 63, o segundo pior da NBA, empatado com o Los Angeles Clippers. Com isso, a franquia de Washington encerrava o seu ciclo de quatro anos de aparições consecutivas nos playoffs.

 

Incidente com armas

Um dos fatos mais marcantes na carreira de Arenas, infelizmente aconteceu fora das quadras. No dia 24 de dezembro de 2009, foi relatado que o jogador admitiu armazenar armas de fogo descarregadas em seu armário no Verizon Center (atual Capital One Arena), entregando depois à equipe de segurança. 

Ao fazer isso, Gilbert violou não apenas as normas da NBA contra a introdução de armas de fogo em uma arena, violando também as leis de Washington. No entanto, o pior, se é que assim pode se dizer, ainda estaria por vir.

No dia 1 de janeiro de 2010, foi relatado que Gilbert Arenas e seu companheiro de equipe Javaris Crittenton, no final de dezembro, haviam descarregado armas no vestiário dos Wizards. A situação teria sido motivada por uma discussão na véspera de Natal, em um vôo da equipe, por conta de uma suposta dívida em um jogo de cartas. 

Por conta do indecente, no dia 6 de janeiro de 2010, data em que Gilbert completava 28 anos, ele e Crittenton acabaram sendo suspensos pelo restante da temporada 2009-10. A liga se sentiu obrigada a agir após uma situação onde os companheiros de Arenas o cercaram durante as apresentações antes do jogo com o Philadelphia 76ers, e ele fingiu atirar neles com armas feitas com os dedos.  O comissário da NBA, David Stern, disse em comunicado que o comportamento de Arenas após o início da investigação o levou a concluir que no momento o atleta não estava apto a entrar em quadra num jogo da NBA. 

Em 26 de março de 2010, Arenas foi punido por seus crimes, sendo condenado a dois anos de liberdade condicional e 30 dias em uma casa de recuperação. A punição para Arenas foi significativamente mais dura do que para Crittenton, que recebeu um ano de liberdade condicional não supervisionada 

No entanto, posteriormente, em agosto de 2011, Crittenton foi acusado pelo assassinato de Jullian Jones, 22 anos, mãe de quatro filhos. Depois de se declarar culpado de homicídio culposo em 2015, ele foi condenado a 23 anos de prisão.

 

Retorno à NBA sem sucesso, passagem na China e aposentadoria

Após o fim da suspensão, Gilbert retornou aos  Wizards para a temporada 2010-11, mudando seu número de 0 para 9, alegando que estava tentando deixar para trás todo o incidente da temporada anterior.  Depois dos primeiros 24 jogos da temporada, embora Arenas tenha liderado os Wizards com uma média de 17,3 pontos por jogo, eles mantinham um fraco recorde de 6-18. Em 18 de dezembro de 2010, Arenas foi negociado para o Orlando Magic em troca de Rashard Lewis.

No Magic, ele acabou virando reserva, sendo o armador backup de Jameer Nelson. Depois disso, ele ainda passou pelo Memphis Grizzlies em 2012, sendo reserva de Mike Conley Jr. Seu time chegou aos Playoffs, mas acabou caindo para os Clippers em sete jogos.

Em baixa na NBA, Arenas resolveu se aventurar na China, assinando em novembro de 2012, com o Shanghai Sharks da Chinese Basketball Association.  Em sua primeira temporada na CBA, Arenas obteve uma média de 20,7 pontos por jogo, 7,3 rebotes por jogo e 3,0 assistências por jogo em 27,3 minutos por jogo.  Ele jogou em 14 jogos e começou em 8 deles.  No entanto, os "Sharks" terminaram com um recorde de 10–22, ficando de fora dos playoffs.

Gilbert Arenas se aposentou em 2013, e atualmente participa de um programa esportivo diário no canal "Complex News", no YouTube.  Ele também tem seu próprio podcast chamado "No Chill Productions", que pode ser ouvido e visto também no YouTube.

"Agent Zero", "Hibachi", "Gilby", "Agent Arenas"... Gilbert Arenas teve diversos apelidos e viveu grandes momentos na NBA, sendo um dos maiores jogadores da história recente do Washington Wizards. Infelizmente as lesões e o comportamento, no mínimo "complicado", do ex-camisa 0, impediram que ele realizasse feitos ainda maiores na liga, fazendo com que na maioria dos casos ele seja lembrado apenas pelo que fez fora das quadras.