Conteúdo

Ferrari se pronuncia sobre decisão de não chamar Leclerc e Sainz para os boxes em Safety Car

10 de maio de 2022

(por Rafael Lima)

Uma pergunta ficou no ar quando a Ferrari, após o acidente entre Pierre Gasly e Lando Norris, que gerou o safety car, não chamou seus carros para os boxes, afim de igualar condições com Max Verstappen, que já havia parado, e tentar roubar a vitória do atual campeão.

No final da prova, o chefe da equipe de Maranello, Mattia Binotto, explicou que a equipe só possuía um jogo de compostos duros naquele momento entre os novos, com todos os outros pneus usados, achando mais interessante continuar do jeito que estava.

“Acreditamos que em termos de aquecimento, o pneu usado seria melhor do que um novo”, contou Binotto. “Teríamos sofrido mais problemas de aquecimento com duros novos, que eram os que tínhamos à disposição na garagem. Então decidimos ficar, porque acreditamos que seria nossa melhor chance para ter um bom aquecimento e atacar nas primeiras voltas [após a relargada], que foi o que aconteceu”, explicou.

Mesmo assim, Binotto ainda citou que Charles Leclerc teve chances de vencer. “Acho que a melhor oportunidade para Charles seria logo na primeira volta após o safety-car”, opinou. “E certamente ele estava próximo nesse momento. Para Carlos também, [a escolha] o ajudou a se defender de ‘Checo’ com os médios novos”, avaliou o chefe da Ferrari.