Conteúdo

Fabrício Werdum critica Renan Problema, diz que faltou 'índole' e aguarda revisão de derrota polêmica na PFL

8 de maio de 2021

(por Leandro Chagas)

Fabrício Werdum está inconformado com o resultado polêmico de sua estreia na PFL (Professional Fighters League). Isso porque antes de ser nocauteado na luta principal do evento realizado na última quinta-feira, em Nova Jersey (EUA), o ex-campeão do UFC garante que seu adversário, Renan 'Problema' Ferreira, teria desistido da luta ao ser estrangulado via triângulo. A confusão se deu pelo fato do juiz responsável não ter visto o gesto, o que gerou uma grande confusão, que pode fazer com que o resultado final seja alterado. 

Após o duelo, Werdum fez um longo desabafo ao "Canal Combate". Durante a entrevista, o atleta de 43 anos disse que faltou índole para seu oponente.

"Seria muito melhor para o Renan admitir que foi um erro. Bateu no susto, mas ele sabe que bateu. Tinha que admitir: “Realmente bati mesmo, queria desculpas para o Werdum, para a organização pelo que aconteceu, para todos os fãs. Na hora da emoção continuei mesmo, o juiz não parou, continuei batendo”. Mas é a índole da pessoa. Tu bateu, tu desistiu da luta, está dizendo que não quer mais. Se continuo apertando ou vou no braço dele, já ia vir a polêmica dizendo que não soltei", analisou o gaúcho, que na sequência explicou ainda que já entrou com um recurso para que o resultado fosse revertido pela Comissão Atlética de New Jersey.

"Já entrei com o recurso na comissão e eles vão reverter o resultado (...). Não tenho certeza se a vitória vem para mim para ganhar os seis pontos (na temporada), ou se vai ser “no contest”. Mas que não foi uma vitória para o Renan, com certeza não foi. E tenho certeza de que ele sabe disso, a gente consegue ver nos olhos da pessoa", disse ele. 

Muito chateado pelo resultado frustrante após meses de preparação, Fabrício confessou ainda que acha difícil Renan admitir que desistiu da luta ao levar o triângulo.

"Tenho certeza (que não vai admitir o erro), e aí é o negócio da índole, da honra, que é uma coisa que a gente consegue ver que ele não tem. Com certeza, o Renan tem muito o que aprender, e nem sei se vai aprender pelo fato de ter essa índole, e vai se queimar completamente com todos os fãs. Acho que é bem difícil ele admitir. Ouvi alguma coisa de ele ter falado que “o que a comissão atlética decidir, está decidido”. Isso é para ver como ele não tem certeza, realmente, do que fez. Foi um sacana de ter se aproveitado de eu ter aliviado a posição para não machucá-lo (...). Eu estava bem mentalmente, fisicamente, estava tudo 100%, três meses me dedicando ao máximo, e para acontecer uma coisa dessa. É uma pena, estou bem triste pela situação", desabafou o "Vai Cavalo". 

Werdum aproveitou também para se defender das críticas de quem acha que ele deveria ter mantido a posição até que o árbitro responsável pelo combate interrompesse.

"No momento que ele desiste da luta, pela minha índole e por toda a minha carreira, tenho que soltar. Como foi com o Gustafsson (na última luta no UFC), que bateu e soltei. Como foi quando o Fedor (no Strikeforce) bateu uma vez só e já soltei. É normal. Ou as pessoas querem que eu seja como o (Rousimar Palhares) Toquinho, até arrebentar joelho, arrebentar tudo? Não penso assim, a gente sabe que temos uma honra no mundo da luta. O Renan é um cara bem jovem, 31 anos, está começando a carreira, e eu não tenho que provar nada para ninguém, mas achei uma sacanagem da parte dele. Já vi uns depoimentos dele dizendo que não bateu, mas a gente consegue ver que não foi bem assim. Se ele fosse homem de verdade, admitiria que bateu", finalizou. Veja o vídeo do momento polêmico:

https://twitter.com/leandroxgs/status/1390496421175037954

Do outro lado da história, Renan Problema se defende

Muito criticado e tendo que lidar com uma chuva de críticas nas redes sociais, Renan resolveu se pronunciar. Em entrevista ao jornalista Marcelo Alonso, do "Portal do Vale-Tudo", o goiano deu sua versão dos fatos. O lutador de 31 anos garantiu que em nenhum momento, bateu em forma de desistir do combate, justificando que o ato de dar os "tapinhas" foi apenas para se posicionar e saber onde estava a cabeça do adversário.

“Eu estava em uma posição, tinha encaixado o golpe e estava na lateral. Estava golpeando bem a cabeça dele e em momento algum eu bati. Estava procurando me posicionar, estava todo contorcido e estava caçando a posição melhor para bater. Ele sabe que quem para a luta é o juiz. Você vê que a minha mão vai para cima da cabeça dele, continuou golpeando. Ele não solta a minha cabeça”, justificou Renan.

Até o momento, a PFL mantém o resultado sinalizado pelo juiz dentro do cage. Com isso, até que a Comissão Atlética dê seu parecer após o recurso de Werdum, Renan 'Problema' segue como vencedor do duelo.