Conteúdo

Fórmula 1 decide não substituir GP da Rússia e calendário fica com 22 corridas

18 de maio de 2022

(por Mattheus Prudente)

Após o cancelamento do GP da Rússia por conta da invasão do país ao território da Ucrânia, existia muita expectativa para qual circuito a Fórmula 1 iria escolher para substituí-lo. No entanto, a categoria decidiu não colocar nenhum GP no lugar da Rússia, fazendo o calendário ficar em 22 corridas. 

Depois do cancelamento, a Fórmula 1 explorou várias opções, como foi o caso do Catar, mas existia preocupações sobre a logística por conta da realização da Copa do Mundo e o extremo calor no país. Além do Catar, a F1 também estudou a possibilidade de duas corridas em Singapura e o retorno do GP da Alemanha em Hockenheim, mas nenhum deles pareceu viável. 

A Fórmula 1 passa por problemas por conta da invasão russa, principalmente com a logística, com vários casos de problemas com cargas sendo registrados nesta temporada. Logo após o começo da guerra, a F1 anunciou que iria cancelar o GP da Rússia desta temporada, logo depois rescindindo o contrato com o país. 

Essa não foi a única consequência dentro do esporte, já que a FIA decidiu que todo piloto russo não poderia correr sob a bandeira de seu país. Mesmo sendo permitido de correr em bandeira neutra, Nikita Mazepin perdeu a sua vaga na Haas, sendo substituído por Kevin Magnussen na equipe. A Haas também encerrou o seu contrato com a Uralkali, empresa russa que era seu patrocinador. 

A Rússia estava preparada para mudar o seu circuito para a próxima temporada, saindo de Sochi e indo para São Petersburgo, mas toda essa questão com a Ucrânia fez com que eles fossem isolados do resto do mundo. O calendário da Fórmula 1, no ano que vem, deve ser o maior de todos os tempos, com a especulação de 25 corridas.