Conteúdo

Gene Haas diz que Fittipaldi correrá nos testes do Bahrein, mas não o confirma para o resto da temporada

6 de março de 2022

(por Mattheus Prudente)

Depois do fim do contrato com Nikita Mazepin e a Uralkali, a Haas se prepara para uma nova era da equipe. O dono do time, Gene Haas, se pronunciou sobre o futuro dos estadunidenses, incluindo o piloto brasileiro Pietro Fittipaldi, que deve correr nos testes de pré-temporada no Barein. No entanto, Haas não confirmou que Pietro será o piloto pelo resto da temporada. 

“Estamos no processo de ver alguns candidatos. Vamos ver quem está disponível e o que teremos que lidar, mas devemos ter alguém até quarta-feira. Pietro definitivamente estará no carro (no Bahrein), é para isso que ele está aqui. Ele é o piloto de testes.” Disse Haas, em entrevista. 

Quando a carreira de Mazepin começou a ficar em risco após a invasão russa do território da Ucrânia, o chefe de equipe Guenther Steiner afirmou que Fittipaldi seria “a primeira opção” para correr pela equipe, e, depois, eles iriam “ver o que fazer nos próximos passos”. O brasileiro já correu em duas corridas pela equipe em 2020, quando Romain Grosjean sofreu grave acidente. 

Falando de toda a questão com a Uralkali, Haas foi enfático ao dizer que a equipe já estava saudável financeiramente mesmo com a decisão de encerrar o contrato com o patrocinador russo. O empresário afirmou que a pressão por conta da invasão estava “ficando insustentável”, e que “nem eles nem os outros patrocinadores queriam lidar com isso”. 

A Haas se preparou para um 2021 sem brilho para tentar voltar a ser um time de meio de pelotão em 2022, apostando no investimento apenas no carro desse ano. Tanto Mazepin quanto Mick Schumacher fizeram a primeira temporada de suas carreiras na F1 no ano passado, e Haas disse querer alguém “com mais experiência” para ser o companheiro de Schumacher. 

Quanto ao futuro da equipe, Haas afirmou que a perda do patrocinador principal não vai afetá-los, e foi crítico ao falar das pessoas que disseram que o patrocínio da Utalkali os transformou em uma equipe russa, afirmando que a Haas Automation, empresa comandada por ele, “sempre foi o patrocinador principal”. 

“Estamos bem. Estamos tranquilos. Nós queríamos mais dinheiro, obviamente, mas nós estamos bem. Isso só nos dá um número negativo ainda maior.” Completou Haas.